O uso de algumas raças de cães de pastoreio na lida dos cavalos com o gado é algo comumente visto em ranchos e fazendas

Quem já presenciou um Border Collie ou um Kelpie tocando o gado em ajuda aos cavaleiros em uma propriedade, certamente, se apaixonou! Eles são inteligentes e amam esse trabalho da lida em fazendas e ranchos. Por seu instinto, é um trabalho que lhes dá prazer de realizar. Aprendem fácil os comandos e são companheiros de seus donos.

Talvez o mais conhecido aqui no Brasil, o Border Collie é a raça de pastoreio mais antiga ainda em atividade nas propriedades rurais. Sua origem é datada do Século 15 e sua fama vai além do nome e sua popularidade alcançou os quatro cantos do planeta. Podemos encontrar Border Collies de trabalho nas Ilhas Britânicas, o seu lugar de origem, em países como Japão, Arábia Saudita, Groelândia, nas Malvinas. Mas também são bastante comuns na Europa Continental, Estados Unidos, África e, nos últimos 15 anos, na América do Sul. Entre os cowboys e cowgirls brasileiros, é um das raças que podemos ver sempre como companheiros em provas, por exemplo.

Essa raça pode ser destinada para diversos serviços, pois é capaz de realizar todas as atividades necessárias no manejo, onde cães possam ser utilizados. Ele arrebanha, traz e conduz rebanhos a grandes distâncias; auxilia no curral, apartando e tocando; ajuda a carregar e descarregar animais de caminhões; conduz os animais de volta ao pasto. São alguns exemplos.

Trabalha silenciosamente, com uma postura do corpo rebaixada, semelhante a de um predador. Seu instinto se baseia, na verdade, num instinto de caça, onde a matança foi eliminada. Ao longo de vários séculos, os Border Collies vem sendo criados de forma seletiva e o resultado dessa seleção fez deles excelentes companheiros de trabalho.

Um bom Border Collie é suave e sutil nos seus movimentos, com muita coragem e mantido poder. Quando bem cuidado, é capaz de trabalhar todo dia por horas a fim. Não somente é capaz, como é o que ele quer, ele gosta do serviço e bem tratado, pode correr até 150 km por dia.

Mas você pode ver na lida também o Kelpie, uma raça australiana, provavelmente, a segunda raça mais popular de cães de trabalho no mundo. A sua origem vem de aproximadamente 200 anos atrás, quando alguns cães de pastoreio de pelo curto da Escócia foram introduzidos na Austrália. Os criadores os selecionavam conforme a habilidade natural para manejar rebanhos, o pelo curto adequado às severas condições australianas, constituição robusta, conformação atlética, patas firmes e fortes que resistissem aos solos duros e o temperamento bom e amigável.

Diversos criadores têm se concentrado ao longo dos anos em diferentes características, de acordo com as suas preferências particulares. O resultado disso é que existem pelo menos três diferentes estilos de trabalho dos Kelpies. Eles podem ser cuidadosos e observadores, para tirar o rebanho de locais difíceis, como morros íngremes; podem ter um latido forte, auxiliando na hora de carregar e descarregar o rebanho em caminhões, trabalhar em galpões de tosquia ou em qualquer lugar onde muita força se faz necessária; e ainda tem os de uso geral, capazes de realizar longas corridas para arrebanhar no pasto. Quando usados em áreas fechadas, usam o latido e flanqueio para movimentar o rebanho através da mangueira ou curral.

Há Kelpies de colorações variadas. Todo preto, preto com manchas bege, marrom com manchas bege, creme ou dourado, todo marrom (geralmente Kelpie de show ou de casa, não de trabalho). Ao redor do mundo, portanto, os cães de trabalho são peças fundamentais no manejo de diversos rebanhos. Não só do gado que usamos nas provas, ou para quem cria bovinos de corte, mas de ovinos, bovinos de leite, porcos, veados, avestruz, gansos, entre outros. E os especialistas listam algumas razões para se ter um cão de trabalho: otimiza a eficiência da propriedade; maior qualidade do rebanho; manejo de baixo stress; melhora a economia da propriedade; minimiza a perda de animais por doença ou lesões; o cão de trabalho é um empregado fiel.

Se um Kelpie ou um Border Collie, você que irá decidir o cão ideal, vai depender unicamente da sua preferência, já que as duas raças são capazes de realizar as mesmas tarefas. Então, se você ainda não tem esse companheiro, de vida e de trabalho, avalie o estilo de cada e seja feliz!

Por Luciana Omena
Colaboração e Fotos: José Couto Neto

 

26 Comentários

Escreva um comentário