destaque

Fábio Parizi destaca os projetos à frente da ANLI

O presidente da ANLI exalta os projetos e planos da entidade que é representante oficial do Laço Individual no Brasil

Publicado

⠀em

Fabio Parisi destaca os projetos à frente da ANLI

“O Laço Individual é uma modalidade que traz muita emoção e reúne a família”. Foi com essas palavras que o presidente da Associação Nacional do Laço Individual (ANLI) Fábio Parizi definiu a sua paixão pelo Laço Individual, que, cada vez mais, vem ganhando mais espaço em eventos equestres. Em mais um mandato, ele falou para o Portal Cavalus sobre os desafios e os projetos realizados à frente da entidade, que tem papel fundamental para o crescimento da modalidade. Confira!

Qual o balanço que você faz desses anos à frente da ANLI?

Quando assumimos há 5 anos, a ANLI já vinha em um constante crescimento e a gente deu segmento na evolução do Laço Individual. Então, melhoramos muitas coisas com relação a bens para animais, provas melhores organizadas, premiações maiores. Logo, o laço só tem a melhorar.

O que você destacaria dessa gestão?

Chegamos no final do mandato, em novembro, no final da ANLI, em um evento que deu tudo certo. Tivemos a maior nota técnica do Potro do Futuro da história com 234 pontos. Ainda tivemos a melhor premiação ganha por um profissional em um dia de prova que foi no Potro do Futuro de cronômetro, feito inédito, organizado pela Fazenda Sapucaia e o Rancho FF. O Daniel Lopes ganhou mais de R$ 90 mil em um dia. Tivemos o evento dos Laçadores do Futuro, um sucesso envolvendo a meninada que está começando. Terminamos o ano com tudo dando certo. 

Isso é reflexo de um trabalho feito em equipe, certo?

O ano de 2023 começou muito leve. Aconteceu a eleição onde não tivemos nenhuma chapa. Continuamos, demos uma reformulada na diretoria e temos mais dois mandatos. Todas as provas de Laço Individual que estão acontecendo são credenciadas na ANLI e com um nível melhor que do ano passado. É um sinal positivo. 

Quais projetos você destacaria?

A ANLI em conjunto com Leonardo Júlio e a Dona Nina, estão realizando vários workshops para os jovens que estão começando no Breakaway. A cada evento desses, há mais crianças aderindo ao projeto e isso é muito legal porque a gente vê o futuro do Laço Individual sendo construído.

O projeto para as crianças foi realizado pela primeira vez em novembro passado. Como, de fato, vocês pretendem abranger esse público na modalidade?

Na final da ANLI, a dona Nina idealizou um projeto junto a alguns treinadores e foi além das nossas expectativas. De alguma forma, isso trouxe um aspecto muito positivo e alegre pro final de semana da ANLI porque vieram muito mais crianças do que imaginávamos, além das famílias. Tivemos, também, os treinadores envolvidos, enfim, foi um sucesso. Isso fez com que a prova do sábado e a final no domingo ficassem mais leves, muito por conta, é claro, desses momentos com as crianças. 

A ideia é que isso se estenda dentro dessas provas para fazer com que depois as crianças tenham uma final dentro de um evento da ANLI?

Exatamente. Temos essa ideia. O Leonardo Julio fez um workshop agora junto ao Leilão Sapucaia. Ele fez um evento para as crianças e a ideia é fazer com mais frequência e, pro ano que vem, ter uma final das crianças. 

Podium Categoria Amador do Potro do Futuro em 2021 – Foto: Divulgação/ANLI

Qual o critério para validar a prova?

Existem alguns critérios que não são nada absurdos, pois precisam seguir o handicap da ANLI. E isso é bem interessante porque todos os organizadores de provas querem seguir o nosso, já que ficou fácil e eles não precisam ficar colocando outros diversos. Inclusive, a ANLI está disponibilizando para todas as provas credenciadas, o sistema do João Velasco, onde a gente consegue, ao final do ano, ter dados do laçador em relação a tempo, quantos bezerros ele laçou, o quanto ele ganhou, entre outros dados. Logo isso nos ajudará a ter parâmetro para o próximo ano, inclusive no handicap. Há juízes da ANLI, formados por meio de cursos, apesar de não ser um critério para a prova não ser credenciada, todos estão usando juízes da ANLI, treinados pelo Noel.

