Hipismo

“Estou muito feliz com esse momento da minha vida e isso é muito gratificante”, comemorou Victor Trielli Avila

Conheça a história do cavaleiro Bicampeão sul-americano por equipes em 2018 e 2022

Publicado

⠀em

“Estou muito feliz com esse momento da minha vida e isso é muito gratificante”, comemorou Victor Trielli Avila

Confirmando o favoritismo, o Time Brasil de Adestramento dominou o pódio na disputa individual no Sul-americano, realizado no Club Hípico Paraguayo, em Assunção, Paraguai no último dia 05/10. O cavaleiro Victor Trielli Avila integrou o time campeão e garantiu a medalha de prata, além do ouro por equipes conquistado no dia 03/10.

Bicampeão sul-americano por equipes em 2018 e 2022, Victor Trielli Avila montou Corsário IGS. O conjunto foi o único a competir no Freestyle Big Tour e estava fazendo uma bela apresentação, quando uma queda de energia interrompeu a apresentação. Victor, fechou com 71,410% de aproveitamento conquistando a prata e foi condecorado com a premiação de melhor cavaleiro internacional.

Batemos um papo com este grande cavaleiro para conhecer de perto sua história e todos os bastidores dessas grandes conquistas. Confira!

Portal Cavalus: Gostaria de saber como foi para você conquistar o segundo lugar? Quais foram as maiores dificuldades e na sua opinião, o que te levou a conquistar o título?

Victor Trielli Avila: Então a experiência, só de estar aqui e participar, já é maravilhosa e ainda tendo a oportunidade de poder brigar por medalhas é mais gratificante ainda. Eu estou muito feliz de ter participado, foi uma jornada maravilhosa!

Na disputa do Individual, eu tive uma infelicidade muito grande, acabou a energia aqui no complexo no meio da minha prova e eu tive que recomeçar a minha apresentação da metade. Como o Freestyle Big Tour é com música, eu tive que correr atrás da música e tal, e isso me prejudicou demais, porquê ficou um pouco quebrado no final.

Como tem nota artística também, me impossibilitou talvez de, quem sabe, tentar um saltinho maior e conseguir buscar o ouro, mas estou muito feliz com o resultado, estou muito honrado e grato por ter participado.

Portal Cavalus: Me fale um pouco sobre o Corsário IGS, como ele chegou até você?

Victor Trielli Avila: O Corsário IGS já vinha muito bem das últimas seletivas, e eu vim para cá muito confiante. Uns três dias antes participamos das seletivas e a gente conseguiu fazer boas provas, e estou muito satisfeito com o desempenho dele.

Ele está comigo pelo quarto ano consecutivo, é a quarta temporada nossa. Ele chegou mais ou menos no começo de 2019, e eu tenho muito a agradecer aos proprietários dele, o Marcelo Alves e a Sandra, por confiarem em mim.

Ele chegou no começo um pouco perdido nas bases, mas graças a Deus, com o tempo, ele foi melhorando, a gente conseguiu atingir muitas coisas, fomos bicampeões Brasileiro Sênior Top 2020/2021, e agora aqui no Sul-americano, a gente conseguiu classificar o time Brasil para o Pan e ainda vamos voltar para casa com duas medalhas.

Portal Cavalus: O Brasil conquistou os primeiros lugares no pódio. Na sua opinião, qual é o diferencial da nossa equipe? O que nos fez alcançar este posto?

Victor Trielli Avila:  Viemos com uma equipe muito forte, muito unida, todos muito qualificados.  Foi um trabalho muito bom da CBH (Confederação Brasileira de Hipismo), temos que agradecer a todos eles pela logística e organização, a nossa chefe de equipe Pia Aragão, nosso treinador, todos os meninos daqui da equipe, os meus companheiros de equipe, os meninos que vieram aqui no suporte para tratar dos cavalos, foi muito bom, a equipe estava muito unida e deu tudo certo.

Portal Cavalus. Você vai participar das seletivas para o Pan? Quais são seus planos?

Victor Trielli Avila:  A gente precisava ter conseguido Ouro ou Prata para classificar o país, a nação, para os jogos Pan-americanos, e agora vão começar as seletivas. Eu vou entrar nas seletivas, estou bem confiante e espero aí poder conseguiu uma vaguinha na equipe pra estar mais uma vez competindo pelo Brasil internacionalmente.

Portal Cavalus: Como foram seus preparativos para os Jogos Pan-americanos?

Victor Trielli Avila:  A gente sempre tenta dosar o trabalho, tem dias que é mais leve, outros mais pesados, pro cavalo chegar em sua melhor forma na competição, chegar preparado, e não chegar cansado. Enfim, para chegar até aqui foi uma viagem um pouco pesada para os cavalos, foram quatro dias no caminhão, mas deu tudo certo!

