Carlos e Vanessa fizeram 37 eventos no último ano. Isso significa que passaram 43, dos 52 finais de semanas anuais trabalhando!

Natural de Blumenal/SC, Carlos André Mendes Junior viu aflorar seu amor pelos cavalos aos três anos de idade. Quando um vizinho, dono de fazenda, lhe presenteou com um cavalo. Já as provas equestres entraram para sua vida dez anos mais tarde. Quando garoto, aos treze anos, começou a ir ao rodeio crioulo, provas de Laço Comprido e Gineteada.

Tempos depois a vida presenteou Carlos com uma oportuna surpresa, que virou profissão. Ele trabalhava como coordenador de eventos. Em uma de suas folgas foi para um mini rodeio na cidade de Pomerode/SC para laçar e se divertir.

Conta que o início da festa estava atrasado e logo viu sua irmã Vanessa, juntamente com Gemi, organizador daquele evento. “Eles vieram ao meu encontro e me pediram para fazer a locução da prova, pois não tinham notícias do locutor. Foi quase um choque!”, lembra Carlos.

A história de tornar-se locutor não foi planejada. “Aceitei o pedido para ajudá-los até o locutor chegar, e isso durou quase o dia todo. Para o meu espanto, a aceitação foi mediatamente boa. O interessante é que esse fato aconteceu no dia 12 de outubro de 2001, dia de Nossa Senhora Aparecida. Eu não poderia ter madrinha melhor”, ressaltou.

Após esta experiência, surgiu a empresa Cmendes. Carlos considera que era uma ideia inovadora para a época, mas muitos acreditavam que também não teria perspectiva alguma. 

Ele analisou um mix de equipamentos para atender organizadores de provas e rodeios com profissionalismo.

Carlos e Vanessa

Eram equipamentos de som, fotocélula, bandeira etc. “Tive muitas críticas, mas aos poucos os clientes perceberam a praticidade de ter um fornecedor especializado!  CMendes, seu rodeio começa aqui. Esse era o nosso slogan”, recorda o empresário.

Segundo Carlos informou, ele está sempre em busca das tendências de mercado para atender as necessidades dos clientes. “Humildemente afirmo que no nosso mercado somos a empresa mais estruturada no Brasil”, assegura.

A CMendes faz desde a criação do folder, divulgação, oficializações do evento. Passando pelo material de pista, som, rádios, fotocélulas, gerenciamento, locução, secretaria. E ainda equipamentos de escritório, suporte, internet, atendimento aos competidores, etc.

“Temos um vasto leque de serviços e equipamentos próprios, Além de uma equipe de freelancers selecionada a dedo (estagiários, veterinários, manejo). Sem subcontratação”.

Apesar de morar em Santa Catarina, a história dos irmãos Carlos e Vanessa tem vasta ligação com o estado do Paraná. Inclusive, a Vanessa é paranaense, nascida em Rio Negro. Ela entrou para o mundo dos cavalos por pura influência do irmão, que participava de cavalgadas.

Vanessa, quando mais nova, participou do Movimento de Tradições Gaúchas (MTG), dançando em Invernadas artísticas e sendo primeira Prenda Juvenil. E depois chegou a fazer provas de Laço Comprido.

A dupla faz inúmeros eventos em diversas cidades, inclusive prestam muito serviço no Paraná, atuando em evento como: Copa SGP, Campeonato Paranaense, Two Brothers Cup, Copa Rancho Brasil, entre outros.

Carlos e os cavalos

Tocar o negócio ao lado da irmã é como o funcionamento de uma bateria, onde dois polos opostos e interligados fazem a máquina funcionar. “Às vezes sai faísca, mas lidamos muito bem com a questão, seja na relação como irmãos ou na hierarquia profissional”, contou o empresário.

A empresa não para! Para se ter uma ideia do ritmo frenético da dupla, no último ano, eles trabalharam 43 finais de semana em 37 eventos! Carlos considera que pegar estrada não é o maior desafio da profissão, mas sim manter a humildade.

“Buscamos o nosso espaço e sabemos que o sol nasce para todos. Mantemo-nos atualizados, estudando regulamentos, novas ideias e sempre ouvindo a todos. Estamos aqui para aprender e dividir o que sabemos. Eis o ciclo. Trabalhamos sempre com fé, dedicação e amor. Gosto da frase que diz: ‘Existem pessoas que marcam a história, e outras que se destinam a fazer a história’. Esse é sempre meu objetivo”, concluiu.

Vanessa, que já fazia a secretaria de algumas provas na região, quando nasceu a CMendes, fez uma parceria com o irmão. “Fiquei um tempo afastada da empresa e depois retornei. Nem sempre é fácil juntar família e trabalho. Mas com o tempo fomos aprendendo juntos, fomos crescendo e ficando mais fortes, sempre um apoiando e ajudando o outro”, considerou.

Ela diz que eles chegam a ficar 20 e até 30 dias longe de casa. Mas enfatiza que o que mais gosta em seu trabalho é ver a satisfação dos clientes com os serviços prestados. “Além disso, tem a convivência, os amigos e a família que a gente acaba construindo, por passar mais tempo em provas. Acho que esta relação é o melhor que tem nesse meio”, finalizou Vanessa.

Por Juliana Antonangelo e Veronica Formigoni
Fotos: Gerson Verga/arquivo pessoal

Escreva um comentário