‘Templo’ do Quarto de Milha na América Latina, o hipódromo brasileiro é referência

Treinamento do cavalo de Corrida e bem-estar animal foram os principais temas abordados durante a Clínica Internacional sobre o Quarto de Milha de Velocidade, realizada pelo Jockey Club de Sorocaba, nas dependências do hipódromo.

Estiveram no Brasil no começo de setembro Janet VanBebber, Diretora de Corridas da AQHA; Sierra Kane, Gerente de Atividades Internacionais AQHA; e a Dra. Megan Petty, Médica Veterinária membro da AQHA. Foram elas que compartilharam seus conhecimentos com os presentes, enriquecendo e contribuindo com a comunidade quartista brasileira.

Em parceira com a ABQM e a com AQHA, o seminário foi o terceiro evento do Ciclo de Palestras promovido pelo Jockey Club de Sorocaba. A programação foi aberta ao público e atraiu proprietários, treinadores, veterinários e interessados em geral.

Marcos Sá, criador, proprietário e diretor internacional da ABQM, realizou a abertura, lendo algumas palavras do presidente do Jockey Club de Sorocaba, Mauro Zaborowsky, enaltecendo todo o trabalho da diretoria e reforçando o compromisso com o bem-estar animal e o esporte limpo.

A primeira palestra foi de Sierra Kane, que explicou todo o processo de governança da associação americana do Quarto de Milha, desde a eleição dos diretores, passando pelo funcionamento dos comitês, até chegar às regiões internacionais associadas.

Marcos Sá

Na sequência, foi o momento da palestra de Jannet Van Bebber, treinadora americana com mais de mil vitórias, sendo 15 vezes líder das estatísticas e hoje diretora de corridas da AQHA. O primeiro tema abordado foi o treinamento de potros de dois anos.

Começou explanando sobre a importância da conformação, do pedigree e, em seguida, as fases iniciais do treinamento, desde o trabalho básico – quando os animais ainda estão no haras – até o primeiro contato com o partidor e a pista de corrida. Ressaltou o quanto deve-se cuidar da saúde do cavalo atleta.

“A boa base que você der aos seus potros de dois anos os ajudarão a ter uma vida boa também após as corridas”. Na segunda parte, falou sobre o treinamento em animais acima dos dois anos de idade.

Segundo Janet, o segredo para um bom equilíbrio entre o físico do animal e solidez nas pistas está na ‘manutenção’, ou seja, em como você cuida do seu cavalo. No treinamento de cavalos, “seu veterinário é seu parceiro”, ressaltou.

Ela deu dicas sobre alimentação, hidratação, equipamentos e discorreu sobre a rotina de treinamento, com abertura para perguntas e participação ativa dos presentes. No período da tarde, logo após o almoço, foi a vez da Dra. Megan Petty, médica veterinária que reside em Tularosa, New Mexico e atende Ruidoso Downs, iniciar a sua participação.

Marcos Sá comanda a roda de conversa ao final das palestras de Janet VanBebber, Sierra Kane e Megan Petty

Com a ajuda do Dr. Thomas Wolff, médico veterinário representante da Federação Equestre Internacional no Brasil e consultor do Jockey Club de Sorocaba, na tradução, o tema geral foi a construção de um cavalo saudável, lembrando das alterações nas regras de medicação e o advento da ARCI (Associação Internacional das Comissões de Corrida) e do RMTC (Consórcio Americano dos Laboratórios de Análise de Medicações).

Além da vigilância constante do público e os efeitos da medicação nos programas de cuidados com o cavalo atleta e na indústria como um todo. Abordou temas como vacinação, prevenção de doenças, vermifugação, saúde gastrointestinal, tratamento dentário e também de cuidados básicos de alimentação no dia-a-dia para a manutenção da saúde do atleta.

A veterinária falou também sobre a úlcera gástrica, problema com grande incidência em cavalos em confinamento: o que é, prevenção, causas, graduações e tratamentos. Após uma explanação sobre a saúde musco-esquelética, concluiu com a mensagem: “Foco mínimo nos medicamentos; foco máximo na saúde, no estado geral e no bem estar do cavalo”.

Lembrando que problemas surgirão até mesmo nos melhores programas, porém com uma base correta, eles serão menos graves e podem ser diagnosticados mais rapidamente. Encerradas as palestras, iniciou-se uma mesa redonda de perguntas e respostas com as três especialistas interagindo com o público e tirando dúvidas.

Elas contaram um pouco sobre o momento atual das corridas nos Estados Unidos e no mundo, como os casos de doping estão sendo coibidos e a incansável luta contra o uso substâncias ilegais. Deixando claro que hoje não há mais espaço para este tipo de condutas, sendo essencial o esporte limpo para a continuidade e sobrevivência da atividade turfística.

Colaboração: Departamento de Marketing do JCS
Fotos: Jean Phillipe/ABQM