Com relação às provas? A parceria da ANLI com entidades de raça, como combina essa parceria nesses grandes eventos da raça.

Essa diretoria da ABQM deu uma abertura legal para a modalidade do Laço Individual. As duas entidades, uma de raça, outra de competidor, tem que andar juntas. A ABQM tem nos ajudado com essa evolução por meio da comissão de modalidade. 

Fábio, com relação ao Campeonato Nacional ABQM, houve um crescimento dos participantes?

Nesse evento, o Laço Individual teve um crescimento de 20% em relação ao ano passado. E tivemos uma abertura da categoria Aberta que nunca tinha acontecido, realizada com muita emoção e que nos fez arrepiar, principalmente pra gente que é apaixonado pela modalidade. E ainda tivemos uma final muito bonita, bem disputada e com arquibancada lotada. As palavras do Alessandro Mendes fizeram a gente arrepiar e dão mais força pra gente seguir nessa evolução do Laço Individual. 

A gente pode falar que a ANLI trouxe um incentivo do Breakway para as provas?

O Breakaway anda junto com a ANLI e talvez seja uma das modalidades que mais tenha crescido, principalmente o feminino. Há vários rodeios que estão incluindo o Breakaway no rodeio, isso não acontecia antes. No começo de setembro, haverá dois rodeios credenciados pela ANLI, um em Cláudio (MG) e outro Orindiúva (SP). Isso era algo que não acontecia no passado e agora acontece com frequência. 

Aproveitando o gancho que você fala em rodeios, as modalidades têm voltado em alguns rodeios. No Laço Individual temos alguns famosos como nas cidades de Cláudio e Divinópolis (MG). Essa procura tem ocorrido em outros eventos também?

Sim, neste ano percebemos isso. Teve o rodeio em Orindiúva e alguns outros estão colocando a modalidade de novo. O que era no passado, está voltando com força total. Uma coisa muito importante que me deixou muito contente é que, semanas atrás, havia dois competidores de Itamonte, cidade do sul de Minas, idealizando um campeonato entre eles e desejando que seja credenciado à ANLI. É bem interessante perceber que essas pessoas querem andar juntas com a entidade.

Há planos em levar a modalidade para outros estados que pouco ou nada tem de Laço Individual?

Somos bem fortes aqui em São Paulo, a grande maioria, e, também no Paraná, Goiás, Rio, Espírito Santo e Brasília. Mas temos um projeto futuro de organizar alguns cursos para serem realizados em alguns estados que não tem Laço Individual. Queremos expandir por meio de profissionais.

O que os competidores do Laço Individual podem esperar para o grande evento da ANLI deste ano?

No ano passado, houve junto ao Potro do Futuro da ANLI, que é técnico, o Potro do Futuro de cronômetro. Percebemos que houve um crescente número de pessoas querendo adquirir potros para serem treinados visando a ANLI deste ano por meio do Potro do Futuro técnico e de cronômetro com premiação maior do que do ano passado. A gente percebeu que os treinadores estão com ranchos cheios de potros. Houve essa movimentação positiva no mercado. Isso faz parte do processo de evolução da prova.

Você já tem a data deste grande evento?

A data vai ser de 23 a 25 de novembro, no Haras NSG em São Pedro (SP). Serão três dias bem movimentados. Além do que já teve no ano passado, haverá prova técnica, Potro do Futuro ANLI, Potro do Futuro Fazenda Sapucaia Rancho FF de cronômetro e a final da ANLI que neste ano distribuirá mais de R$200 mil aos finalistas. Teremos uma prova para jovens de 14 a 18 anos, idealizada pelo Leonardo Julio. E temos ainda algumas ideias que estamos definindo para deixar essa final ainda mais emocionante. 

Por Wesley Vieira/Portal Cavalus
Colaboração Verônica Formigoni
Foto: Verônica Formigoni/Agência Cavalus

Leia mais notícias aqui.

WordPress Ads
WordPress Ads