Em seu primeiro ano na maior associação independente de Laço em Dupla do mundo foi sucesso total

Kyla Stamps começou a laçar aos 11 anos de idade. Toda sua família é ligada ao cavalo. Seu pai treina seus cavalos, sua mãe compete em Três Tamboes e sua irmã, de 9 anos, começou a laçar também. “O mais divertido de laçar é que posso fazê-lo ao lado de toda minha família”, conta Kyla, que terminou 2018 com o título de Money Earner da USTRC Ladies.

Traduzindo: ela foi a lançadora da categoria só para mulheres que mais ganhou dinheiro – US$ 38.819,00 – na temporada em provas da United States Team Roping Championship. Em seu primeiro ano competindo na USTRC, Kyla administrou bem uma vantagem do ranking em ganhos. E na grande final ainda ficou com um segundo lugar na Junior NFR #10. Classificando para Las Vegas em dezembro e pegando outro segundo lugar.

“Ter um final de temporada satisfatório significou muito, já que meu ano não foi tanto flores como eu gostaria. Me machuquei e passei muito tempo em hospitais. Por conta disso, perdi muitos parceiros, já que eu não estava pontuando”, conta ela, que em junho teve uma reação alérgica, depois em julho quebrou a mão jogando Vôlei, ficando meses em tratamento.

Kyla Stamps

Na época das finais, ela sentia muita dor do lado direito do abdômen, mas não parou de treinar por conta das competições importantes. Mas no começo desse ano o quadro piorou Kyla chegou até a pensar que tinha um tumor. Felizmente, era um cisto ovariano, de fácil cuidado. Ela operou e já se recuperou para voltar às pistas com seu parceiro Kaleb Macias.

Entre as maiores lições que aprendeu com a temporada passada, encabeça a lista, principalmente, como vencer em diferentes configurações e como não deixar a pressão afetá-la. “Especialmente no começo do ano, deixei a pressão chegar a mim e não consegui fazer o que precisava. Mas, no final, sinto que fiquei mais forte”.

Kyla também tem experimentado laçar pé em algumas provas, sendo que sua posição oficial é a cabeça. Mas, nas categorias só para mulheres, há muitas cabeceiras, especialmente entre as mais jovens, então ela quer laçar pé também e formar novas parcerias. Enquanto isso, ela treina seus cavalos, Fritos e Maui. Com o primeiro ela já vem montando há alguns anos. O segundo, levou para as primeiras provas recentemente.

Para 2019, ela projeta outro bom ano e quer voltar à liderar o ranking geral de ganhos da USTRC Cinch Ladies.

Fonte e Fotos: Team Roping Journal

Escreva um comentário