A Associação Europeia da raça afirma que existe uma fila de espera para aquisição de exemplares importados do Brasil

Mais um ano presente na Equitana junto ao estande da Agromaripá, a presidente da Associação Europeia do Mangalarga Marchador, Astrid Oberniedermayr, falou sobre o trabalho nestes dez anos da entidade. Ressaltando o interesse dos europeus – em especial os alemães – por cavalos da raça.

“Isto é resultado do trabalho iniciado lá atrás, com o projeto Vitrine Mangalarga Marchador na Equitana, ainda quando o presidente da Associação Brasileira era o Magdi Shaat. E que continua sendo feito pelo criador Marcelo Baptista Oliveira, através da Agromaripá, pela quinta edição presente na maior feira de cavalos do mundo”, disse.

Presidente desde a criação da EAMM, Astrid acaba sendo a referência do Mangalarga Marchador na Europa e afirma que a entidade somente não cresceu pela falta de animais e a impossibilidade de importa-los.

“Existe interesse real do europeu no Mangalarga Marchador, pois é um cavalo perfeito para este mercado, especialmente a Alemanha. Ele pode ser usado por aqueles que querem ter seus próprios cavalos para montar ou mesmo fazer cross country, equitação de trabalho e até adestramento”.

Astrid ainda reitera que “o Mangalarga Marchador é ideal para tudo isto, além de ser muito sensível e bonito. Todas estas características são muito bem aceitas em nosso mercado, então, se os cavalos pudessem chegar aqui, com certeza teríamos uma entidade em pleno crescimento”.

Contando com cerca de 100 membros, a Associação é enxuta e para manter seus associados, busca subsidiar clínicas para que o interesse pela raça continue.

No estande da Agromaripá na Equitana, maior feira mundial equestre, que acontece na Alemanha até dia 17, a pergunta que Astrid mais ouve é: ‘onde estão os cavalos?’. Todos ficam muito ansiosos em experimentar os animais.

“A Agromaripá já é famosa na Europa por seus cavalos e tem uma ótima reputação aqui. Então, como não estamos com animais na feira, mostramos o criatório brasileiro através de vídeos. Daí na sequência vem mais uma pergunta: ‘quando podemos importar estes cavalos?’. O Marcelo Baptista é um visionário e faz um importantíssimo trabalho de marketing para o Mangalarga Marchador, além de sempre ajudar os interessados na raça, por acreditar no mercado europeu”, continua ela.

Astrid, assim como os criadores brasileiros, espera que as barreiras sanitárias com o Brasil sejam sanadas o quanto antes para que na Equitana 2021 os animais voltem à feira, sendo possível até a realização de um leilão de Mangalarga Marchador no evento.

“Acredito muito no crescimento do Mangalarga Marchador na Europa. Vários países têm o perfil para aquisição da raça, só está faltando a possibilidade de importação. Continuamos na expectativa”, finalizou.

Textos e foto: Susi Freitas, que está em Essen na Alemanha acompanhando a Equitana de perto
Na foto: Dieter Mader e a presidente da EAMM Astrid Oberniedermayr

Escreva um comentário