Etapa de Little Rock teve dois brasileiros no top 3, Luciano de Castro e Eduardo Aparecido

Montando com uma perna quebrada e os ligamentos do joelho rompidos, JB Mauney, de Mooresville, Carolina do Norte, fez o impossível quando ganhou a etapa da Professional Bull Riders. Pela divisão principal, o rodeio foi realizado em Little Rock, Arkansas. O bicampeão mundial parou nos três touros que montou na Verizon Arena, dando um salto no ranking.

Da 50ª posição do mundial, Mauney agora é o 9º colocado. Tudo isso graças à sua performance. Foi a 32ª vitória da sua carreira, fato que o deixa de igual para igual com o também bicampeão mundial Justin McBride, na lista dos maiores de todos os tempos.

Na sexta, dia 1°, Mauney marcou 88,25 pontos a bordo de Skyfall. No Round 2, já no sábado, dia 2 de março, ele montou Stone Cold Crazy e marcou 84,5 pontos. Chegou à rodada final animado e escolheu confiantemente Big Black para montar. Ele sabia que escolhendo um bom touro teria boa chance de vencer.

“Os dois últimos caras que montaram esse touro antes de mim haviam tirado mais de 90 pontos, então arrisquei. Eu sabia que tinha que montar e conseguir a vitória no round para vencer a etapa. Fiz o que tinha que fazer, simples assim. Levantar-se quando você está para baixo é algo inerente aos cowboys”, contou Mauney.

E deu certo! Não só parou em Big Black como marcou 90,75 pontos. O brasileiro Luciano de Castro também marcou a mesma nota, mas Mauney tinha pontos de vantagem e ficou com o título. Somou 545 pontos para o ranking e US$ 37.150,00. Foi sua primeira vitória desde abril de 2017.

JB Mauney

“Finalmente!”, disse Mauney já no vestiário após a premiação. “Sinto como se tivesse sido atropelado por um caminhão. Minha perna e meu joelho estão doendo demais”. Aliás, ele tem uma série de ferimentos graves nos 692 dias que separaram suas duas últimas vitórias na PBR, a de 2017, em Billings, e a de agora, no Arkansas.

A lista começa dia 14 de julho de 2017, com uma lesão no ombro direito; passando por virilha direita rompida; fratura na coluna; até chegar a 27 de janeiro de 2019, com uma fratura na perna esquerda e ligamentos rompidos do joelho. Isso sem contar nas lesões menores.

“Física e mentalmente, esta tem sido a parte mais difícil da minha carreira. Parece um efeito dominó que não quer parar”. Ele ficou algumas rodadas tentando se recuperar e resolveu ir a Little Rock. Sentiu muita dor, desceu dos bois sem quase conseguir pisar no chão, amparado pela equipe médica.

“Para ser um bull rider, é preciso ser duro na queda. Quando se tem um trabalho a fazer, não há machucado que possa impedir”. Mauney tem 32 anos e, além do recorde do maior número de vitórias, está prestes a chegar ao segundo posto com maior número de paradas. Tem 524 contra 525 de Mike Lee. O brasileiro Guilherme Marchi lidera esse ranking, com 635 montarias válidas.

O segundo lugar foi para o vencedor em Little Rock ano passado, Luciano de Castro. O brasileiro teve uma parada a menos que Mauney, duas em três touros. Na primeira rodada marcou em Bulls Eye 88,5 pontos, mas acabou caindo de Smooth Over em 7s67 segundos na segunda rodada.

Luciano de Castro

Ele se recuperou no round final ao montar Canadian Mist e empatar com Mauney com 90,75 pontos. Pelo segundo lugar, Luciano conquistou 380 pontos para o ranking e US$ 19.800,00. Na classificação mundial, ele subiu uma posição e agora é o quarto melhor da lista. O terceiro lugar ficou para outro brasileiro, Eduardo Aparecido, somando 242,5 pontos e US$ 10.325,00. Sua posição no mundial é 28º lugar.

Jess Lockwood manteve a liderança, por 197 pontos apenas em relação ao segundo colocado, o brasileiro João Ricardo Vieira. João, que venceu o PBR Iron Cowboy há duas semanas, foi campeão do poderoso The American dias atrás. Cody Nance ficou em quarto nessa etapa e o quinto lugar foi de Dakota Buttar, campeão da primeira rodada em Arkansas.

Dias 9 e 10 de março acontece a próxima etapa, a nona da temporada, em Duluth, Georgia.

No mesmo final de semana, Carnaval aqui no Brasil, no dia 2 de março, pela segunda divisão da PBR, Real Time Pain Relief Velocity Tour, em Lexington, Kentucky, brasileiros pontuaram. Paulo Ferreira Lima foi segundo lugar, Lindomar Lino em terceiro e Alex Cardozo em quarto (empatado). Na etapa da RVT em Hampton, Virginia, Ueberson Duarte garantiu a segunda posição.

Por Luciana Omena
Fonte e Fotos: PBR

Escreva um comentário