Torneio que premia com US$ 7 milhões e tem duração de 12 semanas está programado para terminar no próximo dia 31 de março

A décima primeira semana do Winter Equestrian Festival aconteceu de 20 a 24 de março no Palm Beach International Equestrian Center em Wellington, Flórida. O melhor resultado para o Brasil foi de Rodrigo Lambre, top brasileiro radicado nos Estados Unidos e México.

Montando Chacciama foi vice-campeão no GP do CSI4*, a 1.60 metro, dotado em US$ 203 mil, disputada na pista de Derby do PBIEC. O jovem dinamarquês Emil Halldunbaek, 20, montando Chalisco, garantiu sua primeira vitória em um GP quatro estrelas.

Dos 45 conjuntos, apenas cinco habilitaram-se ao desempate e somente dois voltaram a zerar: Emil com Chalisco cruzou a linha de chegada em 42s379, seguido de perto por Rodrigo e Chacciama, que registraram 42s758. Em terceiro lugar aparece o cavaleiro olímpico holandês Harrie Smolders, atual nº 3 do mundo, montando Une de L´Othains, um derrube, 41s023.

“Acho que tive sorte de entrar no desempate depois do Harrie, assim pude observar os detalhes do traçado, mas perdi um pouco de tempo e acabei não vencendo. Sempre preciso pensar no desempate, pois minha é égua é realmente quente e sensível. Eu procurei não olhar demais os outros e fazer o meu trabalho”, destacou Lambre, 40, que monta Chacchiama, uma oldenburger filha de Chacco Blue em Andiamo Z há dois anos. 

Rodrigo Lambre e Chacciama. Foto: Sportfot

Rodrigo, que já vem de três importantes vitórias na temporada 2019 entre outras classificações, é o atual 53º colocado no ranking mundial FEI Longines com resultados válidos até 28 de fevereiro. Marlon Zanotelli, melhor brasileiro, ocupa a 46ª posição e Pedro Veniss vem em 50º lugar. Assim como outros tops do Brasil, Rodrigo está entre os candidatos a uma vaga no Time Brasil de Salto nos Jogos Pan-americanos 2019.

Na sexta-feira, 22, também teve vitória brasileira. Montando Collin, Luiz Francisco de Azevedo, integrante do Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais, venceu a prova FEI, a 1.45  metro direto ao cronometro, em 63s90, superando demais 41 conjuntos. Na mesma prova, o brasileiro Francisco Musa com Filou Império Egípcio garantiu a quarta colocação, pista limpa, 66s.

Durante três meses, o maior point do Hipismo na América, realiza a mais longa e maior competição da modalidade no mundo. A cada semana, competições diferentes, com premiações variadas, deixam a programação intensa no complexo. Competem pessoas de todo o mundo, de variados níveis técnicos. Calendário recheado de competições todos os dias. A última semana começou ontem, 27 de março, e segue até domingo, 31.

Emil Hallundbaek e Chalisco. Foto: Sportfot

CBH

Um novo estatuto CBH criou um Conselho de Administração para garantir maior participação dos atletas. Ronaldo Bittencourt Filho, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo no ciclo olímpico até 2020, faz questão de realizar um modelo de governança mais participativo, orientado pelo COB e CPB.

O documento foi aprovado em 20 de dezembro de 2018. “Elaboramos o novo estatuto para atender a legislação aplicável e as orientações das Portarias da Secretaria do Esporte. Foram incluídas também regras para a Gestão da CBH ter um modelo de governança mais participativo, orientado pelo Comitê Olímpico Brasileiro e Comitê Paralímpico Brasileiro”, resumiu Ronaldo.

Ronaldo Bittencourt Filho, presidente da Confederação Brasileira de Hipismo. Foto: Divulgação

Para tanto, a CBH está participando de uma avaliação e análise junto ao Processo Rating do Instituto Ethos e do Sistema de Governança, Ética e Transparência desenvolvido pelo COB. Pode-se destacar que o estatuto propõe a implantação de um novo modelo de gestão com participação dos atletas e de um Conselho de Administração qualificado.

O Conselho de administração da CBH será composto por cinco presidentes de entidades filiadas eleitos em Assembleia, um de cada região: Centro-Oeste, Norte-Nordeste, Sul e Sudeste e um representante mais votado. Também são membros o presidente eleito da CBH, o representante do atleta mais votado e um membro independente. As regras de funcionamento do Conselho de Administração serão regidas por normativo próprio, elaborado e aprovado pelo mesmo.

Colaboração: Assessoria CBH
Foto de chamada: Bebeto Omena

Escreva um comentário