Brasileiro liderou boa parte do ano na PBR, mas na reta final não obteve bom aproveitamento

No domingo, 5 de novembro, último dia de PBR World Finals 2017, Eduardo Aparecido desembrulhou sua corda americana e manteve os olhos concentrados no chão. Nos dias anteriores tinha visto suas chances de ser campeão mundial ficarem bem distantes. O brasileiro foi um dos competidores mais fortes ao longo da temporada, mas sua busca para ganhar o Campeonato Mundial teve que esperar mais um ano.

Eduardo Aparecido. Foto: Andy Watson

Foram três insucessos nos três primeiros round da Finals. Uma dura pancada para quem sonhava em chegar mais longe, e tinha chances, liderava o ranking. Acabou com duas paradas em cinco touros, pagando caro a derrota. Foram seis meses como o melhor do mundo e ele voltou para Gouvelândia, no Brasil, como o quarto  colocado no ranking final. Antes disso, defendeu o time brasileiro na PBR Global Cup, no Canadá.

“Eu estava realmente concentrado e focado em ser o Campeão do Mundo esse ano. Mas quem não tem um desempenho bom durante as finais, acaba perdendo essa chance. Estou desapontado, mas não tenho intenção de desanimar. Vou clarear minha cabeça, virar a página e pensar na próxima temporada”, contou ele com ajuda na tradução do amigo Robson Palermo. Definitivamente, o melhor ano de sua carreira. Ele está em casa no momento, no Brasil, e volta a competir dia 5 de janeiro, no Madison Square Garden, em Nova York.

Eduardo Aparecido no round 1 em Springfield.
Foto: Andy Watson

Há seis anos na PBR, o bull rider veterano teve, nesta temporada, 44 montarias bem sucedias e uma média de paradas de 51,16%. Foi em 2017 também que ele melhorou seus números de vitórias. Venceu três etapas, dois 15/15 Bucking Battle e marcou três notas na casa dos 90 pontos.

“Fiquei desapontado porque estava indo muito bem o ano inteiro. E trabalhei duro para fazer um bom campeonato. Mas foi um bom ano, não tive lesões e cheguei bem na Finals. Uma pena não ter conseguido executar o que precisava para o título. Sou abençoado pela temporada que fiz, os bons resultados, sem machucados e por me manter na liderança alguns meses seguidos.”

Eduardo Aparecido terminou a temporada 663,34 pontos atrás de Lockwood, o campeão. Ele acredita que não precisa mudar nada para 2018. Para ele, é simples: voltar a ter um ano tão bom como 2017, só que terminando com o título mundial. “Não vou mudar nada. Preciso relaxar e não pensar muito sobre o próximo ano. Continuarei a fazer as coisas do mesmo jeito, montar da mesma maneira. E chegar novamente bem para as finais, com chances de título e levar a taça para casa. Vou fazer tudo igual e espero ser o próximo campeão mundial”, finalizou.

Texto de Justin Felisko para a PBR
Adaptação Luciana Omena

Escreva um comentário