Brasileiro Junior Nogueira esteve entre os finalistas no Laço Pé, liderava o ranking, mas não chegou à disputa do título

O Washington State Fair Pro Rodeo, em Puyallup, Washington, recebeu de 6 a 9 de setembro os 24 finalistas em cada uma das modalidades para a decisão de um dos circuitos paralelos ao mundial da Professional Rodeo Cowboys Association, o Wrangler ProRodeo Tour. Com uma premiação total de meio milhão de dólares, para quem busca se firmar ou melhorar sua posição no ranking, foi uma participação muito importante.

Junior Nogueira.

Ao longo de 22 etapas, que contaram para o Tour e também para a temporada regular, os competidores foram somando pontos a fim de classificar para Puyallup. Estando lá, a briga era para passar de fase. Todos os classificados correram as duas primeiras rodadas, separados em duas turmas. As oito melhores somas – de tempos e notas – passaram para a semifinal. Tiveram a chance de disputar títulos os quatro melhores da semi na rodada final.

Portanto, sagraram-se campeões Wrangler ProRodeo Tour 2018 os atletas campeões após as quatro rodadas. Se nos dois primeiros, para classificar, os tempos e notas foram somados. Para semi e final, tempos e notas foram zerados. Valeu, para efeito de classificação final, o tempo ou a nota da última rodada, o round decisivo.

O brasileiro Junior Nogueira estava nesse time. Classificou, com seu parceiro Kaleb Driggers, para a final do Team Roping em primeiro lugar. Na rodada de abertura, não finalizaram a laçada. No segundo round, com 4s9 terminaram em quinto, somando US$ 1.193,00. O SAT no round 1 não ajudou a dupla a passar entre os oito para a semifinal. De qualquer forma, Juninho mantém a liderança do ranking mundial, agora com US$ 109.864,41. Esse final de semana também pontuou em Lewiston, Idaho.

Entre os campeões, destaque para Tyson Durfey, no Tie-Down Roping. Durante toda a temporada, ele vem traçando batalhas com Tuf Cooper e Shane Hanchey pela liderança do ranking mundial. Sua meta é chegar bem à National Finals Rodeo e ganhar a tão sonhava fivela dourada pela segunda vez.

Sua primeira vitória no Wrangler ProRodeo Tour foi de fundamental importância nessa reta final de temporada regular. Ele ultrapassou Tuf no ranking mundial neste momento. Chegando à semifinal em Puyallup, ele ficou em segundo com uma laçada de 8s1. Na final, marcou 7s4 para voltar para casa como campeão. Como foi uma etapa que pagou muito bem, ele ainda teve a sorte de Tuf e Shane não terem avançado na competição.

Tyson Durfey

O campeão mundial de Tie-Down Roping 2016 somou só em Puyallup mais de US$ 15 mil. “Eu nunca tinha ganhado o Tour. Ganhar é bom, mas ganhar uma turnê é ainda melhor, pois mostra que estamos em uma constante. Significa que consegui desenvolver meu melhor por vários meses. Estou muito agradecido por isso”, disse Durfey.

Aos 34 anos, ele também fala dessa disputa saudável pelas primeiras posições no ranking. “É muito bom estar de igual para igual com dois grandes nomes do Laço. Saber que preciso superá-los me dá ainda mais vontade de ir melhor. Já fui campeão do mundo, estou classificado para mais uma final e meu desejo é ganhar de novo”.

Com Nikko, cavalo que foi seu parceiro no campeonato mundial de 2016, Durfey ainda não consegue esquecer essa conquista. “Já fui finalista da NFR por 11 vezes e também estive em Puyallup por mais de 11 anos. Minha melhor classificação lá havia sido um segundo lugar e foi muito gratificante ver o resultado de todo o esforço sendo recompensado”, encerrou.

Também foram campeões: Bareback Riding – Richmond Champion (90 pontos; Steer Wrestling – Curtis Cassidy (4s0); Team Roping – Clay Tryan/Travis Graves (4s6); Saddle Bronc Riding – Ryder Wright (89.5 pontos); Barrel Racing – Jimmie Smith (14s41); Bull Riding – Parker Breding (86 pontos). O recorde desse rodeio na Montaria em Touros foi quebrado na semifinal quando Tim Bingham marcou 93 pontos. Essa é também a maior nota de toda a atual temporada da PRCA.

Por Luciana Omena
Fonte e Fotos: PRCA

Escreva um comentário