Essa foi a última etapa do Campeonato Paulista da modalidade e os classificados se preparam agora para o Campeonato Nacional

Com 77 inscrições concorrendo a R$12.000,00 em premiação, a Associação Nacional do Cavalo de Apartação realizou mais uma etapa de um de seus regionais, o Campeonato Paulista, no dia 27 de abril. As provas aconteceram em Assis/SP, na Fazenda Berrante, e serviram como última chance de classificação por esse núcleo para o Campeonato Nacional da ANCA, marcado para acontecer no final de junho.

Em sua primeira vez julgando no Brasil, Mark Lavender, juiz AAAA e integrante da galeria de fama da NCHA, acredita que o evento foi muito bom. “Gostei da organização, não teve demora, então achei muito bom”, contou o norte-americano, que começou sua carreira no meio equestre em rodeios, praticando Bulldog. Começou a treinar Apartação profissionalmente aos 25 anos de idade, trabalhando para ninguém menos que Buster Welch.

Julgando provas da NCHA desde 1995, Mark comenta que a demora em passar o rastelo ou amansar gado é algo que faz a prova ficar cansativa. “O que eu vi no Brasil é que parece ter alguém sempre disposto a fazer. Todo mundo contribuiu e fez o que precisava fazer. Isso foi muito bom”. Sobre os cavalos, ele acha que há potencial para alguns animais que ele viu como muito bons. Mas também faz um alerta: “vamos controlar as coisas que podemos e não preocupar com as outras”.

E com isso ele quer dizer que por onde passa vê muitos treinadores colocando a culpa de erros nos cavalos e se preocupando apenas em estar em cima deles. “Alguns contratempos em provas são aceitáveis, mas outros não. Especialmente para quem prepara cavalos para os non pros e amadores. Dependendo de como a coisa anda, é fácil deles desistirem e partirem para outra atividade”.

Rafael Henrique Cason e Beccalicat

Mark também comenta sobre o dia a dia de um treinador, que precisa viajar para as provas e deixar em casa seus cavalos em processo de treinamento. Para que tenham êxito, é preciso uma estrutura bem montada, com bons assistentes. Saber reconhecer o limite do animal que tem na mão. “Na Apartação você só pode ser tão bom quanto seu cavalo. Então grandes cavalos fazem grandes treinadores, e não o contrário. Se um cavalo no seu melhor dia consegue marcar 71, deveríamos nos esforçar para marcar 71 todo dia”.

Baseado nessa premissa, ele concluiu que “os animais que eu vi que parecem ter passado por esse processo estavam bem. O restante parece ter se perdido um pouco nesse processo. Marquei muitas penalidades de um ponto, não muitas penalidades maiores. Tiveram várias perdas de posição e trabalhando fora de posição, a maioria porque o competidor não foi tão preciso em ler o boi”.

Samoel Henrique Paião

Passando para os resultados, Rafael Henrique Cason foi o campeão da Aberta Junior com Beccalicat (Metallic Cat x Hey Reybecca), de propriedade de Renato Eugênio Rezende Barbosa, com a nota 75. Antonio Sergio de Araújo, que foi Top 5 na Junior, ficou com primeiro e segundo lugares na Aberta Classic (foto de chamada). Marcou 75 com Justa Tiny Lena (Tilly Playboy x Sonora Playgirl), de sua propriedade; e 73 com My First Dual. Ele voltou ao pódio da Aberta Livre em segundo lugar, categoria vencida por José Roberto Cavalcante, nota 74, com Catzanova (Smooth As A Cat x Autumn Boon), de propriedade de Álvaro Luis Afonso Simões.

Rodrigo Sandoval

Samoel Henrique Paião dominou o pódio da Aberta Limitada, ficando com as três primeiras colocações. A vitória chegou com uma nota 74 ao apresentar Squat On Time (A Lil More Time x My Shorts R Smokin), de propriedade de Henrique Ribeiro do Valle Andrade. Depois ele marcou 72 pontos com Happy Boy Feather LN, de João Lucas Mendes; e 71 pontos com Smooth As Bagonia, também de propriedade de João Lucas. Mônica Regina Ribeiro de Castro Cunha foi a única a ter nota na Non Pro, 60 pontos, montando JSA Smooth Jango (SDP Heres Johnny x JSA Comanche Smooth), de sua propriedade.

Na Amador, a vitória foi de Juliano dos Santos Tosta, que apresentou Miss Makin Jay (Son Ofa Jay x Play Lil Special por), de sua propriedade, ao marcar 70 pontos. Rodrigo Alexandre Sepúlveda Sandoval voltou ao pódio em primeiro lugar da Master em mais uma etapa. Ele apresentou Smooth As Bagonia (Smooth As A Cat x Arc Little Bagonia) e marcou 72 pontos. Encerrando a galeria de campeões da prova, Drielly Gomes Pereira de Almeida apresentou Jay Bee Tilly 4M (Tilly Playboy x Venas Dee) para ganhar a Principiante ao marcar 70 pontos.

Para mais informações: www.anca.com.br.

Por Equipe Cavalus
Fotos: Adilson Silva/Foto Perigo

Escreva um comentário