Geral

Evolução marca 2ª etapa do Virtual de Equitação de Trabalho

ABET promove Ranking Virtual de Equitação de Trabalho a fim de cumprir agenda e encerrar temporada em meio a pandemia

“Antes de mais nada, é importante frisar que das inscrições para a segunda etapa, embora mantendo o mesmo número, tivemos quase 20% de inscrições novas. Também é bom dizer que as filmagens melhoraram muito em qualidade. Além disso, tivemos duas categorias decidindo o título no desempate”, conta Ney Messi, presidente da Associação Brasileira de Equitação de Trabalho.

Com o cancelamento das provas presenciais que restavam para completar o calendário 2020, a ABET formatou o Ranking Brasileiro Virtual de Equitação de Trabalho, que nada mais é do que um simulado virtual das provas. A primeira parte será realizada em três etapas, de agosto a outubro, culminando com um evento isolado em novembro.

Duas já foram ao passo que a mais recente aconteceu de 15 a 19 de setembro. De acordo com o que apurou a ABET, 163 inscritos no total, um a mais que na etapa passada. Participaram conjuntos de São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Maranhão. Acima de tudo, prova de que o formato virtual agradou e que a modalidade está espalhada pelo Brasil.

Uma particularidade da Equitação de Trabalho é que de fato há diversas raças competindo em pé de igualdade. Só para exemplificar, foram registradas nessa etapa inscrições de Andaluz Brasileiro, Anglo-Árabe, Árabe, Crioulo, Friesian, Lusitano, Mangalarga Marchador (43 exemplares, maior número), Mangalarga, Puro Sangue Inglês. E ainda de Quarto de Milha, Piquira, 1/2 Sangue, Muar, S.R.D. (Sem Raça Definida), Westfalen e Brasileiro de Hipismo.

ABET promove Ranking Virtual de Equitação de Trabalho a fim de cumprir agenda e encerrar temporada em meio a pandemia

Formato

Os conjuntos inscritos, portanto, foram  julgados através dos vídeos que enviaram para a ABET em prazo pré-estabelecido. Dividido por categorias, os vídeos foram postados em todas as plataformas eletrônicas da ABET e ficaram lá por 24 horas, permitindo assim que fossem vistos pelos fãs. Enquanto os dois juízes tiveram prazo das 9h às 19h todos os dias para o julgamento.

A ordem das categorias, bem como os croquis do percurso foram divulgados com antecedência. Os vídeos foram postados de acordo com uma ordem de entrada que seguiu as inscrições. Além disso, cada inscrito foi julgado dentro da sua categoria no percurso com cinco obstáculos. Os resultados foram divulgados no domingo mesmo, ao término da prova.

“Os números melhoram a cada evento. Além do que já falamos acima, tivemos 13 novos sócios a ABET e 15% de novos seguidores na página da Associação durante o período da segunda etapa. Do mesmo modo que os números de visualizações também foram satisfatórios: 1200 visualizações nos vídeos do Youtube. E o envolvimento nas postagens de voto popular chegou a 6500 pessoas”, reforça Ney.

Resultados

As três primeiras etapas contarão para os rankings estaduais – São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Goiás –, ranking do Mangalarga Marchardor, ranking de popularidade (com mais curtidas) e Copa Brasil.

Campeões da Copa Brasil na 2ª etapa: Gabriela Castanho – UDC Ana Lua – Aberta Jovens Cavaleiros; Sergio Faria – Secreto de Maripá – Cavalos Novos A; Alexandre Bichir – Hulk do Paraíso – Aberta Amadores; Maria Fernanda – Quieto – Mirim; Sabrina Lombardo – Hidaldo da Prata – Amadores; Rosvista Sydow – Venturoso das Mangueiras – Aspirantes; Fabio Lombardo – Hidalgo da Prata – Cavalos Novos B; Sophia Oliveira –Farrapo de Maripá – Preliminar Amador; Fabio Lombardo – Arun de Maripá – Preliminar; Fabio Lolbardo – Farrapo de Maripá – Intermediária; Luis Carlos Oliveira – Xerox VO – Principal.

Abertura de inscrições para a segunda etapa: 5 de outubro.Todas as informações, critério desempate, resultados completos: abetequitacaodetrabalho.wordpress.com | @abet_brasil_et_oficial.

Por Luciana Omena
Crédito das fotos: Divulgação/Ney Messi

Veja mais notícias no Portal Cavalus

X