Internacional

Jerome Davis marca sua história como um dos mais notáveis bullriders

Com uma história de superação fantástica, Jerome Davis é um dos fundadores da PBR e ficou tetraplégico quando liderava o mundial no auge da carreira

Jerome Davis foi campeão mundial pela PRCA em 1995 e um dos principais atletas da PBR antes de ficar tetraplégico em 1998. Com sua carreira de competidor encerrada inesperadamente, continuou no rodeio como dono de boiada e, por muitos, anos atuou no Conselho de Administração da PBR, entidade que é um dos fundadores. Em 1998 recebeu o Ring of Honor da PBR e é mentor de muitos dos talentos, como JB Mauney e Brian Canter.

Nascido em Colorado Springs, colorado, em 1972, Jerome Davis, 58, foi criado no rancho da família em Archdale, Carolina do Norte. Em contraste com suas paixões de infância como motos, caça e pesca, ele nunca escondeu seu interesse pela Montaria em Touros. Começou cedo, aos 11 anos, tendo se destacado nas categorias de base do rodeio americano, como os campeonatos escolares. Assim como continuou a ser destaque quando ingressou na faculdade de Odessa, Texas.

Até tornar-se profissional pela PRCA em 1992. Com seu Card mãos, em pouco tempo já era destaque nos principais eventos da temporada. Chamando atenção, inclusive, para ser convidado a atuar no filme sobre a vida de Lane Frost. Todas as cenas de montaria têm Jerome Davis como ‘dublê’ do ídolo. Já em 1995, aos 23 anos, alcançou o título mundial da PRCA, vencendo nove dos dez touros da final e somando US$ 135 mil. Sempre entre os ‘mais mais’, marcou seu nome na história da PRCA a ficar cinco anos seguidos entre os cinco melhores do mundo.

Jerome ao lado de alguns fundadores da PBR durante o Heroes & Legends 2011

PBR e Jerome Davis

Não só a PBR faz parte da história de Jerome Davis, como também ele faz parte da história dela. Em 1992 foi convidado a participar de uma reunião em um quarto de hotel no Arizona, com outros 17 conhecidos atletas. Acima de tudo, o intuito da reunião era dar uma nova cara a Montaria em Touros. Como resultado, nasceu a Professional Bull Riders e o atleta, aos 21 anos, foi o mais jovem do grupo de fundadores.

Contudo, apesar de não ter sido campeão mundial pela PBR, Jerome Davis foi um dos mais vitoriosos e, certamente, um dos mais talentosos que já passaram pela associação. Esteve em todas as finais mundiais enquanto competia (1994-97) e bateu recordes em ganhos, notas acima dos 90 pontos, entre outras estatísticas.

Com uma história de superação fantástica, Jerome Davis é um dos fundadores da PBR e ficou tetraplégico quando liderava o mundial no auge da carreira
Jerome atuou pela PRCA e pela PBR (foto)

Acidente

Na noite de 14 de março de 1998, Jerome Davis liderava o campeonato mundial da PBR e montou Knock’em Out John durante a etapa de Fort Worth, Texas. Sua última montaria, já que a batida cabeça com cabeça do touro o jogou ao chão desacordado e o competidor caiu sobre o pescoço, fraturando a sexta e a sétima vértebras. Assim sendo, seu corpo ficou totalmente paralisado. Os cuidados médicos e a cirurgia no dia seguinte de nada adiantaram. Aos 25 anos ficou sem os movimentos do pescoço para baixo.

Uma história de superação fantástica e exemplo de persistência, muitas horas de fisioterapia. Sua fé e sua luta incansáveis lhe devolveram os movimentos parciais das mãos e ele hoje consegue segurar objetos leves como uma pessoa normal. As dificuldades ele encara como fortalecimento e sempre pensa positivo buscando metas em sua reabilitação. Nesse mesmo ano, que podia ter terminado apenas com um legado triste, Jerome Davis se casou e recebeu o Ring of Honor da PBR. Sua última grande montaria foi algumas semanas antes, durante o evento de Saint Louis. Montou o touro Red Wolf e marcou 92,50 pontos.

Com uma história de superação fantástica, Jerome Davis é um dos fundadores da PBR e ficou tetraplégico quando liderava o mundial no auge da carreira
Exemple de força e superação, Jerome deu uma volta por cima após seu acidente

No Brasil

O ídolo norte-americano de Montaria em Touros competiu em arenas brasileiras. Em agosto de 1994, convidado por Adriano Moraes, esteve na segunda edição do Barretos International Rodeo, juntamente com os melhores competidores da PRCA na época. Do mesmo modo em que retornou ao nosso país em edições seguintes da Festa do Peão de Barretos, fechando sua participação em 1997. Aliás, montar em touros era o que o deixava completamente realizado, seu sonho, que ele seguiu com muito talento até a vida lhe pregar uma peça.

Entre suas atividades também estão a produção de eventos de Laço e Tambor e uma etapa da segunda divisão da PBR, que anualmente atrai os grandes nomes da modalidade a sua cidade.  Constantemente Jerome e sua esposa são vistos em eventos da principal divisão da PBR. Sua vitoriosa carreira e história de vida já foi tema de matérias nas importantes revistas americanas People e Sport’s Illustrated, entre outras, além de programas especiais nos canais Discovery Channel, Extra e TNN.

Por Luciana Omena
Colaboração: Abner Henrique
Crédito das fotos: Reprodução/Facebook

Veja mais notícias no portal Cavalus

X