A competidora e treinadora, ela é a pessoa mais velha a vencer os Três Tambores na WPRA e NFR 

Mary Burger nasceu em 18 de agosto de 1948. De sobrenome Lichtle, nasceu na cidade de Decatur, Indiana, Estados Unidos, em uma família de três irmãs e se tornou uma lenda vida dos Três Tambores mundial.

Cresceu montando cavalos, entretanto, quando jovem, foi diagnosticada com a doença de Legg-Calvé-Perthes, uma doença rara da infância. Sua condição dificultava a caminhada. Como resultado, seu pai comprou um pônei para ela, que começou a andar agilmente e também ajudou em sua cura.

tres tambores
No Rodeo Houston, um dos maiores do mundo

Ela compareceu a todas as provas de cavalos perto de sua casa e também competiu pela American Quarter Horse Association (AQHA), pela qual venceu nove campeonatos.

Casou-se com Kerry Burger, um ferrador muito respeitado. Sempre treinando cavalos em sua jornada, Mary começou a competir profissionalmente nos Três tambores 1984, aos 36 anos.

A americana é bicampeã mundial na modalidade. O primeiro título veio em 2006 quando disputou rodeios por todo os Estados Unidos e venceu a National Finals Rodeo. Não bastasse isso, ela é muito admirada por ter conquistado um desses títulos aos 68 anos de idade, em 2016, exatamente dez anos após a primeiro grande triunfo.

tres tambores
No round 7 da NFR 2016 ao marcar 13s58

Com o feito, Mary Burger se tornou a pessoa mais velha a vencer um Campeonato Mundial na Associação Profissional de Rodeio Feminino (WPRA) ou na Professional Rodeo Cowboys Association (PRCA), estabelecendo um novo recorde e quebrando o recorde estabelecido por Mary Walker, em 2012, que conquistou aos 53 anos o WPRA.

2016 definitivamente foi um ano de glória para Mary Burger. Além de ganhar o mundo, ela se tornou a terceira competidora de Três Tambores WPRA a também ser a número um na NFR. Este fato lhe rendeu-lhe ainda o recorde em ganhos da temporada. Seus cavalos, Mo e Fred, foram treinados pela própria Mary.

Naquele ano, a estrela de Mary Burger começou a brilhar no mês de julho, durante o Calgary Stampede, conhecido como o maior rodeio do mundo, realizado na cidade de Calgary no Canadá.

tres tambores
Mary Burger com o cheque de Calgary

Durante os três dias de competição, ela levou o prêmio máximo destinado aos Três tambores:  US$ 16.500,00 e uma vaga na final. Vencendo o rodeio, ganhou o maior teste de sua carreira profissional e levou para casa um cheque de US$ 100.000,00 naquele fim de semana. Aplaudida em pé por quem assistia aquela prova.

Ainda em 2016, Mary se classificou em primeiro lugar para a NFR, a grande final do rodeio mundial. Ela liderava o ranking de atleta dos Três Tambores que mais havia ganhado dinheiro naquela temporada.

Na NFR, são dez dias de competição entre as 15 melhores cowgirls do ranking mundial. As disputas são extremamente acirradas e a conquista do título veio apenas na décima rodada, no último dia de apresentação.

Seu cavalo Mo foi nomeado vice-campeão Cavalo do Ano da AQHA/WPRA. Mo também recebeu o prêmio de Estrela em Ascensão do Scotch Flit Bar.

Ela ganhou, em 2016, um total de US$ 86.577,00 só na NFR. A temporada de vitórias e os prêmios da final lhe deram uma soma de US$ 277.554,00, a maior entre todos os competidores de Três Tambores naquele ano, o que a tornou campeã mundial WPRA.

três tambores
Mary Burger na NFR 2106

“Deus tem seu plano”, ela disse após ser a melhor do mundo com 68 anos. É por isso que ela não fica nervosa ao entrar em pista. Seus próximos planos incluem manter Mo e se divertir mais com ele. Em 2017, ela foi introduzida no National Cowgirl Museum e no Hall of Fame da ProRodeo.

Por Juliana Antonangelo
Fotos: Arquivo

Escreva um comentário