Saúde Animal

Saiba mais sobre o manejo reprodutivo de garanhões

Para começar o assunto, é importante saber que, normalmente, os garanhões são considerados aptos à vida reprodutiva aos 3 anos de idade

Por definição básica, os garanhões, ou cavalos inteiros, são o macho que não foi castrado. Eventualmente, estão prontos para começar sua vida reprodutiva aos 3 anos de idade. Caso o exame andrológico confirme a fertilidade do animal e ele apresente a libido necessária, pode iniciar até um pouco antes.

Entretanto, o proprietário ou criador deve ter em mente que animais iniciados muito novos costumam mudar seu comportamento rotineiro. Sobretudo, podem apresentar certa tendência a diminuição da ingestão de alimentos, inquietação e agressividade. Os garanhões em fase de iniciação reprodutiva precisam ser corretamente treinados para tal atividade, evitando-se problemas futuros.

Antes de mais nada, a escolha da égua é de fundamental importância. Deve estar embasada não só no padrão racial, para promover um melhoramento genético, como também na sua índole, ou seja, dócil, tranquila e paciente.

Com o atrativo natural da visualização e dos odores característicos do cio, o macho automaticamente se interessa pela fêmea. Sendo ela uma facilitadora da aproximação e do contato físico, o animal não fica desconfiado ou com receio. Pode, desse modo, exercer sua atividade natural de rufiação, característica da espécie e parte fundamental do cortejo e da interação entre eles.

Durante a fase de aprendizado, o animal poderá cobrir vários dias consecutivos para realizar a esgota. Entretanto, assim que se estabilizar poderá cobrir três vezes por semana (uma vez ao dia). Já na próxima estação de monta, o número de coberturas pode ser aumentado para duas éguas ao dia.

Para começar o assunto, é importante saber que, normalmente, os garanhões são considerados aptos à vida reprodutiva aos 3 anos de idade

Manejo de garanhões

Os garanhões apresentam a capacidade de desempenhar a função de reprodutor o ano todo. Todavia, essa função é exercida com mais intensidade na primavera-verão, por ser a época em que as éguas entram em cio com maior frequência, dando origem aos conhecidos termos ‘temporada de monta’ e ‘estação de monta’.

A escolha do macho como reprodutor deve ser criteriosa e levar em consideração fatores como morfologia, ausência de defeitos transmissíveis, desempenho da aptidão, índole, descendência, libido, fertilidade, transmissibilidade, entre outros.

Já os animais que não se prestam a tal situação devem ser castrados, no intuito de facilitar o manejo e o convívio com outros animais.

Fora da temporada de monta, o animal deve ficar solto, sempre que possível. Dessa forma, ele se socializa com outros animais, se distrai, se exercita e pasta. Caso não seja possível soltá-lo a pasto, é fundamental exercitá-lo diariamente.

Com a proximidade da estação reprodutiva, o macho deve ser estimulado a ejacular, seja na monta natural ou na vagina artificial, para eliminação dos restos espermáticos naturalmente armazenados.

Alimentação

Quando o reprodutor não está em período de monta, suas necessidades nutricionais são atendidas com o fornecimento de pasto de boa qualidade ou feno, suplementação mineral e concentrado, caso necessário.

No período de monta, o reprodutor carece de uma alimentação balanceada com aproximadamente 30% a mais de energia e 20% a mais de proteína, para que mantenha um bom estado corpóreo.

Fonte: Equideocultura: manejo e alimentação/SENAR
Crédito das fotos: Pixabay

Veja mais artigos de Saúde Animal no portal Cavalus

X