Rodeio

Planejamento e manejo foram responsáveis por vitória em Colorado

Cia de Rodeio conquistou o título de melhor boiada na 45ª Festa do Peão de Colorado

A Cia Tercio Miranda agora é tricampeã do evento. Nos últimos três anos, saiu da arena do maior rodeio do Sul do Brasil com o título de melhor boiada da festa. Conquistou também o título de melhor animal com Briga de Galo. E ainda, a maior nota do rodeio – 93,25 – marcada na final pelo peão que foi campeão, pelo touro Doce Amargo.

Entre os oito animais que conseguiram notas individuais acima de 46,00 pontos em Colorado, cinco foram da Cia Tercio Miranda. Foi uma vitória com 45,39 pontos, uma diferença de 0,66 pontos para o segundo lugar. Uma diferença significativa. Em 2017, a companhia ganhou com a média 45,00 pontos, contra 44,53 pontos do segundo lugar, ou seja, 0,47 de diferença.

Em 2018, segundo ano consecutivo do título de melhor boiada, a diferença foi de 0,77 pontos. O ponto alto da vitória da Cia Tercio Miranda este ano está fora das arenas. Manejo, planejamento e bons tratos aos animais, são os pontos fortes da nova fase que vive a companhia, que foi a maior investidora em animais nos últimos anos.

Porém, desde Barretos, em agosto do ano passado, a forma de trabalho foi alterada. Não foram feitas mais compras, a companhia está com os mesmos animais. Trabalhar com genética será o próximo passo. Afinal, até hoje, não foram coletados sêmen de nenhum touro da Cia Tercio Miranda.

“Em Barretos, chegamos sem alguns touros, contundidos. Durante o rodeio, animais como Doce Amargo só pularam um dia. Em razão de contusão, o próprio Briga de Galo não estava 100%”, explicou Adriano Brosco, responsável pelo manejo da boiada.

“A partir deste rodeio, Barretos, resolvemos mudar um pouco a filosofia da companhia. Ao invés de comprar mais touros, fizemos um planejamento já para este ano, diminuindo o número de eventos, recuperando os animais, com descanso maior. Assim fomos trabalhando com os mesmos animais de 2018, sem praticamente nenhuma compra expressiva”.

Cia Tercio Miranda

Em Colorado, a disputa não foi fácil. Eram onze boiadas contratadas, extremamente qualificadas. Tanto que, no primeiro dia, a Cia Tercio Miranda ficou na terceira posição, empatada.

“Sempre temos o plano A e o plano B. Após o primeiro round, optamos por não usar um touro como o Café, que está invicto, mas tem uma média mais inferior. Optamos por usar três vezes o Doce Amargo, que é um animal que gosta de pular. A partir deste momento, assumimos a liderança”, reforçou Adriano.

“Tudo isso faz parte de um planejamento que envolve desde o Tercio, proprietário da boiada, até o funcionário que está no escritório, somos uma equipe”. Uma das prioridades desse planejamento é respeitar o animal. “Um exemplo é o Doce Amargo. Em Barretos precisávamos dele, mas a integridade física e os bons tratos prevalecem, estão em primeiro lugar”, reiterou Tercio Miranda.

Outra mudança anunciada será o início de atividades com genética, muito em breve. Animais como Rei da Safra, Nortão e Sistema iniciarão o processo de coleta de sêmen, tanto para trabalho genético interno como para comercialização.

“Isso é algo muito cobrado, muito esperado, tanto que touros como Rei da Safra, Nortão, Sistema não vão para muitos eventos este ano. Justamente por esse motivo. Talvez se apresentarão em eventos mais próximos de casa apenas”, explicou Tercio.

“A vitória em Colorado é sempre especial e neste ano foi resultado de todo um planejamento. É um evento muito especial de se participar e muito mais especial ainda quando você consegue ganhar. E no nosso caso, três vezes consecutivas. Estamos muito felizes por já colher resultados. Eventos como Colorado precisam de atenção especial, não podemos errar. Foi uma vitória motivadora para todos nós da Cia Tercio Miranda.”

As conquistas acontecem com trabalho em equipe e muito amor no que se faz. Está ai o exemplo. Outro destaque da Cia em Colorado foi a apresentação de Vingador, que manteve a invencibilidade ao derrotar o líder do Circuito Rancho Primavera, Rafael de Brito.

Por Eugênio José
Fotos: Rodolfo Lesse