Diferença de outrora, hoje as correções de potros começam mais sedo devido ao manejo dos equinos

Os cavalos são encocheirados para o manejo e com isso muda o crescimento dos cascos, se formos comparar aos cavalos selvagens.

É importante desde um mês de vida que acompanhemos o andar do potro para que não ocorra nenhum desvio à medida que ele se desenvolve no seu crescimento. Estes podem ter um desgaste maior em algum lado do casco, desviando-se do seu aprumo.

Devemos ter em consideração, que quando um potro nasce ele é muito flexível e os ossos ainda estão em formação, assim é mais fácil modelar. Os potros com um mês de idade não têm muita musculatura. Dessa forma, vemos que ele sempre vai ter os membros anteriores um pouco para fora.

Isso é correto por que à medida que eles vão ganhando musculatura, o peito do potro começa a abrir e isso faz com que os membros tenham a tendência de ir para dentro ou ficarem retos. É muito importante cuidarmos desse momento, porque se fizermos a correção querendo endireitar os membros antes de hora, podemos prejudicar o potro.

Em condições normais, temos várias opiniões de quando começar o casqueamento dos potros. Uns dizem que é melhor logo que nascem, outros ao mês de vida, eu diria que isso é muito relativo tendo em mente as condições de aprumo de cada indivíduo. E devemos considerar também o local onde eles se encontram, como condição do terreno, clima e outros fatores de cuidados de cocheiras.

Eu acostumo começar o casqueamento de potros com dois meses de vida, mas desde o seu nascimento fazemos um acompanhamento das condições de cada potro, para ver os aprumos. Muitas vezes sem a necessidade de intervenção humana, os potros agem de maneira favorável em condições naturais, é só dar um pouco de tempo.

É interessante a divergência que temos neste tema com respeito ao melhor resultado e até quando é bom fazermos o trabalho de correção. Até que idade é recomendável essa correção? Temos que considerar primeiro qual é o problema, que podem ser de aprumos ou só desvio de casco.

No problema de aprumo, quando a parte óssea é afetada, quanto mais cedo começarmos a correção é melhor, porque o potro está em fase de crescimento e os ossos são muito maleáveis. Podemos também fazer correções nos cascos, queimar com iodo as partes ósseas afetadas, ou massagens quando o problema é mais leve. Até chegar a parte mais crítica que seria a operação cirúrgica (como na foto abaixo).

Já quando o problema é só o casco, podemos começar logo a correção, independente da idade. Eu já tive resultados favoráveis em potros de idades variadas até cavalos adultos. Levando em consideração que o cavalo seja correto de aprumo.

Por Raul Peirano
Ferrador e responsável pela área de ferraduras da empresa Equiboard

Escreva um comentário