Internacional

King Ranch e WT Wagoner Estate homenageados pela AQHA

Dois criatórios centenários, fazendas históricas com raízes profundas na indústria do cavalo de trabalho em mais um tributo

Publicado

⠀em

King Ranch e WT Wagoner Estate homenageados pela AQHA

Todos os anos, a AQHA – American Quarter Horse Association homenageia criadores que dedicaram seus meios de subsistência para manter a integridade da raça Quarto de Milha. São cavaleiros, amazonas e suas famílias, recebendo reconhecimento por suas maiores conquistas, motivo de orgulho pelo legado e os cavalos que ainda criam.

“É uma honra reconhecer os criadores que são a espinha dorsal de nossa Associação e raça. E, pela primeira vez na história da AQHA, temos o privilégio de conceder dois 100-year breeder awards (prêmio para criadores com 100 anos de atividade)”, comenta Karen McCuistion, diretora sênior do programa de membros da AQHA. “Eles mantêm viva a tradição do cavalo Quarto de Milha americano através de conhecimento e dedicação, e garantem que o sucesso da raça continue por muitas gerações.”

E estamos falando dos famosos King Ranch, que entre outros, criou Peppy San Badger, e WT Wagoner Estate, a casa de Poco Bueno, duas fazendas históricas, com raízes profundas na indústria do cavalo de trabalho western. Criatórios que estão ativos há mais de 100 anos e são parte forte da estruturação da AQHA e do Quarto de Milha.

Vale lembrar que, embora a AQHA e o registro dos cavalos da raça Quarto de Milha tenham sido fundados em 1940 (há 82 anos), essas duas fazendas já possuíam cavalos antes. Vários dos quais foram inspecionados e admitidos para registro assim que a AQHA foi formada.

Para que os criatórios entrem nesse rol de homenageados por todo legado, é preciso que tenham registrado pelo menos um potro consecutivamente no período total do prêmio. Este ano, entre os homenageados pela AQHA estão sete criadores com legado de 50 anos, um criador com legado de 75 anos e os dois criadores destaques da nossa reportagem, que criam cavalos Quarto de Milha há mais de 100 anos.

King Ranch e WT Wagoner Estate homenageados pela AQHA
King Ranch

King Ranch

Apelidada de ‘The Birthplace of American Ranching’, algo como o ‘o berço da pecuária americana’, a King Ranch foi fundada em 1853. Tudo começou com o capitão Richard King, que foi para o Texas em 1846 durante a Guerra Mexicana/Americana. King esteve em partes do sul do Texas como um capitão de barcos a vapor e decidiu que seria o lugar ideal para uma fazenda.

Ele logo começou a comprar terras na área e, com duas concessões totalizando 68.500 acres (265 mil Km²), o núcleo principal da King Ranch surgiu. A linhagem vencedora e de sucesso começou com Old Sorrel, que nasceu em 1915. Em 1941, a King Ranch teve seu primeiro cavalo registrado pela AQHA ao vencer uma competição no Fort Worth Stock Show. A honra foi para um garanhão chamado Wimpy, que tinha Old Sorrel em ambos os lados de seu pedigree.

No final dos anos 1970, a fazenda comprou Mr San Peppy (Leo San (por Leo) x Peppy Belle), o cavalo mais jovem a ser coroado campeão mundial pela NCHA. E também foi o cavalo mais novo a ser nomeado para o NCHA Hall of Fame. Entre seus filhos ganhadores, Peppy San Badger, mais conhecido como ‘Little Peppy’, que se tornaria um dos animais mais importantes do Quarto de Milha no mundo.

Hoje, a propriedade familiar chamada King Ranch está em sua sétima geração. A fazenda tem extensos interesses agrícolas, além de pecuária e cavalos. É líder geral do AQHA Ranching Heritage Breeder, como o maior criador de todos os tempos em número de potros. Foram mais de 7200 em uma história que continua a produzir cavalos de alta qualidade.

WT Wagoner Estate

WT Wagoner Estate

Localizado 21 km ao sul de Vernon, Texas, o Wagoner Ranch foi usado, principalmente, para plantação, gado de corte, cavalos e produção de petróleo. Era, e é até hoje, notável por ser o maior rancho em área dos Estados Unidos.  Originalmente criado em 1849, por Daniel ‘Dan’ Wagoner, que migrou do Tennessee para o Texas em 1840, foi a ‘casa’ da lenda Poco Bueno.

Em 1852, quando Dan começou o rancho, tinha 230 cabeças de Longhorns e alguns cavalos. Passou a comprar terras no oeste do condado de Wise em 1870, construindo seu legado. Tom, seu filho, trabalhava com o pai. Em ações ousadas para a época, viram logo um império sendo erguido.

Dan faleceu em 1902 e foi Tom que continuou a expandir e operar seus interesses até 1923. Ano em que mudou o nome do rancho para WT Wagoner Estate, terras que se estendem por seis municípios, com sede em Vernon desde 1954. Os filhos de Tom – Guy, E. Paul e Electra – também deram sequência ao negócio da família.

A extensão do rancho chega a aproximadamente 525.000 acres contíguos (2124.600km²). Emprega cerca de 100 pessoas, entre cowboys, trabalhadores rurais, trabalhadores de campos de petróleo a funcionários de escritórios. A administração se esforça constantemente para implementar técnicas modernas comprovadas na operação, tornando a WT Wagoner Estate, Inc. uma das maiores empresas de pecuária e equestre dos Estados Unidos.

Edward Paul Wagoner (1889–1967) talvez seja o nome mais conhecido dessa família para os quartistas. Foi ele que comprou Poco Bueno e investiu no cavalo como garanhão. O comprou em um leilão por cinco mil dólares e o tornou uma lenda para o rancho e para a raça.

King Ranch e WT Wagoner Estate homenageados pela AQHA
King Ranch e WT Wagoner Estate

Jantar da AQHA concederá o prêmio oficialmente

Os homenageados pela AQHA criam seus cavalos Quarto de Milha para uma série de eventos, incluindo Rédeas, Corridas, Apartação, Ranch e Rodeio. Todos dedicaram pelo menos 50 anos para dar o seu melhor e torná-lo melhor.

Os criadores com mais de 50, 75 e 100 anos de atividade serão reconhecidos no AQHA Breeder Recognition Banquet, programado para ser realizado durante a Convenção AQHA de 2023, dia 26 de fevereiro.

Por Luciana Omena • Redação Cavalus
Fonte: AQHA e Quarter Horse News
Fotos/crédito: Arquivo/Divulgação

Mais notícias no portal Cavalus

WordPress Ads
WordPress Ads