Por que castrar um cavalo?

 Começamos a abordar o assunto na semana passada – clique aqui para ler – introduzindo os conceitos e já te levando a uma reflexão. Porque castrar, com que idade e se cavalos mansos devem ser castrados também. Acompanhe o desenrolar desse tópico tão interessante.

4 – Que fazer quando o cavalo só tem um testículo visível na bolsa escrotal?

Popularmente, dá se o nome de roncolho ao cavalo criptorquida, que tem um dos testículos permanentemente retido no abdômen. Este testículo não produz espermatozóides viáveis, porém é eficiente na produção e liberação de testosterona, o hormônio masculino. Se num cavalo deste tipo apenas o testículo visível for removido, teremos um ‘falso castrado’, com comportamento típico de garanhão.

Esta condição pode ser confirmada por medida dos níveis sanguíneos de testosterona. O correto é remover o testículo oculto junto com o aparente. Esta é uma cirurgia de cavidade, bem mais complicada e perigosa que uma castração normal, que precisa ser feita com o animal sob anestesia geral e de preferência num hospital veterinário.

5 – Que profissional pode fazer a castração?

Apenas o médico veterinário, de preferência especializado em equinos, está habilitado a castrar cavalos. A castração realizada por ‘prático’ é crime de crueldade contra os animais com pena prevista em lei. Infelizmente, em muitas regiões do país a castração e outras cirurgias ainda são realizadas sem o instrumental necessário, sem cuidados técnicos nem as mínimas condições de higiene.

Muitos práticos sequer tranquilizam os cavalos, derrubando-os à custa de peias, causando traumas físicos e psicológicos às vezes irreversíveis para os animais. A castração de cavalos realizada por não-profissionais tem um alto índice de óbito, seja por hemorragia, infecção ou evisceração.

Os cavalos ainda podem sofrer queimaduras de corda com as peias e o sofrimento durante um pós-operatório mal realizado pode atrasar seu treinamento em meses. Numa castração bem realizada, com um bom pós-operatório, o desconforto experimentado pelo animal é mínimo e sua recuperação é rápida, com o cavalo apto a voltar ao trabalho leve após duas semanas de recuperação.

6 – Quais são as possíveis complicações da cirurgia?

A complicação mais imediata é a hemorragia. Muitos cavalos morrem após castrações mal feitas, devido a uma ligadura ineficiente dos vasos sanguíneos. Em raros casos, especialmente se já havia uma hérnia escrotal presente (que pode ser pequena e inaparente), ou algum problema estrutural do anel inguinal, pode ocorrer um início de evisceração.

E que precisa ser imediatamente controlado pelo cirurgião através da técnica de sutura correta. Se o pós- operatório não for bem conduzido, o surgimento de infecções sempre traz consigo o risco de afecções sistêmicas, tais como septicemia, laminite etc.

O tétano é um grande risco para os cavalos que não foram vacinados, nem tenham recebido soro anti-tetânico. Se houve problemas técnicos na cirurgia (por exemplo, fio errado ou contaminado) ou no pós-operatório (curativos malfeitos), podem ocorrer fístulas, fibroses e aderências do cordão espermático, causando dores ao andar ou um abscesso de drenagem permanente.

Continua na próxima semana …

Por Claudia Leschonski, Médica Veterinária
Fonte: Editora Passos
Foto: The Horse

Escreva um comentário