Evento ocorrido durante a ExpoZebu teve cabanha paranaense com vitória nas duas categorias

O município de Uberaba tem pouco mais de 330 mil habitantes e está localizado a quase 500 quilômetros da capital Belo Horizonte. É, além de tudo isso, ‘a capital mundial do Zebu’. Afinal, é por estas bandas que ocorre a Expozebu, considerada a principal feira de zebuínos do planeta e que chegou, organizada pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu, à 85ª edição em 2019.

O Cavalo Crioulo, por sua vez, também esteve por lá. Foi no Estado de Minas Gerais que a raça cresceu 7,49% no ano passado, com 732 animais registrados. Essa trajetória de crescimento justificou novamente a realização da Exposição Passaporte, que incluiu a presença do ‘pequeno grande cavalo das Américas’ na pista principal do Parque Fernando Costa, no seio da 85ª Expozebu, para o julgamento dos Grandes Campeonatos que ocorreu na manhã de sábado, 4 de maio.

A consideração para com o Cavalo Crioulo não parou por aí e foi verificada nas premiações. Além dos tradicionais troféus e capas entregues pelo Núcleo Sem Fronteiras de Criadores de Cavalos Crioulos, organizador da 4ª Morfologia Passaporte de Uberaba, em conjunto com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos, os Grandes Campeões levaram para casa troféus e flâmulas ofertadas pela ABCZ em alusão ao centenário da entidade.

Cavalo Crioulo
Johnnie Walker da Vendramin. Foto: Felipe Ulbrich/ABCCC

Nas fêmeas, a Grande Campeã foi Melodia da Vendramin-TE (foto de chamada). Melhor Exemplar da Raça, foi quem recebeu todas essas honrarias. Filha de Macanudo do Itapororó e Indiana da Escondida, a égua colorada foi criada e exposta por Aldo Vendramin, da Estância Vendramin de Palmeira/PR, e havia sido Campeã Égua Menor no dia anterior de exposição.

Mesma situação para o macho Grande Campeão, Johnnie Walker da Vendramim-TE. O macho gateado negro, além de também ser criado e exposto por Aldo Vendramin, da Estância Vendramin de Palmeira/PR, é irmão por parte de pai da Melhor Exemplar da Raça na Passaporte de Uberaba. A mãe é Dalia Negra de Los Campos.

O jurado Rodrigo Albuquerque Py, ciente da importância do evento para os criadores da raça em Minas Gerais, celebrou os bons resultados. “A Passaporte me impressionou pela qualidade dos animais: de muito bom nível e bem preparados, tanto machos quanto fêmeas muito bem apresentados. Então isso para a difusão da raça, dentro desta pista importante, dentro deste evento que é a Expozebu, é fundamental”, avaliou.

Um dos responsáveis por trabalhar a expansão da raça em nome da ABCCC é Gérson de Medeiros que, além de realçar o quão grandioso é estar dentro da maior feira de zebuínos do mundo, mostrou que o Crioulo não é uma realidade apenas no Triângulo Mineiro. “Fincamos nossa bandeira no estado de Minas Gerais com mais uma Exposição Passaporte. Neste ano tivemos um acréscimo de praticamente 15% em inscrições”, disse o analista que trabalhou no evento com Pedro de Oliveira, também da Expansão.

Cavalo Crioulo
Nochero da Tamanca. Foto: Leandro Vieira/ABCCC

O presidente da ABCCC, Francisco Kessler Fleck, que esteve acompanhado do vice-presidente Administrativo e Financeiro, Onécio Silveira Prado Júnior, e do vice-presidente de Núcleos, Evaristo Tagliari Neto, ainda destacou a presença da raça. “É muito importante estar aqui nessa região de expansão, onde nós temos um grande número de novos criadores. A Raça Crioula é a raça de cavalo que está dentro da pista de Uberaba, nós temos uma sede aqui”, apontou.

A cada Passaporte, classificam-se para a final da Morfologia do Cavalo Crioulo durante a Expointer em agosto quatro fêmeas e quatro machos. De Uberaba, portanto, estão classificados: Fêmeas – Melodia da Vendramin, Jaboticaba da Vendramin, Margarida do Bagé do Sul e Ginga 2019 da Vendramin; Machos – Johnnie Walker da Vendramin, Um Amigo do Passo da Lage, Castelhano do Orelhano e Nochero da Matarazzo.

Jaguarão

No mesmo final de semana, a ABCCC esteve com a Passaporte Morfologia em Jaguarão/RS. Ao todo, 63 animais pleitearam as vagas, mas apenas oito deles saíram do município com lugar garantido entre os finalistas da Morfologia da Expointer. Organizado pelo Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Eudóxio Corrêa, reuniu cabanhas expressivas da zona sul do Estado.

Cavalo Crioulo
Invernada do Mako. Foto: Leandro Vieira/ABCCC

Para os dois animais que puxam as filas, este é o primeiro credenciamento para a mostra da Expointer, que passa a estar registrado em seus méritos junto à raça Crioula. Comemoração dividida entre a Cabanha Tertúlia, de Porto Alegre (RS), expositora da fêmea vencedora, que também garantiu a escarapela de Melhor Exemplar da Raça, e a Estância Tamanca, de Santa Vitória do Palmar (RS), criadora e proprietária do garanhão campeão.

No clima da região da fronteira, a mistura de culturas entre os países cruzou a linha e entrou também dentro da pista de julgamento. Na minuciosa avaliação dos exemplares presentes, o jurado uruguaio Juan Montans foi quem conduziu a formação das filas e a entrega das rosetas aos premiados. Pelo seu crivo, faltou espaço e vagas para tamanha a qualidade apresentada no Sindicato Rural de Jaguarão. “É uma lástima que tenhamos que eleger apenas quatro, pois temos éguas boas que ficaram para trás e certamente vão ir muito bem em outras exposições”, analisou sobre a fila de fêmeas passaporteadas. Além de destacar a representatividade dos machos eleitos, “com muita qualidade também”, em suas palavras ao final da ordenação.

Estão classificados: Fêmeas – Invernada do Mako, Orgulhosa II do Macanudo, Nevasca da Aliança e De Verdad Del Arroyo; Machos – Nochero da Tamanca, Entre Passos Capataz, JA Quatro Naipes e JA Peitaço.

Colaboração: Assessoria de Imprensa

Escreva um comentário