A pontuação do ranking mundial da modalidade é feita de forma individual para cabeiros e pezeiros, portanto pode-se laçar com quem quiser

O Team Roping é uma modalidade onde a sincronia reina. Para isso, pensamos que seja ideal que cabeiros e pezeiros lacem cada vez mais tempo juntos, tanto nos treinos como nas competições. Quanto mais um conhecer o outro e seus cavalos, melhores as chances de êxito. Claro, que isso não significa laçar apenas com um parceiro fixo.

Na PRCA, por exemplo, as duplas de mais destaque têm um primeiro parceiro, que eles chamam, que é com quem laçam mais vezes e de forma oficial. Mas todo mundo mantém uma segunda opção, com alguém que já conheça bem. O importante é pontuar. E, ao longo da temporada, alguns parceiros vão mudando.

Como é o caso de David Key, que voltou a laçar com Rich Skelton (foto de chamada); Aaron Tsinigine formando dupla com Patrick Smith; e Charly Crawford laçando cabeça para Logan Medlin. A temporada de primavera está em andamento, logo os profissionais acabam por reavaliar suas performances até o momento. Promovendo, em alguns casos, algumas mudanças, visando melhorar ainda mais para a agitada e decisiva temporada verão na PRCA.

Patrick Smith

Em 2009, David Key e Rich Skelton terminaram a temporada ficando em quarto na classificação mundial da PRCA no Team Roping, após uma ótima participação na National Finals Rodeo daquele ano. Depois de laçar com Martin Lucero até 2015, Key decidiu se afastar do rodeio para ficar mais em casa, com a família. Nove vezes finalistas da NFR, ele também se dedicou a ministrar cursos nesse tempo.

Após um intervalo de três anos, Key está de volta e laçando com Skelton, que é oito vezes campeão mundial de Laço Pé. Skelton laçou com Nelson Wyatt nos rodeios de inverno, mas sentiu que precisava mudar e ligou para Key. “Não era algo que eu estava pensando em fazer. Descobri como ganhar a vida sem estar no rodeio em tempo integral e estava sendo suficiente para mim. Quando Rick me ligou, convidando para voltar a laçar com ele, pensei por três dias e aceitei”.

O retorno deles juntos foi no Clark County Fair & Rodeo, em Logandale, Nevada, em que ficaram em sétimo lugar, pontuando. “Acho que o que me motivou a voltar é poder estar novamente com um parceiro tão bom e poder ter a chance de ir para a NFR mais uma vez. Hoje em dia se paga muito mais e isso também é um atrativo”, contou Key.

Outra dupla que voltou às arenas foi Aaron Tsinigine, campeão da etapa Las Vegas na National Finals Rodeo 2018 e campeão mundial 2015, e Patrick Smith, bicampeão mundial de Laço. “Estou muito animado em começar com Tsinigine. Tenho trabalhado duro, como cinco ou seis anos atrás, para me certificar de que estou preparado e pronto para fazer o que for preciso”, disse Smith. Os dois já ganharam juntos o Wildfire Open to the World em 2017.

Logan Medlin

Tsinigine optou por laçar com Smith depois que seu parceiro no começo de 2019, Kyle Lockett, ganhou US$ 50.000 no RodeoHouston com Ty Blasingame. Os dois passaram então a figurar no topo do ranking e estão praticamente qualificados para a NFR. Lockett não esteve tão presente nas etapas ano passado, mas estava indo com Tsinigine a alguns rodeios, ganharam até em San Angelo esse ano.

Nesse meio tempo, Tsinigine já estava com outro parceiro, então Lockett foi a Houston com Blasingame. Com a premiação que ganhou sem Tsinigine, os caminhos realmente acabaram se separando.

Do outro lado, Smith também se desfez de sua dupla para formar a nova. Então, seu antigo parceiro Charly Crawford, nove vezes classificado para a NFR, teve que mudar também e agora irá laçar com Logan Medlin, campeão Hork Dog e bicampeão Laço Pé no College National Finals Rodeo.

“Charly e eu somos bons amigos. Falamos sobre isso um pouco no passado, sobre algum dia laçarmos juntos. As circunstâncias simplesmente fizeram isso acontecer, então decidimos que iríamos em frente”.

Eles já laçaram juntos, mas apenas em jackpots. Agora estão planejando voltar e estar na PRCA para chegar fortes a Reno, o começo da temporada de verão. “Qualquer cara com a experiência de Crawford irá me ensinar os caminhos para chegar à NFR. Estou muito animado, ansioso, ele tem bons cavalos, acho que vai ser muito bom”, finalizou Medlin.

Fonte e Fotos: Team Roping Journal
Tradução e adaptação: Luciana Omena

Escreva um comentário