Os cavalos chegaram bem, enfim, agora pra frente é manter o mesmo trabalho. O cavalo está com tudo no lugar, claro sempre existem alguns detalhes para melhorar, e agora é manter esse trabalho, manter o foco, e seguir crescendo.

Portal Cavalus: Como foi seu início no esporte?

Victor Trielli Avila:  Quando eu nasci, meus pais moravam em um haras que tinha uma criação de cavalos Lusitanos. Eu nasci praticamente no meio dos cavalos, sempre tive contato.

Comecei no esporte bem novinho, fazia aulas de equitação, e depois eu comecei a competir com meus 9 anos de idade, após a minha primeira competição fiquei cada vez mais focado, comecei a gostar do esporte é deu super certo, graças a Deus. Sempre sonhei fazer o que eu faço hoje.

Portal Cavalus: Quais foram seus principais títulos?

Victor Trielli Avila:  Meu primeiro título foi Campeonato Brasileiro de Júnior em 2012, depois fui Campeão Brasileiro Young Riders em 2014, passei a competir em Sênior em 2015, quando fiquei em quarto lugar, depois eu fiquei um tempo na Europa.

Quando eu voltei, fui medalha de ouro por equipes no último Sul-americano há 4 anos atrás, e depois em 2020 fui Campeão Brasileiro Cavalos Novos 5 anos e Campeão Brasileiro Sênior Top 2021, Campeão Brasileiro Cavalos Novos 6 anos e novamente Campeão Brasileiro Sênior Top.

Agora neste ano, conquistei uma medalha de ouro por equipe e uma medalha de Prata individual no Odesul.

Portal Cavalus: Quais são seus planos para o futuro?

Victor Trielli Avila:  Eu estou muito focado, eu acho que sempre que a gente conquista alguma coisa a gente trabalha muito para isso, então, sempre que a gente pode coroar um trabalho a gente fica ainda mais focado, com mais combustível para seguir em frente.

Eu estou muito focado, quero seguir crescendo no esporte e cada vez mais, tendo novos cavalos, ensinando mais cavalos e fazendo mais competições, enfim, eu estou muito, muito feliz nesse momento da minha vida e isso é muito gratificante mesmo!

Por Camila Pedroso .  Redação Cavalus

Fotos: Arquivo pessoal

Leia mais sobre Hipismo aqui

Hipismo

João Victor Oliva, medalha de prata no Pan 2023, vence GP Special em Portugal

Em seu primeiro final de semana de competição em 2024, João Victor Marcari Oliva está fazendo bonito no CDI3* Internacional de Adestramento de Cascais, em Portugal

Publicado

⠀em

João Victor Oliva, medalha de prata no Pan 2023, vence GP Special em Portugal

No último sábado (10), João Victor Oliva e seu Fell Good VO, faturaram o GP Special com 69.723% de aproveitamento superando demais 14 conjuntos. Na sexta-feira (09), João e Feel Good VO registraram mais um índice olímpico no Grand Prix 67.674% ficando em 5º entre 22 conjuntos. O MER – Índice Mínimo de Elegibilidade equivalente a 67% também foi obtido com o juiz FEI5* – outro requisito obrigatório – o dinamarquês Leif Tornblad. A juíza brasileira Claudia Mesquita (FEI4*) também esteve frente ao julgamento, atribuindo à dupla 69.348%.

João Victor no Pan-Americano

João Victor Oliva e Feel Good V.O conquistaram as inéditas medalhas de prata – individual e equipe – nos Jogos Pan-americanos de Santiago, no Chile, em 2023, ocasião em que o Brasil conquistou o direito de participar como equipe nos Jogos de Paris 2024, mas por não ter atingido o número de três diferentes conjuntos com índice olímpico, agora busca representação individual nas Olimpíadas.

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Luís Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

1º Internacional e Nacional de Adestramento na temporada 2024 acontece em fevereiro

Sete Internacionais movimentam a temporada do adestramento no Brasil em 2024

Publicado

⠀em

1º Internacional e Nacional de Adestramento na temporada 2024 acontece em fevereiro

Entre 22 e 25/2, a Confederação Brasileira de Hipismo promove o primeiro Internacional e Nacional de Adestramento na temporada 2024, na Sociedade Hípica Paulista.

O Internacional com chamada de 3*,2* e 1* contará com os juízes Claudia Mesquita, presidente, Natasha Waddell, Marcio Camargo ambos do Brasil, o argentino Cesar Lopardo, Omar Zayrik do México, e o renomado francês Jean-Michel Roudier, juíz olímpico 5*. A série Nacional tem o mesmo quadro de juiz complementado em esquema de rodízio com Lindinha Macedo e André Ganc.

