Prova que abre os futurities de Rédeas nos Estados Unidos contou com boa participação de brasileiros

O Reining by the Bay realizou sua primeira competição em 1999, no Horse Park, em Woodside, Califórnia. É um evento de Rédeas nas proximidades da baía de São Francisco, pista descoberta, no verão dos Estados Unidos. A evolução ao longo dos anos fez dele o incrível evento que é hoje, atraindo participantes e espectadores de todo o país, incluindo Canadá, Brasil e México.

Nesse belo cenário, o clima incrível da península de São Francisco é ideal para movimentar uma prova de alto nível técnico como essa. Fora que acaba sendo um grande meio de entretenimento para toda a família. No 19° aniversário do Reining by the Bay, a edição 2018 foi realizada com um aumento na premiação geral, que chegou a mais de US$ 350.000,00. As provas aconteceram de 23 a 29 de julho.

Andrea Fappani e Designed to Spark

Um dos primeiros pré-futurities de Rédeas da temporada americana – no mesmo final de semana aconteceu o Summer Slide em Denver – o Reining by the Bay contou com provas de Futurity e Derby, nas categorias profissional, amador e jovem. E ainda provas para cavalos novos na Open e Non pro.

Andrea Fappani foi o destaque da Open ao ficar com os títulos do Futurity e do Derby. Com seu segundo, dos três cavalos que apresentou no Open Futurity, Fappani levou Designed To Spark (Jacs Electric Spark x Taris Designer Genes) a marcar 220,5 pontos para vencer no Nível 4. “Acho que ele ainda não chegou ao pico de sua performance, e vencer agora me dá a certeza de que ele tem muito potencial para chegar bem no momento decisivo da temporada”, comentou o treinador.

Ganhador de mais de cinco milhões de dólares na carreira, Fappani estreou seus potros desse ano nesse evento. “Todo mundo gosta de ganhar, mas o principal para mim é a reação do cavalo. É importante perceber o que estou fazendo nos treinos e como refletem com os cavalos na pista. E é por isso que estou feliz. Os cavalos que eu trouxe reagiram a todas as minhas sugestões de forma satisfatória”.

Fappani também foi o reservado campeão nessa categoria com Diamonds In My Genes, 219,5 pontos. Com Bee Whiz o brasileiro Pedrão Baião marcou 217,5 para empatar na terceira posição Open Futurity N4. Essa mesma nota lhe deu o segundo lugar N3, também empatado.

O Open Derby foi ainda mais disputado. Cavalos mais velhos em pista, muitos deles destaques desde o final do ano passado. Logo no começo da prova, um 224,5 esquentou a disputa. Os conjuntos que vieram na sequencia tiveram que levantar o nível de suas apresentações e o que se viu foi um show atrás do outro. Logo, três conjuntos marcaram 226. Mas o melhor ainda estava por vir.

Andrea Fappani e Chic Dreamin

Os juízes deram 230 para No Smoking Required e Jason Vanlandingham e a plateia enlouqueceu, mas Fappani tinha uma carta na manga. E entrou com seu terceiro cavalo dessa prova, Chic Dreamin. Os dois marcaram impressionantes 232 pontos, não sendo superados depois por nenhum outro, mesmo que outros grandes conjuntos tenham marcado notas altas como 228, 229,5, e 231. Há quem diga até que juízes foram ‘bonzinhos’ demais com as notas.

Pedro Baião

Depois do Open Futurity N4, Fappani venceu também o Open Derby N4. Chic Dreamin, que é hoje o melhor filho de Magnum Chic Dream, é um cavalo completo, segundo o treinador de Scottsdale, Arizona. “Cria da Silver Spurs Equine, ele foi treinado bem diferente do meu estilo e demorei um pouco para me acertar com ele. Desde que ganhamos o NRBC ano passado, tinha deixado ele descansando. Voltamos esse ano, não ganhamos o NRHA Derby e agora para essa prova mostramos que realmente formamos uma boa dupla juntos. Tinha certeza que de ele encaixaria bem no meu estilo”.

Os atuais campeões NRHA Futurity, Modern Gun e Duane Latimer, foram os reservados campeões com 231. Seguidos por: Jason com 230; Ifwhizswereguns e Andrea Fappani com 229,5; Shining In Town e Jason Vanlandingham, Diamonds Tinseltown e Tracer S Gilson, Ruf Lil Magnum e Thiago Boechat com 228; Walla Walla Doll e Martin Muehlstaetter, Rhett Butler Dunnit e Marco Ricotta, com 227; Spooksgottachicolena e Pedro Baião com 226,5.

O brasileiro Pedro Baião, que acabou de descobrir que vai ser pai de um menino, junto com sua esposa Ana Claudia Teodoro, e é o terceiro melhor treinador da temporada, segundo lista divulgada pela NRHA em julho, com essa nota ficou em terceiro lugar no Open Derby Nível 3. Pedro e Thiago, que se prepara para disputar com o Time Brasil os Jogos Equestres Mundiais em setembro, foram os únicos brasileiros nessa prova.

Resultados completos, clique aqui.

Por Luciana Omena
Fonte: Quarter Horse News

Escreva um comentário