Brasileiro tornou-se ídolo mundial e detém, no momento, o recorde de sucesso nas montarias, com 635 paradas na carreira pela PBR

A conclusão da Final Mundial da PBR não foi apenas o final da temporada de 2018, mas também foi encerramento da carreira de um dos atletas mais amados da entidade. O campeão mundial de 2008 Guilherme Marchi tirou sua última corda de um touro nas arenas americanas no domingo, 11 de novembro, após sua 15ª participação na World Finals.

Guilherme Marchi
Sean Gleason e Guilherme Marchi

Durante a quinta rodada na T-Mobile Arena, em Las Vegas, o CEO da PBR, Sean Gleason, entregou a Guilherme uma placa comemorativa por sua carreira e homenageou o cowboy veterano. O ídolo foi levado às lágrimas ao ouvir a plateia e o grande apoio de todos os que são seus fãs. “Mais do que todas as suas realizações na arena, ele tem sido um amigo, um mentor”, disse Gleason.

E ele completou: “Eu não consegueria pensar em um melhor embaixador para o esporte de montaria em touros e da marca Professional Bull Riders do que Guilherme Marchi. Ele pode estar se aposentando das arenas, mas você vai vê-lo muito mais, porque eu não vou deixá-lo ir muito longe”.

Guilherme Marchi
Com JB Mauney em uma das apresentações dos campeões durante a PBr World Finals

Guilherme precisou de alguns minutos para recompor a emoção enquanto era ovacionado pela multidão. E falou: “Eu apenas digo a vocês, se vocês têm um sonho, apenas acredite em si mesmo. Nunca perca sua fé. Faça o seu sonho se tornar realidade, como o meu sonho, meu sonho americano, se tornou realidade”.

Entre todos os seus feitos, é o competidor que mais tem paradas na série principal da PBR de todos os tempos, com 635 montarias válidas. E está empatado com Mike Lee em 15 participações na PBR World Finals. Em 2008, ele completou uma das melhores temporadas da história da PBR.

Guilherme Marchi
Foram 635 montarias válidas na carreira pela PBR americana

Teve um aproveitamento de 72,55% em seus touros – parou 74 dos 102 que montou naquele ano. Ganhou cinco etapas e marcou 13 notas na casa dos 90 pontos a caminho do título mundial. Seu título veio depois de três vice-campeonatos consecutivos. Chegou aos Estados Unidos em 2004, foi vice-campeão mundial em 2005, 2006, 2007 e 2012, e campeão mundial em 2008. Ganhou mais de US$ 5,3 milhões em sua carreira, o terceiro maior de todos os tempos.

Guilherme anunciou sua aposentadoria na etapa de Tulsa, em agosto. E tem estado em paz com sua decisão desde então, concentrando-se em aproveitar seus últimos meses na PBR. Em sua última final mundial, encerrou a temporada com o 23° lugar no geral. Parou em três dos seis touros da etapa, e terminou em 17° lugar. Ele foi um dos cinco atletas que fizeram 100% de aproveitamento nas três primeiras rodadas.

Antes de se despedir de vez, Guilherme montará na PBR Brasil, nas duas últimas etapas da temporada brasileira. Quer se despedir de seus fãs em seu país de origem. Natural de Três Lagoas/MS, ele só tem uma palavra na cabeça nesse momento: gratidão. “Obrigado a todos, todos os meus fãs”.

Ainda emocionado, ele disse que todos os que admiram sua carreira são parte de sua família. “E eu vou sentir falta. Todos os dias eu construo minha vida, e sempre estive montando em touros. Então, agradeço também a todos os donos de boiadas, todos os bull riders e bullfighters, ao staff da PBR, aos membros da equipe médica esportiva, à TV e a todos os patrocinadores”.

Para os mais novos, o conselho é continuar montando forte e mantendo a mente sempre fortalecida. “Nunca perca a sua fé, acredite em si mesmo, porque você pode tornar seu sonho realidade. Ninguém mais. Eu amo todos vocês. Graças a Deus por tudo que ele fez na minha carreira.”

Fonte e Fotos: PBR

Escreva um comentário