Cavalgadas Brasil

Cavalgar Nossa Paixão – Se as pessoas montassem mais a cavalo o mundo seria melhor

Dando continuidade à nossa serie do livro Cavalgar Nossa Paixão, destaco hoje o hipólogo, escritor, pesquisador, especialista em adestramento e equitação Sergio Lima Beck

Uma das personagens do livro Cavalgar Nossa Paixão, no capítulo ‘Se as pessoas montassem mais a cavalo o mundo seria melhor’, Sergio Lima Beck é conhecido nacionalmente por seus cursos e livros.

 Destaco o mais recente (2019) ‘Marcha: Mitos, Verdades e Outras Coisas’. Que aborda, antes de tudo, todas as modalidades de Marcha, da andadura à marcha trotada.

É uma publicação inédita na literatura equestre brasileira. Apresenta com clareza, portanto, os conceitos e as peculiaridades de cada modalidade de andamento.

Cavalgar Nossa Paixão – Se as pessoas montassem mais a cavalo o mundo seria melhor

Trata, dessa forma, da origem geográfica e étnica dos primeiros cavalos de marcha que chegaram ao Brasil. Além disse, ainda fala sobre: terminologias de andamento e de Marcha, parâmetros de classificação e de avaliação, dentre outras temas muito interessantes.

Para mais informações ou aquisição do livro: (41) 99953-0317 | sbeckequinos@yahoo.com.br

Confira mais sobre Turismo Equestre no portal Cavalus

 Por Paulo Junqueira Arantes
Cavaleiro profissional e Diretor da agência Cavalgadas Brasil
www.cavalgadasbrasil.com.br

Sergio Lima Beck

“Cavalgar é minha paixão porque, viajando a cavalo, a intimidade entre o cavalo e o cavaleiro aumenta. E a natureza pode ser vista pelos melhores ângulos e na velocidade certa. Há um ditado que diz que o paraíso na terra está em três lugares: nas páginas de um bom livro, no seio da mulher amada e no dorso de um cavalo”.

Sérgio Beck começou muito cedo o seu envolvimento com cavalos. Antes mesmo de, aos seis anos de idade, ganhar o seu primeiro cavalo, Carimbo. Antes de tudo, era um cavalo difícil de domar se isso não fosse com muito jeito e paciência.

A convivência de 33 anos foi determinante para que Sérgio se envolvesse mais estreitamente com o universo equestre. Tornando-se, portanto, especialista em equinocultura e doma racional.

Sabendo-se da infância passada na fazenda de sua avó e da profissão que mais tarde tomou para si, não fica difícil de explicar por que ele escolheu o cavalo como seu meio de transporte e companhia para as suas viagens.

Sobre o sentimento que é despertado ao viajar a cavalo, ele fala que é “de reflexão e de estar vivo, na companhia do mais nobre dos animais”.

Cavalgar Nossa Paixão – Se as pessoas montassem mais a cavalo o mundo seria melhor

Com efeito, para as pessoas que ainda não praticam essa forma de viagem, diz: “Experimentem! Escolhendo um bom local e um bom cavalo, talvez seja melhor do que ir para o céu!”

Fazendo eco ao amigo Rodrigo Sarkis Costa, não hesita em dizer que “se as pessoas montassem mais a cavalo, o mundo seria melhor”.

Trajetória

Hipólogo, autor de vários trabalhos científicos e estudioso dos últimos cavalos selvagens do Brasil, Sergio envolve-se com frequência em projetos ligados ao mundo dos cavalos.

Participa de empreitadas sempre em muito boa companhia e desfruta de paisagens ímpares e animais inesquecíveis. E é nesse convívio que faz amizades para sempre. As histórias são muitas, mas, uma vez perguntado, não se esquece da noite em que dormiu entre dois garanhões, na Espanha, para que eles não brigassem.

Dentre tantas viagens, a que fez pela região da Lagoa dos Peixes foi uma das mais significativas. Em companhia do seu amigo Ricardo Bacelar Wuerkert, durante o projeto Rumbo Sur. Cruzou essa região e, apesar de ser gaúcho, foi surpreendido pela natureza viva que se exibia.

Descreveu assim a sua visão: “Uma variedade incrível de aves e mamíferos. Das aves, especialmente os bandos de flamingos e, dos mamíferos, focas e baleias, algumas, infelizmente, encalhadas nas praias onde termina o Parque Nacional da Lagoa dos Peixes”.

São inesquecíveis as imagens do pôr-do-sol, o cruzar de lagoas imensas e rasas, planícies alagadas, muitos areais, o verde e o infinito. E, mais que tudo, a convivência diária e especial com seu amigo Ricardo Bacelar e suas éguas V8.

Sobre viajar a cavalo, não pretende parar, pois considera uma das melhores formas de viajar e de conviver intimamente com o cavalo. Dentre tantos destinos já percorridos, destaca a Estrada Real, o Caminho Santiago de Compostela e a Islândia. Mas o destino dos sonhos seria refazer o caminho que Perito Moreno fez para criar os parques nacionais da Argentina.

Texto do livro ‘Cavalgar Nossa Paixão’ – edição 2017
Editora EquusBrasil – www.equusbrasil.com.br
Fotos: Cedidas