A nutrição do potro se inicia durante a gestação, principalmente no terço final, fase em que o crescimento fetal é muito grande

Nessa fase, o potro chega a ganhar até 500 gramas por dia. A nutrição do potro continua durante a amamentação, através do leite materno. Para garantir que o animal esteja recebendo uma nutrição adequada nestes períodos, é fundamental que a égua seja alimentada com ração balanceada.

Pelo menos 15% de Proteína Bruta e 3.100 Kcal/ Kg de Energia Digestível, além de volumoso de boa qualidade e sal mineralizado para equinos sendo fornecido à vontade.

Mesmo assim, o leite materno garante toda a nutrição do potro somente até o terceiro mês de vida. A partir do terceiro mês de lactação a qualidade do leite da égua é diminuída e, ao mesmo tempo, o potro tem suas exigências nutricionais aumentadas, o que significa que uma suplementação com ração balanceada deve ser realizada.

O ideal é que a suplementação seja feita com ração comercial específica para potros, de preferência extrusada (100% cozida), contendo em torno de 17 a 20% de Proteína Bruta, 3.400 Kcal/ Kg de Energia Digestível, um balanço de cálcio e fósforo dispostos na proporção de 2:1, e enriquecida com aminoácidos essências (especialmente a Lisina), minerais e vitaminas.

Deve-se iniciar o fornecimento da ração com 30 dias de idade, em quantidade aproximada de 100 gramas por dia, para que o potro aprenda a comer e aceite o produto. Esta quantidade deve ser aumentada de forma gradativa, de modo que aos três meses de idade, quando o leite materno não estiver mais em quantidade e qualidade suficientes, o animal já tenha aprendido a comer a ração.

Recomenda-se que chegue aos cinco meses recebendo em torno de 1 Kg da ração balanceada ao dia, dividido em no mínimo dois tratos, que permitirá que ele chegue à fase de desmame com um estado físico ideal para suportar o estresse.

A suplementação torna-se ainda mais importante pelo fato do animal não conseguir digerir eficientemente a fibra, pois não possui o ceco totalmente funcionante. Isto significa que o volumoso consumido não é 100% aproveitado, tornando-se indispensável o fornecimento do concentrado.

Por isso, é imprescindível que a pastagem seja de boa qualidade. Além disso, o sal mineral balanceado específico para equinos deve ser fornecido à vontade para o consumo dos potros.

O acesso das éguas à ração dos potros deve ser restrito, para isso, um sistema de creep feeding pode ser introduzido no pasto (local cercado dentro do piquete com comedouro, onde somente os potros têm acesso para o recebimento da ração) ou prender a égua enquanto ela se alimenta e colocar um cocho separado.

Há lugares em que o manejo permite que o potro se alimente juntamente com a mãe até o desmame, mas esta prática não é tão eficaz, já que a ração da égua contém menos proteína que a do potro.

Hoje em dia, o maior desejo dos grandes criatórios de cavalos no Brasil é criar campeões. Tarefa essa nada fácil, sabendo que do nascimento até o animal chegar no alto desempenho atlético muitas variáveis podem ocorrer, e muitos desafios o animal terá que passar, especialmente na fase de desenvolvimento.

E para criarmos verdadeiros campeões, não basta uma boa genética e um bom treinamento, mas sim uma criação adequada que se inicia desde a fase gestacional do potro até seu desenvolvimento completo.

Desta forma, é possível que este indivíduo esteja fisiologicamente preparado para passar por um programa de treinamento. Grande parte do sucesso da criação, está relacionada à nutrição balanceada do potro, que irá garantir um perfeito desenvolvimento do sistema músculo esquelético, preparando o animal para desempenho de exercícios físicos na fase adulta.

O período que vai do nascimento aos 18 meses de idade é crítico para o crescimento do cavalo jovem, pois nesta fase ele pode atingir 90% de sua altura e aproximadamente 70% de seu peso adulto.  Uma vez que suas exigências nutricionais são altas e que são animais atletas em potencial, deve-se conduzir seu crescimento de maneira adequada, tanto para evitar Doenças Ortopédicas do Desenvolvimento (DOD) como outras enfermidades.

Desta forma, é ideal a implantação de um programa nutricional adequado para cavalos jovens, que atinja as exigências de proteína, energia e minerais específicos para cada categoria.

Por Cláudia Ceola
Médica Veterinária – Supervisora Técnica de Equinos Guabi Nutrição Animal
Foto: Cedida

13 Comentários

  1. Hey There. I found your blog using msn. This is a really well written article.
    I’ll be sure to bookmark it and return to read more
    of your useful info. Thanks for the post.
    I will definitely comeback.

  2. obviously like your web site but you have to take a look at the spelling on several of your
    posts. Many of them are rife with spelling issues and I in finding
    it very bothersome to inform the reality on the other hand I’ll surely come again again.

  3. Good day! This post could not be written any better!
    Reading through this post reminds me of my old room mate!
    He always kept chatting about this. I will forward
    this page to him. Pretty sure he will have a good
    read. Many thanks for sharing!

  4. It’s actually very difficult in this full of activity life to listen news on TV,
    so I only use world wide web for that reason, and get the
    most up-to-date information.

  5. Thanks for your personal marvelous posting! I genuinely enjoyed reading it, you happen to be
    a great author.I will make sure to bookmark your blog and will come back at some point.
    I want to encourage one to continue your great writing,
    have a nice holiday weekend!

Escreva um comentário