Como todo esporte, o Laço Comprido também tem normas e regras a serem seguidas.

Para que todos os laçadores participem das competições de laço, devem seguir as imposições descritas nos estatutos do Clube e da Federação. Cada Clube do Laço possui uma diretoria, eleita a cada ano pelos sócios. Esta diretoria cumpre o mandato de um ano, sendo composta pelos seguintes membros: Patrão de Honra, Patrão, Capataz, Tesoureiro, Primeiro Secretário, Segundo Secretário, Peão Orador, Peões Efetivos, Delegado e Conselheiro, havendo variações destes membros de acordo com o estatuto de cada clube do laço.

Os clubes que vão participar do encontro vão chegando aos poucos, acomodando-se, organizando seus animais e traias, instalando as cozinhas e realizando as inscrições para as provas.  Antes do início das competições é necessária a aferição dos laços, ou seja, marcar e verificar os laços. Todos os laços são assinalados com tinta colorida na marca dos oito metros, que é o tamanho obrigatório da armada.

Logo ao amanhecer, iniciam-se as competições. Os laçadores se posicionam com o laço de armada de oito metros e medem as rodilhas (voltas menores feitas no laço, junto da armada), que devem ter o número de quatro e possuir no mínimo 25cm. As rodilhas são medidas pelo fiscal antes da boca do brete.

Foto: Doovi

Quando o laçador está pronto, ele pede a solta do boi, então o animal é solto e o laçador começa a bolear o laço na tentativa de laçá-lo antes da linha dos cem metros. Até esta linha a armada já deve ter sido jogada e o laçador deve fechar a laçada, tentando cerrar nos dois chifres ou nas orelhas do animal, antes que ele entre no brete que está no final da pista. Se a armada der certo é positiva e o laçador adquire pontos, caso contrário, é considerada negativa.

Assim que o boi entra no brete no fundo da pista, outro peão retira o laço, para auxiliar os juízes na certificação da aramada. Encontra-se no final da pista um peão montado a cavalo, que tem em suas mãos bandeiras nas cores vermelha e branca. Elas que indicam o resultado da armada, e este peão é chamado bandeirinha. Se a bandeira levantada por a branca, armada positiva, se for vermelha, negativa.

Os pontos adquiridos pelo laçador somam-se na tentativa de disputar os seguintes troféus: Taça de Ouro, Taça de Prata e Taça de Bronze. Estas são entregues ao término das laçadas, juntamente com outros tradicionais prêmios, como: Peão Letrado, Amazonas mirim e adulta, Veterano, Patrão, Pai e Filho, entre outras. Existe também a categoria tipicamente Sul-Matogrossense, a Bagualhada, disputada entre duplas.

Considerações Importantes:

Uniforme: É obrigatório o uso, que consiste em camisa com gola e com emblema que identifique o Clube de Laço a que pertence o laçador. Todos os laçadores têm de usar o mesmo uniforme por dia. O laçador deverá laçar com a camisa abotoada e por dentro das calças, sob pena de ter anulada sua armada pela Comissão Julgadora.

Equipe: Cada Clube de Laço poderá apresentar tantas equipes de cinco laçadores quantas puder. Cada equipe terá cinco laçadores, sendo um capitão, duas duplas e um presilha. O número mínimo de laçadores por equipe é quatro. Abaixo deste número serão inscritos na categoria Individual.

Pista de Laço: As pistas devem ter as seguintes características – medidas mínimas de 135 metros de comprimento por 40 metros de largura, ter os bretes de solta e o ‘abre bois’ iguais, tanto para laçadores canhotos, como para os destros e colocar medidores de rodilhas e armadas, para todas as categorias de laçadores.

Foto: Federação de Laço Comprido

As festas de laço giram em torno das laçadas, havendo, especialmente nas finais, torcidas constituídas por familiares e amigos dos laçadores, acontecem uma vez por mês, sendo constituídas por muita música, especialmente sertaneja e regional, comidas típicas, como churrasco e arroz carreteiro, além do chimarrão e do tereré.

Acontece uma interação durante esses eventos, uma competição, porém como forma de brincadeira com os amigos, entretenimento, lazer entre as pessoas que sempre estão participando dos encontros nas dezenas de clubes do laço existentes

Por Nilson Ricartes
Associação Brasileira de Laço Comprido (ABLC)

Escreva um comentário