Na final da Copa Comerciagro, o competidor Glauco Bezerra deu uma grande virada

De Buritama/SP, Glauco Bezerra protagonizou momentos surpreendentes na final da Copa Comerciagro, do Circuito Rancho Primavera, em Campos Novos Paulista/SP. Se voltamos no tempo, lá no começo da década de noventa, como saber se um peão era bom? A resposta: a quantidade de carros que ele havia ganho.

Basta notarmos os currículos dos competidores de ponta da época, como Fabrício Alves, Rogério Ferreira, Vilmar Felipe, etc. Se o rodeio dava carro, era bom, se peão ganhou muitos carros, era bom também. Boas lembranças deste tempo.

Sim, os carros foram saindo da premiação, o currículo foi trocando pela quantidade de dinheiro ganho na carreira, ou apenas as cidades e fivelas que conquistaram como prêmio. Mas, talvez esses tempos estejam de volta.

Há algumas comissões voltando com essa tradição, como a Festa do Peão de Barretos, por exemplo. Em parceria com a RAM, Barretos premiou nos dois últimos anos com veículos. Há outras várias comissões neste sentido.

Embora muitos competidores tenham até quatro carros nocurriculo, em quatro finais de semanas seguidos, ganhar dois carros no mesmo rodeio, no mesmo dia, na mesma montaria, acredito que não há conhecimento de um fato semelhante.

O competidor Glauco Bezerra acabou entrando para a história do rodeio brasileiro ao ganhar no mesmo dia, dois carros ‘zero’ km na final da Copa Comerciagro pelo Circuito Rancho Primavera. O peão chegou à final com chances de levar o título.

Glauco Bezerro no pódio após fazer história

‘Correu por fora’, mas distante. Ele nem estava entre os nomes mais comentados, pois haviam outros competidores mais bem posicionados. Na noite de sábado, Glauco era apenas o oitavo colocado. Sendo uma Copa curta, com menos etapas que as outras, a proximidade era grande entre os concorrentes.

Glauco foi vendo os adversários que estavam à sua frente ficando pelo caminho. Nem dependia só dele para ser campão, mas na final, todos foram caindo e lá estava ele. Ele havia entrado para a decisão em primeiro lugar de nota, precisando parar.

Os oito segundos no touro Rei da Safra tinham que acontecer para que ele ganhasse a etapa e ficasse com o título da Copa. Dois prêmios em jogo, dois carros ‘zero’ e ele ficou com os dois. Era algo até inacreditável, mas que acabou de confirmando.

“Eu estava focado na chance de ganhar o carro da etapa. Afinal, eu estava em primeiro lugar de nota. Quando chegou minha vez de montar, as chances estavam todas comigo. Era um momento onde não podia errar”, explicou Glauco.

“Nem fiquei olhando os companheiros se apresentarem. Estava focado no título da etapa, porém, na minha vez, como os outros haviam caído, o título da Copa estava em jogo. Tentei focar no meu touro e fazer meu trabalho, jamais vou esquecer deste momento”.

Depois de passar pelo mais difícil, que era ganhar os dois carros em um só dia, Glauco Bezerro teve a missão de decidir o que fazer com eles

Para o campeão, foi muito difícil ganhar. E depois, a logística de como levar os carros para casa. “Eu já ganhei um carro, vendi. Agora com dois, pretendo ficar com um e vou tentar vender o outro pelo caminho. Senão conseguir, levo para casa e troco em gado. Difícil foi ganhar, agora o que fazer com eles está mais fácil”.

Glauco começou a competir este ano no CRP. Ele já montou em praticamente todos os campeonatos e com a fivela de Campos Novos Paulista, finalizou a terceira vitória nesse circuito. “Com a proposta das Copas, sabíamos que em algum momento isso ia acontecer, e ficamos felizes que aconteceu”, disse Rogério Paitl, presidente e idealizador do Circuito Rancho Primavera.

“Com certeza, essa premiação vai ajudar o Glauco nos seus projetos de vida, além de ter o nome marcado na história do rodeio por ter ganho dois carros no mesmo dia. De certa forma, ficamos felizes por mais esta conquista proporcionada pelo CRP à história do rodeio”.

O competidor vai demorar para esquecer o final de semana. “É uma sensação muito boa, cada semana, cada título tem um sentimento, mas esse foi diferente demais. Chega a ser até estranho, onde você ouviu dizer que alguém ganhou dois carros no mesmo dia? Estou muito feliz e sou grato a Deus por isso. Foi algo histórico na minha vida e na vida do rodeio”.

Nessa esperança dos carros voltarem a serem referência em premiação, o Circuito Rancho Primavera tem colaborado. Só nas Copas, serão oitos esse ano. Os dois, o CRP e o Glauco Bezerra, eternizaram um momento ímpar na premiação do rodeio brasileiro.

Um momento histórico merece animais com história para fazer parte. O touro Rei da Safra que fez história dentro do CRP, sendo o melhor touro da temporada de 2017, vencedor de eventos como Rio Verde, Colorado entre tantos outros, foi o protagonista deste momento. O  animal que Glauco sorteou para a final.

A briga pela temporada continua acirrada. Wingson Henrique, de Naviraí/MS, continua na liderança. Porém, sua vantagem é de apenas 75,30 pontos à frente de Rafael José de Brito, de Potirendaba/SP, o segundo melhor do ranking no momento. Keny Roger, de Pereira Barreto/SP, aparece em terceiro, 582 pontos atrás do líder. Para ver mais conteúdo como esse clique aqui.

Próxima etapa acontece em Sabino/SP, de 12 a 15 de setembro. Ranking e calendário completos, clique aqui.

Colaboração: Eugênio José
Fotos: Cedidas

Escreva um comentário