Estudo aconteceu em um haras na França feito por Ishbak Ari Shehadeh Vergara

Há um mês, fiz uma experiência comportamental na França, no Haras de la Chataigniere, como parte de um capítulo do meu livro. Eu já escrevi o capítulo, mas ainda tenho muito mais a dizer sobre isso.

A experiência consistia em que eu morasse cinco dias e cinco noites em uma cocheira de cavalos. É impressionante como estar dentro do quadrado mudou toda a minha perspectiva.

Os aspectos mentais e comportamentais reservo para o meu livro, mas compartilharei as mudanças físicas que expus quando estava trancado em na cocheira.

Como a rotina de cavalos, especialmente os que estão em treinamento, costumam sair da cocheira uma hora por dia. Entre o treinamento propriamente dito, e o banheiro, uma hora aproximadamente, fiz o mesmo. Saí da cocheira uma hora por dia para ir ao banheiro e ir almoçar.

Nos dois primeiros dias passei um pouco mais ativo dentro da cocheira, parando e sentando-me constantemente, para observar o que passava pela janela. No terceiro dia, comecei a me sentar praticamente a maior parte do tempo.

Os dias eram chuvosos e úmidos na campina Francesa, e o frio entrava em meus ossos. Com a impossibilidade de me mexer, comecei a senti-lo em minhas articulações, e toda vez que saía da caixa tinha dificuldades de andar.

No quinto dia, quando saí da cocheira, as dores articulares e musculares eram tão intensas que tive que ficar esticado por três dias em uma cama, porque simplesmente não conseguia me mexer.

E eu me fiz uma pergunta. Quantos cavalos passam semanas nas cocheiras, depois são retirados, passam alguns minutos e vão direto para a arena para competir. Agora posso imaginar o quão difícil deve ser para eles nessa situação.

Convido você a ter um olhar empático e a se colocar no lugar dos seus cavalos. Um animal com dor física não vai competir adequadamente, eu garanto …

Por Ishbak Ari Shehadeh Vergara
Etologista equino e estudioso do comportamento animal
Fotos: Léo Thimonier

Escreva um comentário