1º Internacional e Nacional de Adestramento temporada 2024

Uma das novidades na temporada 2024 é que as séries para Cavalos Novos, antes realizadas junto à programação nacional, passam a fazer parte da série Internacional, visando a possibilidade de qualificação para o Mundial de Cavalos Novos de 5, 6 e 7 anos promovido a cada ano. Em breve, a CBH divulgará as regras de qualificação.

A nata jovem do adestramento – nas categoria de alto rendimento Mirim, Junior e Jovem Cavaleiro – também passa a competir na série Internacional, com oportunidade de julgamento no mais alto nível.

Outro ponto é a realização de um total de sete Internacionais para que os cavaleiros e atividados em atividade no país possam escolher a melhor momento de participação para seus cavalos e agenda pessoal.

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/CBH

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Yuri Mansur é vice no GP5* Longines Basel na Suíça e Santiago Lambre vence em Doha, Quatar

Em ano olímpico, a temporada internacional de hipismo no Exterior já está em pleno andamento

Publicado

⠀em

Yuri Mansur é vice no GP5 Longines Basel na Suíça e Santiago Lambre vence em Doha, Quatar

Na noite de sexta-feira, 12/1, o brasileiro Yuri Mansur montando QH Alfons do Santo Antonio foi vice no GP5* Longines of Basel, na Suíça, a 1.60m, válido com qualificativa para o GP World Cup Longines, no domingo, 14/1. A dupla que defendeu o Brasil nos Jogos Olímpicos de Toquio 2020+1 ficou entre os quatro conjuntos habilitados ao desempate entre um total de 42 inscritos.

O irlandês Kevin Staut com Visconti du Telman, único a zerar o desempate, foi o vencedor em 35s50. Yuri com QH Alfons Santo Antonio, de 17 anos, plenamente recuperado após uma lesão no Mundial de 2022, cruzaram a linha de chegada no melhor tempo, 32s73, mas com uma falta na entrada do duplo. O 3º posto coube ao suíço Alain Jufer com Dante MM, um derrube, 37s13.

Yuri Mansur

“O Concurso aqui na Basileia é um dos meus favoritos a cada ano, sempre as coisas acabam indo para um bom caminho. Ano passado eu havia sido 4º nesse GP com Vitiki e não é fácil repetir o resultado. Quando caminhei o percurso da pista, eu sabia que provavelmente seriam poucos no desempate”, destacou Yuri, atual nº 45 do ranking mundial.

“Como entrei no começo, segui a estratégia de ser o mais rápido possível até porque o primeiro também havia feito quatro pontos. Estou muito feliz em manter esse nível entre os melhores do mundo, pois é sempre muito difícil. O retorno do Alfons é quase um milagre, por um momento pensamos até em aposentá-lo, mas ele retornou e hoje está performando melhor do que nunca”, pontuou Yuri, atual nº 45º do ranking mundial.

“Me dá muita esperança, porque realmente é um cavalo que tem uma regularidade incrível, pois desde junho de 2022 não fazia uma falta em GPs5*, zero no GP de Aachen, zero no Mundial até o momento da lesão, zero nos GPs de La Baule, Helsinki, dois pontos em Genebra e agora fomos vice em Basel, o que torna o cavalo candidato a estar na equipe do Brasil e importante a nível internacional.”

Outros resultados importantes nessa segunda semana de janeiro couberam ao top brasileiro Santiago Lambre no Internacional 4* em Doha, Quatar. Na quinta-feira, 11, Santiago levou seu Chacco Blue II à vitoria na prova a 1.45m em duas fases, sem faltas, em 27s71, superando demais 20 conjuntos. Na principal disputa do dia, a 1.50m, direto ao cronômetro, Santiago montando Zeusz emplacou em 4º lugar, sem faltas, 70s55. A vitória foi do francês Simon Delestre com Olga van de Kruishoeve que zerou em 65s86. Já na sexta-feira, 12, Santiago e Zeusz emplacaram em 3º a 1.50m, sem faltas no desempate, em 37s35. Dos 14 conjuntos, nove foram ao desempate com vitória do cavaleiro italiano Emanuela Guadiano, pista limpa, 36s74.

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Luís Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Doping – Lista de substâncias e métodos proibidos em 2024 já está valendo

Lista com substâncias e métodos proibidos já estão valendo

Publicado

⠀em

Doping - Lista de substâncias e métodos proibidos em 2024 já está valendo

A Agência Mundial de Antidoping (WADA – World Anti-Doping Agency) atualizou de substâncias e métodos proibidos, além do programa de monitoramento. A partir de 1º de janeiro de 2024, atletas, federações internacionais e confederações ligadas à entidade passam a adotar as novas regras mediante o documento, que contém as diretrizes preventivas a fim de garantir o esporte limpo e justo.

