Geral

Série “Horse Debates Equestres” discute os efeitos da pandemia na equinocultura

Ideia da série é também abrir um canal de aproximação e interação entre os principais agentes do segmento, segundo o idealizador do projeto

A fim de discutir os efeitos da pandemia do novo coronavírus na equinocultura nacional, a Revista Horse lançou recentemente a série “Horse Debates Equestres”. 

De acordo com o idealizador do projeto e editor da Revista Horse, o jornalista Marcelo Mastrobuono, o objetivo da série de debates é abrir um canal de aproximação e interação entre os principais agentes do segmento. Dando, assim, espaço para que eles possam discutir assuntos de interesse comum.

Portanto, a série de debates será realizada a cada 15 dias, sempre com a participação de representantes de associações de raças e entidades representativas do segmento equestre, além de outros agentes do setor. No entanto, o público também poderá participar, encaminhando perguntas aos participantes.

Mastrobuono ainda explica que, além de dirigentes de associações de raça, a proposta é envolver outras entidades equestres e profissionais do agronegócio do cavalo. Como, por exemplo, criadores, atletas, treinadores, veterinários, entre outros.

“Há tempos o setor carece de uma aproximação maior e, infelizmente, as restrições de eventos impostas para o combate à pandemia acabaram por evidenciar. Há a necessidade de ações mais articuladas, conjuntas, que possam contribuir para o segmento como um todo”, justifica.

Primeira rodada da série contou com a participação dos presidentes da ABCCC, ABCCMM e ABQM

Programa de abertura

Dessa forma, o programa de abertura da série, realizado no dia 11 de maio, contou com a participação de três presidentes de associações de raça. Foram eles: Francisco Fleck, da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulo (ABCCC); Daniel Borja, da Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM), e Carlos Auricchio (Caco), da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM).

Ademais, o debate inaugural também teve questões encaminhadas por dois convidados especiais: o idealizador do Estudo do Complexo do Agronegócio Cavalo, Roberto Arruda, e do presidente da Câmara de Equinocultura Nacional, Zeca Pires.

Sendo assim, na primeira rodada da série, um dos pontos mais marcantes foi justamente a necessidade de ações conjuntas, envolvendo todas as raças e demais entidades do segmento.

Para os debatedores, isso é fundamental para tratar questões como bem-estar animal, readequação das barreiras sanitárias para liberação das exportações e o marketing do cavalo. Tudo isso como forma de mostrar ao público em geral os benefícios que o segmento oferece a toda população, fomentando esporte, lazer, trabalho e cultura. (Veja abaixo o primeiro programa)

Segundo programa da série

Na próxima segunda-feira (25), a Revista Horse realiza a segunda rodada da série “Horse Debates Equestres”. Dessa vez, contará com a participação dos seguintes presidentes: Luís Opice, da Associação Brasileira dos Criadores da Raça Mangalarga (ABCCRM); Rodrigo Forte, da Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Árabe (ABCCA); e Luiz Flores, da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo de Hipismo (ABCCH).

Portanto, o programa terá como tema “Os Impactos do Coronavírus” e outros assuntos do segmento equestre. Assim, terá transmissão ao vivo, simultânea, pelos canais da Revista Horse no YouTube, Facebook e site www.revistahorse.com.br.

As pessoas interessadas podem encaminhar perguntas antecipadamente pelo e-mail contato@revistahorse.com.br e também durante o programa.

Fonte: Revista Horse
Crédito da foto: Divulgação/Revista Horse

Veja mais notícias no portal Cavalus