Ele comprou sua primeira corda americana com o dinheiro arrecadado vencendo sorvetes

As dificuldades para o competidor do rodeio brasileiro começam muito antes de ele se tornar de fato um competidor. Para Lucas Junior Braga de Camargo, o ‘Purga’, foi preciso enfrentar sol e chuva, calor e frio pelas ruas de Lagoa Formosa/MG, juntar centavo por centavo até conseguir dinheiro suficiente para comprar uma corda americana, utensílio indispensável para quem é atleta de montaria em touros.

Os treinos, desde criança, foram naquela regra do início de carreira de todo competidor: montando em bezerros escondido. “Matávamos aula para ajudar um amigo tirar leite e depois montar nos bezerros”, lembra Purga, que hoje tem 22 anos. “E tinha um latão que colocamos em uma árvore, ficávamos um bom tempo nele”. Isso fez com que a afinidade pelo esporte fosse ficando mais forte, logo um amigo que era competidor deixou ele treinar em garrotes maiores e aos 16 anos foi a seu primeiro rodeio, e de uma forma muito engraçada.

“Eu era menor de idade, não podia montar, deixaram meu nome fora do sorteio, e um amigo tropeiro voltou um touro. Eu terminei o evento em terceiro lugar. Foi ali que eu carimbei meu passaporte para o rodeio”. Em 2013 veio seu primeiro título, em Carmo do Parnaíba/MG, mesma cidade que montou oficialmente pela primeira vez. Em Lagoa Grande/MG, veio o segundo título e as oportunidades começaram a aparecer com mais frequência, montou no Fivela de Prata, Circuito Rodeio Bulls, rodeios importantes como Fenamilho, em Patos de Minas/MG, e Lagoa Formosa, sua terra natal. Foi montando em sua cidade, em 2017, que ganhou a atenção da ACR – Associação dos Campeões de Rodeio e Ekip Rozeta.

“Quanto estava montando em Santa Vitória/MG, conheci o Rodrigo Lidon. Ele me perguntou se eu gostaria de montar no Circuito Rancho Primavera, falei que era meu sonho, e agora o Rogério Paitl está me dando essa oportunidade”, explica Lucas. “Outra oportunidade que ganhei e fiquei muito contente foi montar na Festa do Peão de Colorado. Fui convidado esse ano pelo Marcelo Sichieri, vai ser minha primeira vez lá, estou me preparando para montar bem e corresponder à confiança que deram para mim”.

Ser um competidor não é fácil, principalmente quando se machuca. E Lucas machucou. “Períodos em que as dúvidas, as incertezas, a falta de dinheiro, preocupam. Precisei trabalhar por mês para me manter. Hoje estou realizando dois grandes sonhos, estar na Festa do Peão de Colorado e montar no CRP, isso é como se fosse uma recompensa por todo esforço e sacrifício que passei. Sonhei com isso, agora é a hora de viver bem esses sonhos”.

Essa semana ele monta no CRP em Guapirama/PR, de 8 a 11 de março, depois em Arandu/SP, de 15 a 18, e também estará estreando na Festa do Peão de Colorado, pelo CRP e Ekip Rozeta.

Colaboração Eugênio José
Fotos: Rodolfo Lesse

Escreva um comentário