Bulldog, Bulldogging ou Steer Wrestling. Seja qual nome for, não muda a natureza radical dessa modalidade

O cavaleiro desce do cavalo em movimento e precisa derrubar o garrote no menor tempo possível, com a ajuda apenas do seu corpo e técnicas apuradas. Esse é o Bulldog, esporte popular nos Estados Unidos, que tem adeptos talentosos no Brasil.

Foto: Marcelo Domeniqueli

A origem do esporte tem duas vertentes: Uma delas na década de 1930, quando Bill Packett, fazendeiro e criador de cavalos, conseguiu capturar um boi fugido pulando sobre ele, do cavalo, e agarrando-o pelos chifres. Há também quem diga que a modalidade foi criada por alguns colonos quando observaram como seus cachorros pegavam os bois fugidos pulando sobre o pescoço do boi e levando-os ao chão.

Um fato é inegável: é considerada a mais radical do rodeio, mais até que a montaria em touros. E para praticá-la, não é preciso força, embora muitos possam pensar isso devido à natureza dos movimentos, mas sim muita técnica. Fomos conversar com César Brosco, um dos multicampeões do Bulldog no Brasil, para saber: como é possível ter sucesso nesse esporte? Veja o que ele nos respondeu!

Dica n° 1

“A primeira dica que posso falar é que você deve gostar. Gostar de cavalo, de boi. É um esporte de muito contato com o boi, então precisa gostar de estar tão próximo do cavalo, e do boi também. E esse gostar chega ao nível de que a pessoa tem que aguentar um pouco de  pancada, no sentido de que essa é uma prova muito de contato e, invariavelmente, vamos ter escoriações, chifradas e pisões, por exemplo. Então, primeiro de tudo, para se dar bem, é gostar do esporte, do contato com o bicho. Ver uma prova de Bulldog e se apaixonar na hora. Falar: é isso que eu quero fazer. Toda prova é fácil quando nos dedicamos e gostamos da atividade que realizamos no dia a dia.”

Dica n° 2

“Dedicação. Para ser bem sucedido é preciso se dedicar muito ao esporte, estar preparado física e psicologicamente. Se entregar sabendo que não é fácil, que existem as escoriações. Acho que o medo de se machucar com pisões e o chifre do boi talvez seja o primeiro obstáculo que pode levar a pessoa a abandonar. E ai entra a dedicação. Se você gosta, dedique-se. Prepare-se. Dê o melhor de você 200%. Muito treino. Não pule as etapas de treinamento, suba degrau por degrau. Como o início é começar o treinamento no chão, tem gente que fica esperando a adrenalina, mas o começo certo é treinar no chão, pegar o jeito, depois no cavalo devagar, largando do brete, trilhando boi, depois aprendendo a se soltar do cavalo e descer no boi, tudo isso devagar. Até chegar ao momento que irá unir tudo que aprender em movimentos mais rápidos. Então, a dedicação entra também nessa paciência, aprender a fazer o correto desde o início.”

Foto: Miguel Oliveira

Dica n° 3

“Procurar um profissional competente, bem estruturado, para ser seu professor e aprender corretamente. Um competidor experiente. Treinar com alguém que possa te passar as técnicas de forma mais fácil, ensinar os movimentos.  Que te forneça a segurança de quem conhece bem o esporte. A dica número dois completa bastante essa dica número três, pois a dedicação e não pular etapas fica diretamente ligada a aprender com uma pessoa capacitada e experiente. Estar sempre próximo de pessoas que possam te ajudar, tirar dúvidas. Eu, com quase 20 anos de Bulldog, continuo procurado os amigos para lapidar alguma dificuldade que encontro no dia a dia de treinos. É muito importante aprender certo e aprender sempre.”

Dica n° 4

“Ter como companheiros bons animais. E aí podemos incluir o cavalo que você monta, o cavalo do esteira que te ajuda e a boiada que você treina. É essencial! Se você tiver um cavalo que não tenha habilidade para o Bulldog, que não seja rápido e não goste de boi, talvez você não consiga executar bem os movimentos, de forma rápida e certeira, como pede a modalidade. Se a boiada de treinamento não tiver as características adequadas, de chifre e peso,  por exemplo, também não vai dar certo. Se o seu parceiro também não tiver montado em um cavalo que não goste de boi e não seja rápido, sua prova não vai ser concluída. É um conjunto de fatores, que chega nesse ponto de se ter sempre à mão bons animais para que o desempenho seja favorável.”

Dica n° 5

“Estrutura. Para que você consiga chegar em um patamar mais alto dentro do esporte, é preciso ter um local bem estruturado para treinar, com tamanho de pista ideal, bretes de boa qualidade, para bois e cavalos ficarem bem posicionados e não correrem risco de se machucar, pista com areia no nível adequado para que boi e cavalo a andem bem e você consiga realizar os movimentos de forma precisa, curral e pasto para a boiada. Se você não puder ter isso na sua casa, procure um centro de treinamento que tenha. Treinar em local bem estruturado também pode fazer a diferença na hora que você tiver em ação para valer em uma prova ou rodeio.

E ai? Se animou? Comece seguindo essas dicas especiais e te esperamos em alguma prova!

César Brosco é o melhor competidor da modalidade pela ABQM em 2010/2011/ 2012/2013/2014/2015/2016, campeão da Liga Nacional de Bulldog 2013, Campeão do Bulldog na Semana do Cavalo em Presidente Prudente 2014, campeão de Americana, Barretos, Jaguariúna, Associação Nacional de Bulldog mais de uma vez.

César tem o apoio incondicional da esposa Tatiana. E hoje já conta com a ajuda dos filhos Henrique, Felipe e Gabriel nos treinos e até nas provas. Ele tem o apoio da Rodeo Way, Botas Goyazes, Star Horse e Candido’s Ranch, Agropecuária Agroforte.

Por Luciana Omena

21 Comentários

  1. Hey there! I know this is kinda off topic but I was wondering if you knew
    where I could get a captcha plugin for my comment form?
    I’m using the same blog platform as yours and I’m having
    problems finding one? Thanks a lot!

Escreva um comentário