Geral

COVID-19: confira melhores práticas para as atividades equestres

Aprenda o que você pode fazer para incorporar os protocolos de proteção em suas atividades equestres em meio a pandemia

À medida que as preocupações mundiais com o COVID-19 continuam a crescer, nossa prioridade número 1, sem dúvidas, precisa ser com a segurança. Se for para realizar atividades equestres nos próximos 45 dias, o ideal é que siga algumas recomendações.

Afinal, a Organização Mundial da Saúde (OMS) indica o distanciamento social como a principal ferramenta para se evitar a maior proliferação da doença em todo o mundo. Confira abaixo algumas dicas:

  • Mantenha uma distância de três metros entre você e outras pessoas o tempo todo;
  • Além disso, evite ficar em ambientes com mais de 10 pessoas ao mesmo tempo;
  • Desinfete todas as superfícies e itens comuns manipulados por várias pessoas;

A transmissão COVID-19 de pessoa para pessoa ocorre principalmente quando uma pessoa infectada envia gotículas respiratórias por meio de espirros ou tosse.

Portanto, é importante que você pratique e aplique a regra de distanciamento social. Isso significa que não andar a cavalo lado a lado com outra pessoa, sem clínicas por um tempo e conversas com amigos em haras/hípicas.

Embora menos comum, uma pessoa também pode contrair o COVID-19 tocando uma superfície ou objeto com o vírus e, em seguida, tocando sua própria boca ou nariz.

Por isso, faça com que a equipe que cuida dos seus cavalos, seja em uma hípica ou em seu haras, mantenha um considerável esforço para desinfetar superfícies comuns e limitar o risco de exposição.

Ademais, retire totalmente de uso itens que possam ser compartilhados, como forquilhas, carrinhos de mão, mangueiras, etc.

Tenha em mente

Inevitavelmente, muitas empresas equestres e prestadoras de serviços estão lutando financeiramente para lidar com o impacto da pandemia. Se um local oferecer graciosamente aulas a distância ou opções de ensino, faça o que puder para ajudá-lo. Por exemplo:

  • Publique uma boa foto em suas mídias sociais e marque a empresa ou o prestador de serviço;
  • Se tiver condições, pague as mensalidades eletronicamente, dentro do prazo, o máximo possível;
  • Seja o mais sensível possível aos riscos à saúde e às preocupações de exposição da equipe quanto possível.

Precauções antes de visitar cavalos

  • Monitore sua própria saúde. Não vá ao haras/hípicas ou pratique algumas das atividades equestres se tiver algum sintoma de COVID-19, como febre, tosse ou falta de ar incomum.
  • Sentindo-se exausto? Não tem certeza se você “tem alguma coisa” ou apenas uma ressaca de vinho? Tome sua própria temperatura e descarte uma febre.
  • Não vá ao haras se você esteve em um aeroporto nos últimos 14 dias.
  • Use o banheiro em sua casa, e não em locais de uso comum.
  • Lave as mãos por, pelo menos, 20 segundos antes de sair de casa.

Como visitar seu cavalo

  • Se a instalação que cuida do seu cavalo permitir visitantes externos, tenha em consideração os riscos à saúde da equipe que trabalha no local e lembre-se da regra de 10 pessoas.
  • Faça o que puder para evitar aparecer ao mesmo tempo que outros pensionistas/prestadores de serviços. Lembre-se de que veterinários e ferradores também precisam visitar as instalações e eles contam sob a regra de 10 pessoas.
  • Desinfecte (lave/desinfetante) suas mãos na chegada.
  • Evite tocar em itens como maçanetas, armários, travas e interruptores de luz desnecessariamente. Limite o uso de ferramentas comuns de celeiro, como forquilhas, etc. Limite o contato com a baia apenas àquele que está o seu cavalo.
  • Evite acariciar cães e gatos do local.
  • Monte seu cavalo fora (sob a luz do sol), longe dos outros, tanto quanto possível. É ótimo para o seu espírito, além do vírus não gostar da luz solar.
  • Enquanto estiver a cavalo, pratique a regra de separação de 3 metros.

Antes de você deixar haras/hípica

  • Desinfecte tudo o que tocou antes de partir.
  • Sorria para os funcionários e agradeça pelo trabalho. Eles estão sob muito estresse agora e agradecemos seu apoio.

Fonte: Event Clinics
Tradução e adaptação: Natália de Oliveira
Crédito da foto: Pexels/Markus Spiske

Veja mais notícias no portal Cavalus