O Best Little Derby in the West foi realizado em Nampa, de 20 a 27 de abril

Os competidores de Rédeas dos Estados Unidos foram até o norte, até Nampa, Idaho, para competir no Best Little Derby in The West. No Derby Non Pro, foram 58 conjuntos inscritos. Loveya, cavalo que foi treinado pelo brasileiro Fernando Salgado, montado pela sua proprietária e criadora Cam Essick, de Clements, Califórnia, era o 19° a entrar em pista.

Mas isso quase não aconteceu. “Eu não estava confiante em entrar. Honestamente, cerca de cinco minutos antes de eu entrar, eu ia tirar o meu cavalo da prova. Estava na pista de aquecimento e não estava indo bem”, contou Essick, que respirou fundo e decidiu desacelerar as coisas em um último esforço para fazer com que Loveya ‘se ligasse’.

Sua tática funcionou, entraram quando chamados e marcaram 219,5 pontos. Ficaram liderando a prova até que na ordem de entrada 56, praticamente no final, Skeets Steppin Out e Sally Sutherland também encerraram sua apresentação com 219,5 pontos. Decidiram pelo desempate. Essick e Loveya voltaram para a arena para duelar mais uma vez com Skeets Steppin Out e Sutherland.

Durante a emocionante segunda passada que se seguiu, Loveya, um castrado filho de Gunnatrashya, de 2013, em Love Em N Lena Smart Little Lena), deu ainda mais do que na primeira, marcando 220,5 pontos. Acabaram ficando com o título, o bicampeonato, já que tinham ganho em 2018 também. Não só do Nivel 4, mas também do Nivel 3 e da Prime Time Non Pro, juntamente com um cheque de US$ 5.281,00.

“Graças a Deus George King tinha o meu número de telefone. Eu já não estava mais na pista, tinha colocado meu cavalo para descansar e saí para pegar comida, porque estávamos com fome!”. De acordo com Essick, o tempo de reaquecê-lo foi curto, colocou o freio de volta, a sela, fez alguns círculos na pista de aquecimento e voltaram para o desempate.

“Era o melhor que eu podia fazer, então entrei tranquila, só queria fazer as coisas corretas e apresentar meu cavalo bem. Loveya é um cavalo realmente bom”, reforçou Essick, acrescentando que ela tem muita confiança nele e é muito grata por quão bom cavalo ele é. Ela também reforça que monta por prazer e não visando somente o prêmio. E essa prova é uma das que ela gosta muito de competir.

“Fico empolgada quando chega a época de ir a Nampa, encontramos muitos concorrentes diferentes, todo mundo se sente bem. É um sentimento contagiante, encontramos um ambiente único. Cada pessoa que trabalha lá nos ajuda a sorrir e entrar em pista animados”. Outras informações e resultados completos, clique aqui.

Fonte: Quarter Horse News
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Foto: Caleb Tipton

Escreva um comentário