Principais pontos do Doping em 2024

Tramal em competição é doping.

Codeína e Semaglutida (Ozempic) estão como substâncias em monitoramento.

O site do governo – Anvisa, Autoridade Brasileira Controle de Dopagem, Ministério do Esporte – já está atualizado para checagem de medicações.

Para fazer a sua consulta – clique aqui

Whereabouts / paradeiro

Lembrete aos atletas do COB e CPB que fazem parte do Registered Testing Pool (RTP) quanto ao seu paradeiro no 1º trimestre (de 1º de janeiro a 31 de março de 2024). Os atletas devem fornecer informações completas e precisas sobre o paradeiro, incluindo: uma residência noturna e um intervalo de tempo de 60 minutos para cada dia no trimestre; informações sobre suas atividades regulares durante o trimestre (como treinamentos ou horários de trabalho); e próximas competições.

Por favor, note que se um atleta não apresentar seu paradeiro, está sujeito a uma falha de paradeiro. Três falhas cometidas em um período de 12 meses constituem uma violação de regra antidoping que, se comprovada, pode resultar no banimento do atleta do esporte por até 2 anos.

Acesso ao portal da agencia mundial antidoping: wada-ama.org

Por Divulgação/Assessoria de Imprensa CBH
Fotos: Divulgação/TrainerMagazine

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Geração futuro do hipismo no pódio da Copa Brasil de Salto Iniciantes 2023

Geração que é o futuro do Hipismo vem se destacando em pista e mostrando que vão permanecer com um legado de vitórias

Publicado

⠀em

Geração futuro do hipismo no pódio da Copa Brasil de Salto Iniciantes 2023

Durante os dias 16 e 17/12, a Copa do Brasil de Salto Iniciantes reuniu a geração futuro do hipismo no Clube Hípico de Santo Amaro (SP). Largaram na pista Sérgio Brandão Gomes 187 conjuntos: 68 na série Preliminar “BH e Haras Rosa Mystica”, 0.60m, 69 na Principal “Ortosport”, 0.80m, 50 na série Aspirante – “Rocama Grampos e Grampeadores”, 0.90m, provenientes do Amazonas, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Copa do Brasil de Salto

Conforme novo sistema de julgamento lançado em 2022, por Sergio Marins, diretor de Escolas da CBH, a aproximação ao tempo ideal passou a funcionar da seguinte maneira: conjuntos que zeraram em até um segundo acima ou abaixo do tempo ideal de percurso garantem ouro, com aproximação de até dois segundos, prata e até três segundos, bronze, critério, é claro, adotado em paralelo com julgamento número de faltas. “A Copa do Brasil foi uma ideia da Copa Brasil da equipe técnica da CBH para valorizar os rankings estaduais que enviaram seus melhores conjuntos para competir em um grande polo hípico. Fomos muito bem recebidos no Clube Hípico de Santo Amaro”, destacou Sérgio Marins.

Festa no pódio da categoria Principal, 0.80m

“Tivemos um feedback maravilhoso de todas as federações que até o meio do ano ficavam preocupadas com os Campeonatos Brasileiros e depois não havia mais um grande objetivo para o final do ano. Fiquei muito satisfeito em ver tantas provas, a alegria das pessoas, vencer na Copa do Brasil talvez não equivale a um título brasileiro, mas valorizou demais a competição”, ponderou Marins.

“A festa nos pódios e bastidores no Salto Iniciantes são um caso à parte. As escolas só tinham um Nacional que é o Campeonato Brasileiro no meio ano. As finais na pista Sérgio Brandão foram uma grande festa. A gente vê a meninada competindo, a interação dos pais. Foi realmente muito bom e fechou com chave de ouro esse evento. Agradeço o apoio de todos, não somente das Federações, mas também da CBH que encampou a ideia e deu todo o apoio possível. A Copa do Brasil é a segunda edição de muitas que estão por vir”, finalizou o cavaleiro, treinador e dirigente.

Os resultados podem ser conferidos através do site da CBH.

Por Divulgação/Assessoria de Imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Rafa Coli

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Marcio Carvalho Jorge é o 34º no ranking mundial do Concurso Completo

Marcio é o único brasileiro entre os top 300 da modalidade, cavaleiro foi quem garantiu a prata inédita na disputa no individual no Pan 2023

Publicado

⠀em

Marcio Carvalho Jorge é o 34º no ranking mundial do Concurso Completo

O cavaleiro Marcio Carvalho Jorge – que garantiu a inédita prata individual no Concurso Completo de Equitação e integrou a equipe de bronze no Pan 2023 carimbando a vaga do país em Paris 2024 – é o único brasileiro entre os top 300 do ranking mundial da modalidade.

