Dez cowboys, quatro modalidades, três dias, um campeão, esse é o esquema da maratona do evento

No Jr Ironman, realizado na Lazy E Arena, em Guthrie, Oklahoma, a ideia é testar habilidades e resistência de dez cowboys. Eles se apresentam em quatro modalidades, com duração de três dias de competição. Quem tiver a menor soma de tempos vence. Participam dessa prova competidores que estão em faixa de idade mais jovem, que competem campeonatos escolares ou universitários.

As provas de 2019 aconteceram de 8 a 10 de março. A cada dia, os dez atletas selecionados fizeram provas nas quatro categorias, somando tempos à classificação final. A primeira foi o Laço Cabeça, depois Tie-Down Roping, seguidos pelo Laço Pé, finalizando com o Steer Wrestling. É uma verdadeira maratona, igualzinho nas provas de Ironman, onde os concorrentes precisam ser impecáveis em diferentes modalidades.

Jr Ironman 2019

Kay Lindley era a avó orgulhosa do jovem de 19 anos, Tyler West, de Mertzon, Texas, após vê-lo ser o melhor na competição desse ano. O prêmio foi de US$ 10.000,00 depois que ele fez 12 passadas e somou 179s6. West ainda ganhou mais US$ 1.000,00 pelo recorde do tempo que somou na terceira rodada, 32s2 (6s5 Cabeça, 14s8 Tie-Down, 6s3 Pé, 4s6 Bulldog).

“Ele é um cowboy desde que era um garotinho. E este tem sido o seu sonho, o de chegar a este ponto e conquistar uma prova como essa. Estou tão orgulhosa dele”, comentou a sra. Lindley. “Minha avó é minha maior apoiadora. Ela sempre esteve lá por mim. Foi muito especial tê-la comigo aqui a semana toda”, arrematou o campeão.

West, um calouro na Southwest Texas Junior College, com uma bolsa de estudos de rodeio, saltou para a liderança pela primeira vez após ter se apresentado nas três primeiras modalidades da terceira rodada. Faltava apenas o Bulldog ou Steer Wrestling, a sua prova predileta.

Premiação Tyler West

“Não me assustei, porque eu tive que correr atrás do resultado. O Bulldog foi minha modalidade mais forte o tempo todo. Só precisava ter confiança em mim para estar bem na passada final. Eu estava animado e meu cavalo também estava”.

O cavalo de Bulldog de West, de 20 anos de idade, Alf, que ajudou o cavaleiro a marcar 4s6 na última passada e selar o título, só está atuando há três anos. Antes, Alf competia em Três Tambores com a vó de West, e somente há três anos ele treina o animal para as provas com boi. “Acho que Alf encontrou seu caminho, ele ama Bulldog e ama Laçar”, disse Kay.

O jovem também gosta de laçar Pé em rodeios universitários. Teve um tropeço no primeiro round nessa modalidade, mas garante que não é isso que acontece no dia a dia. No Laço Pé e no Tie-Down, West montou Wrangler, um cavalo que ele vem apresentando bastante ao longo de sua vida. O cavaleiro tinha seis anos e o cavalo três quando começaram a formar conjunto. Para o Laço cabeça, West pegou um cavalo de cabeça emprestado de Tyler Magnus.

Além da vitória e dos prêmios, West ganhou uma vaga nas semifinais da World Champions Rodeo Alliance, que acontecem de 15 a 19 de maio, no Lazy E. Ele vai encaixar esse rodeio entre os demais que vem montando pela universidade, onde segue em segundo no ranking da Região Sul no Bulldog e no Top 10 em Tie-Down.

“Espero um dia poder conseguir meu Card da PRCA e seguir em paralelo os rodeios aniversários e os maiores do circuito profissional. E também ter vaga em provas como o Timed Event Championship.”

Trevor Meier, de Garden City, Kansas, que venceu a primeira rodada com 49s8, foi o segundo lugar no geral, com média de 199s3, levando US$ 5.000,00. O terceiro melhor foi Dillon Jones, de Weir, Mississippi, com média de 213s7, e premiação de US$ 2.000,00. A segunda rodada teve Hiyo Yazzi, de Brimhall, New México, como vencedor, 39s.

Por Luciana Omena
Fonte e Fotos: Team Roping Journal

Escreva um comentário