Quando a maioria dos fãs pensa na PBR, imediatamente apontam para os mais de 26 eventos da série principal nos Estados Unidos

A Professional Bull Riders realizada anualmente nos Estados Unidos sua principal divisão – hoje chamada de Unleash The Beast -, apresentando os 35 melhores atletas do mundo e os melhores touros. No entanto, se prestar atenção, verá bull riders de um grupo diversificado de nações, incluindo Austrália, Brasil, Canadá, México, Nova Zelândia e Paraguai.

Grande parte dos mais de 200 eventos anuais da PBR são realizados no exterior – Austrália, Brasil, Canadá e México. De onde são, por exemplo, o atual campeão mundial Kaique Pacheco (Itatiba, São Paulo, Brasil); o sete vezes finalista mundial Lachlan Richardson (Gresford, New South Wales, Austrália); o duas vezes vencedor do Glen Keeley Award Dakota Buttar (Kindersley, Saskatchewan, Canadá) e o duas vezes campeão mexicano Juan Carlos Contreras (Huichapan, Hidalgo, México).

“Realmente isso resume a singularidade do esporte em si”, explicou o vice-presidente sênior de marketing da PBR, Dave Cordovano, sobre o apelo global do esporte. “Os fãs são atraídos pela natureza extrema e pelo perigo do esporte, mas depois são cativados pelo caráter genuíno dos atletas e da comunidade que os apoiam”.

Recentemente, o apelo universal do esporte permitiu que as divisões internacionais atingissem novas metas. Na Austrália, nesta temporada, lançaram um estádio construído especificamente para o público. O local deixa os fãs mais perto da ação e possui um mega-telão customizado para levar o público aos bastidores. Foi construído em resposta à demanda australiana pelo esporte.

Se trata de um estádio móvel, que pode ser montado em qualquer cidade.Na Austrália, as cidades não possuem estádios para abrigar as competições e essa solução foi a melhor que permitiu levar a PBR a diversos locais com infra de primeira. A Monster Energy foi a principal patrocinadora, oferecendo uma bolsa de US$ 1,1 milhão. Apoio, sem dúvida, fundamental para o fortalecimento da PBR no país.

A expansão australiana no rodeio também chega a uma nova parceria com a World Champions Rodeo Alliance, ao lançamento do programa Rising Star – um programa de orientação para novos competidores -, ao ABBI Australian Heritage, e à ida das etapas também para o estado de Victoria. Mas, segundo Cordovano, para 2019 a ideia é atingir a Austrália Ocidental, Nova Zelândia e Tasmânia. Além de dar oportunidades na Ásia e no Oriente Médio também.

Quando se volta o foco para o Brasil, ninguém se surpreende que a nação que conquista sete dos dez melhores atletas do mundo no final de 2018, incluindo o campeão Mundial Kaique Pacheco, também tenha experimentado um crescimento incrível.

Entre os destaques, está a parceria firmada com a empresa líder em esportes e entretenimento IMM. Como parte da parceria de vários anos, a IMM trabalhará com a PBR para criar novos eventos, em um formato que atraia mais o público. “Basicamente, vamos reforçar nosso conhecimento e experiência no esporte unindo forças com a capacidade de marketing da IMM”, reiterou Cordovano.

O título de Kaique, com toda certeza, é a conquista mais especial do Brasil nessa temporada. Ele é o sexto brasileiro diferente a ganhar o campeonato mundial, somando para o país dez títulos ao todo. O primeiro desde que Silvano Alves conquistou seu terceiro título em 2014. Segundo Cordovano, esse feito, certamente, servirá para renovar as forças da PBR com o público e as marcas do Brasil.

Outra ação implementada para os fãs da PBR no Brasil foi a transmissão em português da PBR World Finals pela plataforma RidePass.com. Através de assinatura, o público brasileiro pode acompanhar Rafael Vilella e Adriano Moraes narrando e comentando tudo sobre a grande final mundial. Formato que já chegou às etapas do Brasil no rodeio de Goiânia em novembro.

Se viajarmos milhares de quilômetros para o Norte, chegaremos ao Canadá. País que tem o maior rodeio outdoor do mundo, o Calgary Stampede, que esse ano teve uma etapa da PBR com sucesso total. A temporada regular da PBR Canadá já tem 11 etapas planejadas para 2019, contra nove em 2018 e seis em 2017.

O Monster Energy Tour tem sido fundamental para o crescimento do esporte no país. Entre os marcos dessa temporada também, casa cheia para a estreia da etapa de Halifax e nos dois dias da final canadense em Saskatoon. E como o tema é expansão, as etapas da PBR Canadá de 2019 irão para a TV, incluindo a Unleash The Beast e a Global Cup.

Completando a lista de nações onde a PBR realiza eventos, Cordovano também está satisfeito com o caminho dos negócios mexicanos. “O México forneceu um conjunto único de desafios para nós ao longo dos anos. Hoje temos uma sólida parceria com o Modelo Del Centro e estamos trabalhando em conjunto para aumentar os eventos e patrocínios no país”.

Um dos pontos chave que o diretor de marketing da PBR acredita que solidificará ainda mais essa expansão mundial é a presença da PBR Global Cup nos Estados Unidos e nos países filiados. A ‘Copa do Mundo’ da PBR fará sua terceira etapa em fevereiro de 2019 nos Estados Unidos, depois de visitar Edmonton, Alberta, Canadá e Sydney, na Austrália.

O formato da competição é muito emocionante e essa é a posta para que o esporte se forme ainda mais no mundo todo. A tendência, segundo Cordovano, é só aumentar e crescer. Cada país compete pelo título por equipes, o que eleva o sentimento de patriotismo do público. Os Estados Unidos foram campeões da primeira etapa e o Team Brasil venceu a segunda.

“Seja nas Olimpíadas, na Copa do Mundo da FIFA, na Taça Ryder de Golfe ou no The Ashes no Críquete, nada traz mais fãs do que poder torcer pelos atletas de seus países. E a PBR Global Cup está cumprindo esse papel para o esporte Montaria em Touros. Será um pilar no contínuo crescimento e exposição de nossa marca”.

Time Brasil

Para Cordovano, a PBR tem potencial de se expandir em nações nas quais ainda precisa realizar um evento. Alguns territórios já procuraram a entidade, como China, Europa e Oriente Médio.

“Em cada caso, o maior desafio que enfrentamos é a importação de touros de qualidade PBR. Precisamos estabelecer um padrão para alojamento e cuidados adequados durante um ano, se resolvermos a logística de transporte. Tanto a China quanto a Europa seriam os pioneiros para uma expansão ainda maior”, finalizou o dirigente.

Por Kacie Albert/PBR
Tradução e adaptação: Luciana Omena
Fotos: PBR

 

1 Comentário

Escreva um comentário