Se bem cuidados, os dentes dos cavalos podem evitar diversas complicações médicas e comportamentais nos animais

A odontologia equina é uma área da Medicina Veterinária que traz diversos benefícios aos cavalos. Cuidar dos dentes desses animais está diretamente ligado à melhora do desempenho esportivo e influencia toda a fisiologia desses animais. Este serviço deve ser sempre prestado por um Médico veterinário, especialista no assunto.

Reunimos uma série de fatos fascinantes sobre os dentes do seu cavalo. Já que esta é uma das partes mais importantes do corpo, e é essencial que sejam bem cuidados ou poderão causar uma série de complicações médicas.

odontologia equina
Cuidar dos dentes dos cavalos está diretamente ligado à melhora do desempenho esportivo

Vamos à boca dos cavalos:

Cavalos jovens possuem 24 dentes de leite, sendo 12 incisivos e 12 pré-molares. Os dentes de um potro começarão a erupção dentro de uma semana após o nascimento, e eles devem ter um conjunto completo de dentes até os seis meses. E são substituídos por volta dos cinco anos de idade dos animais.

Quando adultos, os cavalos machos têm entre 36 e 44 dentes permanentes, enquanto fêmeas adultas têm 36 a 40. Todos possuem seis incisivos superiores e seis inferiores localizados na frente da boca. Estes são usados para cortar grama e outras folhagens.

Eles também têm 12 molares superiores e 12 inferiores (também conhecidos como dentes da bochecha) na parte de trás da boca para moer a comida, facilitando a digestão.

medicina veterinaria
Dar a devida importância ao cuidado com os dentes poderá evitar uma série de complicações médicas

Castrados e garanhões também possuem quatro dentes caninos (dois superiores e dois inferiores). Estes foram usados uma vez como dentes de combate para proteger o rebanho mas já não são realmente necessários. Já as éguas raramente têm caninos, mas isso ainda pode acontecer.

Alguns cavalos têm o que são conhecidos como dentes de lobo, um dente vestigial que pode ser considerado como um dente do siso. Eles são remanescentes de molares, mas podem se formar em vários formatos e tamanhos, geralmente se desenvolvendo no maxilar superior. Eles são comuns na maioria dos garanhões e em algumas éguas, e os veterinários geralmente recomendam removê-los em uma idade jovem para impedi-los de causar quaisquer problemas.

Cavalos moem sua comida, e isso desgasta seus molares. Por essa razão, seus dentes surgem continuamente de suas gengivas ao longo de sua vida.  Ou seja, eles nunca param de crescer. E crescem cerca de 2,5 centímetros por ano.

Não se preocupe se os dentes do seu cavalo não são brancos perolados – eles devem ser de cor creme e podem ser mais escuros em certas áreas devido ao pigmento de plantas.

Os dentes de cavalos nem sempre se encontram em um nível plano. Seus dentes da bochecha se encontram em uma inclinação de 10 a 15 graus, o que ajuda na moagem de plantas e outros materiais.

Problemas dentários em equinos podem reduzir a capacidade do animal de triturar alimentos, o que pode levar à cólica e até engasgos. Além disso, a incapacidade de mastigar corretamente também pode limitar a quantidade de nutrientes que o cavalo está obtendo de seus alimentos. Isso pode levar a desnutrição e perda de peso.

O ditado ‘cavalo dado não se olha os dentes’ está errado e vem do fato de que os dentes e a boca de um cavalo são um dos principais indicadores de saúde e idade deles. Entretanto, se receber um cavalo como presente, seja grato e não verifique se está saudável ou velho.

Nivelar e remover bordas afiadas dos dentes de um cavalo é conhecido é um procedimento que deve ser feito anualmente. Uma curiosidade é que os dentes de um cavalo ocupam mais espaço na cabeça do que o cérebro.

Odontologia equina
A odontologia equina é uma área da Medicina Veterinária que traz diversos benefícios aos cavalos

Sinais de doença dentária em um cavalo incluem salivação excessiva, perda de peso, inclinação ou sacudimento da cabeça, boca com sangramento, mau odor da boca ou do nariz e sensibilidade da bochecha.

Os sinais também podem ser percebidos sobre a sela, já que quando montados, apresentarão sensibilidade aos freios e bridões, torção da cauda, recusa em obedecer a ordens, porte ruim da cabeça, etc.

Uma mudança evolutiva nos dentes dos cavalos foi provavelmente causada pela mudança climática e pelo efeito que isso teve em sua dieta, passando de comer frutas e a pastar na grama.

E você, sabe mais alguma coisa sobre a dentição dos equinos? Compartilhe conosco!

Por Country and Stable
Tradução e adaptação: Juliana Antonangelo

Escreva um comentário