Marcio, 48, ocupa do 34º posto do ranking da Federação Equestre Internacional atualizado em 1/12/2023, entre um total de 1.310 atletas. Esse ano, graças ao seu brilhante resultado no Pan 2023, Marcio Jorge venceu pela quarta vez o Prêmio Brasil Olímpico conferido aos melhores atletas de cada modalidade 2023/2018/2017/2014.

Marcio Carvalho Jorge

Marcio, natural de Barretos no interior paulista e médico anestesista, passou a se dedicar exclusivamente ao hipismo há cerca de 10 anos. Atualmente mora na Inglaterra onde mantém seu próprio centro de treinamento e atua exclusivamente como cavaleiro profisional. Agora após as importantes conquistas no Pan, como não poderia deixar de ser, o foco do cavaleiro é representar o Brasil na Olimpíada de Paris 2024.

Segundo Marcio, em recente entrevista ao portal UOL, pensar em medalha em Paris 2024 ainda é um sonho um pouco distante. “Ainda tenho que melhorar bastante ainda para chegar onde eu quero, mas está no caminho”, diz ele, que regularmente treina sob orientações de William Fox-Pitt, britânico que treina do Time Brasil de Concurso Completo e é o maior vencedor de “Grand Slams” da modalidade.

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Luis Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Raphael Leite com Charlene Império Egípcio é o campeão do GP Troféu José Roberto Reynoso Fernandez

Em noite agitada na centenária SHP, a tropa de elite do hipismo compareceu em peso no Nacional de Salto Top Riders 2023 e Raphael Machado Leite é o 6º campeão do GP Perpétuo Troféu Roberto Reynoso Fernandez, Alfinete (in memoriam)

Publicado

⠀em

Raphael Leite com Charlene Império Egípcio é o campeão do GP Troféu José Roberto Reynoso Fernandez

Na noite do sábado, 9/12, o GP Top Riders – Troféu Perpétuo José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete foi a principal atração do Concurso de Salto Nacional 4* que encerra a temporada oficial na Sociedade Hípica Paulista. Estiveram a postos no GP, a 1.50m, 52 conjuntos, incluindo medalhistas pan-americanos e olímpicos. Dez conjuntos foram ao desempate e cinco voltaram a zerar o percurso idealizado por Gabriel Malfatti.

Com atuação perfeita, Raphael Machado Leite, paraibano que defende São Paulo, com Charlene Império Egípcio, égua de criação nacional de 11 anos, levantou a torcida ao cruzar a linha de chegada sem faltas em 36s63, marca que permaneceu imbatível ao final.

Raphael embolsou a fatia de R$ 30 mil de um total de 100 mil em jogo e inscreveu seu nome no hall dos campeões do GP Troféu Perpétuo José Roberto Reynoso Fernandez com direito a uma réplica entregue por José Reynso Fernandez Filho, campeão sul-americano 2022 e primogênito do homenageado, e sua irmã Manuela Reynoso Fernandez. José Ramos e Ana Elisa Aguiar Ramos, representando o Haras Império Egípcio, também foram homenageados com uma réplica do Troféu. Vale lembrar que o Haras Império Egípico comemorou o ouro da égua Chevaux Primavera Império Egípcio no Pan 2023, sob a sela de Stephan Barcha.

Já o top brasiliense Flávio Grillo Araújo garantiu o vice e 3ª colocação, respectivamente, montando Kirk do Cach e Lorentino JMen, pista limpa, 37s66 e 39s73. O sempre competitivo paranaense Felipe Juares de Lima apresentando Nina Blue M Secco Marathon garantiu o 4º posto, sem faltas, 39s78. O atual pan-americano Stephan Barcha completou o pódio na 5ª e 6ª colocação montando Chevaux Goldfinger Império Egípcio, pista limpa, em 40s20 e com Chevaux Chantilly JMen registrou 37s07, mas com uma falta no início do percurso.

Sobre José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete

O retrospecto de José Roberto Reynoso Fernandez, o Alfinete, ilustre cavaleiro sócio da Sociedade Hípica Paulista, o coloca entre os maiores ícones da história do hipismo no país. Foi, aos 15 anos, em 1965, na Itália, que Alfinete conquistou seu primeiro vice-campeonato Mundial de Juniores na Itália. Dois anos depois, em 1967, foi campeão pan-americano por equipes em Winnipeg, no Canadá.

Em 1968 fechou os Jogos Olímpicos do México em 7º lugar. O cavaleiro também foi tetracampeão brasileiro senior (1975/1976/1978 e 1981), hexacampeão do Torneio Pão de Açúcar na Sociedade Hípica Paulista (1975/1977/1978, 1980, 1982 e 1990), entre inúmeras outras conquistas. Alfinete faleceu precocemente aos 54 anos em janeiro de 2022.

