Saúde Animal

Exames obrigatórios para o trânsito de cavalos

É obrigatório que os cavalos estejam em dia com os exames de Anemia Infecciosa Equina e Mormo a fim de transitar entre estados e cidades; acima de tudo, são pedidos na participação em eventos

 Os criadores de cavalos precisam estar atentos e preparados ao transportar e/ou vender seus animais. É necessária a realização de exames de diagnóstico de duas importantes doenças: AIE – Anemia Infecciosa Equina e Mormo.

 Para ter validade perante os órgãos oficiais de sanidade animal, estes exames só podem ser realizados em laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Dessa forma, um criador não pode transportar ou comercializar cavalos, asininos e muares sem a comprovação de que sejam negativas estas duas doenças.

Para a realização dos exames de AIE, o criador deve contar com a consultoria de um médico veterinário inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária de sua respectiva Unidade Federativa para AIE . No caso de Mormo, o médico veterinário também deve ser  habilitado no órgão de defesa sanitária de sua região. 

Esse profissional fará a coleta de sangue e enviará ao laboratório. A validade de cada análise é de 60 dias a partir da data da colheita do soro.

É obrigatório que os cavalos estejam em dia com os exames de AIE e Mormo a fim de transitar entre estados e cidades; participação em eventos

Diagnóstico é obrigatório e vital

Mormo é uma doença infectocontagiosa de curso agudo ou crônico, muitas vezes fatal. É causada pela bactéria Burkholderia mallei, que acomete principalmente os eqüídeos. Podendo também infectar o homem (zoonose). O Mormo pode ou não vir acompanhado de sinais clínicos e não há tratamento eficaz para eliminação do agente nos animais portadores. 

 A Anemia Infecciosa Equina é uma doença infecciosa causada por um Lentivirus. Pode apresentar-se clinicamente sob as formas aguda, crônica e subclínica. É caracterizada por episódios de febre recorrente, trombocitopenia, anemia, perda de peso rápida e edema dos membros inferiores. Contudo, os cavalos, asínios e muares podem ser portadores do vírus sem a apresentação de sinais clínicos.

 Não há tratamento alopático nem produtos biológicos (vacinas) disponíveis para ambas as doenças. Dessa forma, após a conclusão do diagnóstico laboratorial, é necessário o sacrifício dos animais sorologicamente positivos. O diagnóstico dessas enfermidades pode salvar todo o plantel.

Colaboração: Adrienny Reis, gerente de diagnósticos e serviços técnicos da IPEVE, diagnósticos laboratoriais e vacinas autógenas da SANPHAR Saúde Animal (credenciada pelo MAPA)
Crédito da foto: Divulgação/Pixabay

Veja mais artigos de Saúde Animal no portal Cavalus

X