GP Troféu José Roberto Reynoso Fernandez, Alfinete (im memoriam)

2023 Raphael Machado Leite / Chelsea JMen
2022 Guilherme Foroni / Chelsea JMen
2021 Luciana Lóssio / Lady Louise JMen
2020 Thales Marino / Deauville
2019 José Roberto Reynoso Fernandez Filho / Azrael W
2018 Vitor Alves Teixeira / Hilde Império Egípcio

Pódio GP, 1.50m, 9/12

Campeão Raphael Machado Leite / Charlene Império Egípcio – FPH – 0/36s63
Vice Flavio Grillo Araujo / Kirk do Cach – FHBR – 0/37s66
3º Flávio Grillo Araujo / Lorentino JMen – FHBR – 0/39s73
4º Felipe Juares de Lima / Nina Blue M Secco Marathon – FPH – 0/39s78
5º Stephan Barcha / Chevaux Goldfinger Império Egípcio – FPH – 0/40s20
6º Stephan Barcha / Chevaux Chantilly JMen – FPH – 4/37s07

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Felippe Saad

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Luciana Lóssio vence o GP Internacional e Adolpho Lindenberg, o GP Roberto Marinho

Tradicional polo hípico do hipismo brasileiro e internacional, a Sociedade Hípica Brasileira no Rio de Janeiro comemorou seus 85 anos em grande estilo distribuindo 730 mil reais em premiação

Publicado

⠀em

Luciana Lóssio vence o GP Internacional e Adolpho Lindenberg, o GP Roberto Marinho

Entre 22 e 26/11, a Sociedade Hípica Brasileira no Rio de Janeiro completou 85 anos de história com um Concurso de Salto Internacional e Nacional de Salto. Ao todo foram nada menos que cinco as provas internacionais. Destaque para o GP Vinci Partners, a 1.60m, no sábado, 25, válido como qualificativa olímpica, seletiva para Copa do Mundo 2023 e ranking brasileiro senior top, além, é claro, do GP Troféu Roberto Marinho, a 1.45m, que conforme a tradição encerrou a competição do tradicional polo hípico no domingo, 26/11.

No GP Vinci Partners, Luciana Lóssio, com sua Lady Louise JMen, égua BH de 13 anos recém completos, mais uma vez mostrou a força feminina no hipismo, única modalidade olímpica em que homens e mulheres competem em condições de igualdade. Dos 20 conjuntos, conforme regra, os 12 melhores voltaram para a 2ª e decisiva volta com armação da course-designer internacional Erica Sportielo.

 

Comemoração no pódio do GP Vinci Partners

No 1º percurso somente Luciana e Lady Louise garantiram fizeram pista limpa e no 2º, a dupla, última em pista, deu um leve toque no penúltimo obstáculo. Resultado esse que garantiu a Luciana, única amazona no pódio e campeã do ranking brasileiro senior top 2021, a vitória com apenas um derrube em 61s31 e fatia de R$ 90,5 mil de total de R$ 360 mil em jogo.

Sempre competitivo, o campeão pan-americano 2023 e cavaleiro olímpico Stephan Barcha com seu Chevaux Chantilly JMen, BH de 10 anos, zerou o segundo percurso na ótima marca de 50s30 e com oito pontos da primeira volta conquistou o vice-campeonato. Em 3º lugar chegou Guilherme Foroni com sua Chelsea JMen, mais um produto BH criação da Haras Agromen que está com 12 anos, também faltas no 2º percurso, em 51s79, fechando também fechando com oito pontos da 1ª passagem.

GP Roberto Marinho

Como de costume, o GP Troféu Perpétuo Roberto Marinho, criado há 35 anos em 1988, fechou o Concurso Internacional e Nacional de Salto na Sociedade Hípica Brasileira. Foram 53 os conjuntos em pista, entre os quais 12 habilitaram-se para a 2ª e decisiva volta. Subiram ao pódio os seis melhores conjuntos, todos com duplo zero, nos dois percursos idealizados pela course-designer internacional Erica Sportiello.

Mais rápido na 1ª volta, Adolpho Lindenberg, cavaleiro amador de São Paulo, foi o último a largar com seu Briseis D Ouilly, sela belga de 12 anos, e com mais uma apresentação perfeita, em 48s29, entrou no prestigiado hall dos campeões do GP Troféu Roberto Marinho.

Quem chegou mais perto foi o jovem talento Eduardo Barbara, o Dudu, com sua RSF Princesa, seguido por Guilherme Foroni com Cornet Prince. De quebra, Guilherme arrematou o título de melhor cavaleiro do concurso com base nas cinco provas internacionais.

“É uma emoção enorme vencer um GP tão tradicional e importante como o Troféu Roberto Marinho, colocando meu nome ao lado dos grandes cavaleiros do Brasil. Foi uma decisão muito rápida, eu consegui encaixar, deu tudo certo, estava no meu dia. Saltar aqui no no Rio de Janeiro é sempre muito legal, diferente”, comemorou Adolpho Lindenberg, que agora se prepara para o último concurso do ano em casa na Sociedade Hípica Paulista, o Nacional Top Riders, entre 6 e 10/12.

 

Adolpho Lindenberg com Briseis D Ouilly: campeão GP Troféu Roberto Marinho

Com ótima atuação completaram o pódio da 4ª à 6ª colocação, Fernando Sperb, presidente da CBH, apresentando seu Diatoki, seguido por Felipe Figueiredo e HFG Darca e Karina Johannpeter montando Kappa de Quijas. A disputa distribuiu R$ 160 mil em premiação e contou com o Antonio Mello, presidente da SHB, na cerimônia de premiação, ao lado de João Roberto Marinho, entre outras personalidades.

GP Vinci Partners
Campeã Luciana Lossio / Lady Louise JMen – BRA – 0/4 – 4/61s41
Vice Stephan Barcha / Chevaux Chantily JMen – BRA – 8/0 – 8/50s30
3º Guilherme Foroni / Chelsea JMen – BRA – 8/0 – 8/51s79
4º Pedro Tavora de Mattos / GB Diamantina – BRA – 8/0 – 8/53s60
5º Vitor Dantas Medeiros / More than Extra – BRA – 8/0 – 8/56s31
6º José Roberto Reynoso Fernandez Filho / Cornet Dor JMen – BRA – 8/4 – 12/54s12

GP Troféu Roberto Marinho
Campeão Adolpho Carlos Lindenberg / Briseis D Ouilly – BRA – 0/0 – 0/48s29
Vice Eduardo Coelho Barbara / RFS Princesa – BRA – 0/0 – 0/48s41
3º Guilherme Dutra Foroni / Cornet Prince – BRA – 0/0 – 0/49s59
4º Fernando Augusto Sperb / Diatoki – BRA – 0/0 – 0/50s74
5º Felipe Ferreira Figueiredo / HFG Darca – BRA – 0/0 – 0/51s23
6º Karina Johannpeter / Kappa de Quijas – BRA – 0/0 – 0/54s62

Por Divulgação/Assessoria de imprensa CBH
Fotos: Divulgação/Luís Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Chegou a hora do Internacional e Nacional de Salto 85º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira (RJ)

Stephan Barcha, campeão pan-americano 2023, e o medalhista olímpico Doda Miranda estão entre os destaques

Publicado

⠀em

Chegou a hora do Internacional e Nacional de Salto 85º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira (RJ)

O Rio de Janeiro será palco, a partir desta quarta-feira, 22, a domingo, 26/11, do Concurso Internacional e Nacional de Salto em comemoração ao 85º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira (SHB), um dos mais tradicionais polos hípicos do país, reunindo a elite, amadores e nova geração do hipismo.

Medalhista de ouro individual nos Jogos Pan-Americanos 2023 no Chile Stephan Barcha é presença certa. O cavaleiro que iniciou sua carreira na Hípica Brasileira busca o bi consecutivo no Grande Prêmio Roberto Marinho que encerra a competição no domingo, 26. “A expectativa é a melhor possível. Voltar a saltar no Rio, minha casa, após uma conquista como os Jogos Pan-Americanos, me enche de orgulho e me faz querer voltar a ganhar o GP Internacional do Rio e o GP Roberto Marinho mais uma vez”, destaca Stephan, campeão do GP Roberto Marinho em 2022 e 4º no GP Internacional 2022 e campeão do GP Internacional em 2021.

Além de Stephan, o evento contará com a presença dos melhores cavaleiros do país, assim como Doda Miranda, que, além de medalhista pan-americano, tem duas medalhas olímpicas em seu vitorioso currículo e foi o vencedor do Grande Prêmio Internacional do Rio em 2022. Também com participações em Jogos Olímpicos, José Roberto Reynoso Fernandez e Paulo Stewart confirmaram presença no concurso, que ainda terá nas pistas outras “estrelas” da Sociedade Hípica Brasileira, como Rodrigo Lima, Thiago Mattos, Stephanie Macieira e Tiago Mesquita, entre outros destaques do hipismo brasileiro.

Stephan Barcha, atual campeão pan-americano, campeão GP Roberto Marinho 2022

Internacional e Nacional de Salto

O Grande Prêmio Internacional Vinci Partners, no sábado, 25/11, será a última etapa do ranking brasileiro senior top 2023 e também a última etapa da liga sul-americana com duas vagas em jogo na final da Copa do Mundo de Hipismo, em Riad (Arábia Saudita), em abril de 2024. Lideram o ranking brasileiro senior top, após 9 de etapas, Lucio Osório, 128 pontos, Doda Miranda, 118 pontos, e Stephan Barcha, 108,5 pontos, campeão do ranking brasileiro senior top 2022. Na contagem da liga sul-americana Doda Miranda vem em 1º lugar, 40 pontos, Paulo Miranda em 2º, 34 pontos, ambos pelo Brasil, e o argentino Leandro Moschini, em 3º, 32 pontos.

Cerca de 200 cavaleiros e 350 animais estão inscritos na competição que distribui R$ 730 mil em premiação. “Esse concurso vai fechar o ano da Sociedade Hípica Brasileira com chave de ouro. Os melhores cavaleiros do Brasil estarão em nossas pistas durante cinco dias consecutivos. E é importante destacar a adesão de nossos patrocinadores, sem os quais não seria possível oferecer um valor de premiação tão relevante”, destaca o anfitrião Antônio Luís Ferreira de Mello, presidente da Sociedade Hípica Brasileira.

Além da entrada franca, o público terá acesso a eventos gratuitos. No início da noite de sexta-feira, 24/11, a atração após a Prova Santo Antônio será o DJ Daniel Mendes. Na noite de sábado, 25/11, após a prova internacional Vinci Partners, o encerramento da programação será com o grupo Light Brotherz, que mistura música com criativas performances em fachos de leds.

O 85º Aniversário da SHB tem patrocínio do BTG Pactual, Grupo Sabemi, Shopping Leblon, Grupo AB, Coudelaria Santo Antônio, Manége Santa Cecília e Vinci Partners, com apoio de Maison du Cavalier, Sanol Dog, Alamaster, Rituaali – Saúde do Corpo, Mente e Espírito, Guabi, Injoy Suites, Seriflex, Cachaça da Quinta, Crepes Bon Profit, Dogaria, Equestrian Cavallie, 021 Riding Clothes e Arte Móveis Eventos.

85º Aniversário da Sociedade Hípica Brasileira
22 a 26 de novembro
Av. Lineu de Paula Machado, 2448
Lagoa – Rio de Janeiro (RJ)
Entrada franca

Por Divulgação/Assessoria de imprensa
Fotos: Divulgação/Luís Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo

Hipismo

Stephanie Macieira é a campeã do Clássico Haras Império Egípcio no Festival BH 2023

Amazona, junto com Kan Kan du For venceu a disputa durante o maior evento da criação nacional, que chegou em sua 18ª edição, sendo encerrado no domingo (12)

Publicado

⠀em

Stephanie Macieira é a campeã do Clássico Haras Império Egípcio no Festival BH 2023

Foram 56 os conjuntos a postos no Clássico Haras Império Egípcio, a 1.40m, na noite do sábado (11), na 2ª semana 18º Festival BH no Clube Hípico de Santo Amaro, a cada ano, o evento maior da Associação dos Criadores do Cavalo Brasileiro de Hipismo.

Doze foram a desempate e teve dobradinha de amazonas: a top carioca Stephanie Macieira apresentando Kan Kan du For, égua BH de 12 anos filho de Kannan em Diamant de Semilly, garantiu o topo do pódio. Em 2023, entre outras conquistas, Stephanie e Kan Kan du For também venceram o Clássico do SHP Open, na Hípica Paulista.

Stephanie Macieira

A jovem amazona paulista Nina Sagesser, de 16 anos, levou o BH de Carezzo S, filho de Arrezzo VDL em Montserrat Xangô (IA), ao vice-campeonato. Apenas cinco conjuntos zeraram o delicado desempate idealizado por Gabriel Malfatti com R$ 80 mil em jogo.

Veja como ficou o placar

Campeã Stephanie Macieira / Kan Kan du For (Kannan x Diamant de Semilly) – FEERJ – 0/39s12
Vice Nina Sampaio Coelho Sagesser / Carezzo S (Arezzo VDL x Montserrat Xangô – IA) – FPH – 0/41s70
3º Patrick da Motta Abrahão / Dolce de la Vie Z – FPH – 0/41s84
4º Sgto Paulo Brasileiro de Miranda / AGO Valentina – FPH – 0/42s84
5º Guilherme Afonso Camargo / Emilio BR (TE) – FPH – 0/43s23
6º Felipe Ferreira Figueiredo / HFG Darca – FHMG – 4/37s05

O resultado completo pode ser conferido através do site da Federação Brasileira de Hipismo.

Por Divulgação/CBH
Fotos: Divulgação/Luís Ruas

Leia mais notícias aqui.

Continue lendo