Atualmente, é o vice-líder do ranking de Competidor na categoria Amador da ABQM

Lucas Santana Hisbek, 42 anos, nascido e criado em Cajuru/SP, é um dos destaques do Team Penning. Filho de Abdo Karin Fauzio Hisbek e Maria Rita De Santana Hisbek, é casado com Carolina, que são pais da linda Helena.

Família tradicional na cidade, com raízes no comercio e na agricultura. Seus avós paternos foram comerciantes de tecidos e os maternos foram os que deixaram de herança a atual propriedade rural.

Uma parte da fazenda que era uma das maiores produtoras de leite da região agora é onde Lucas treina e prepara seus cavalos. Bacharel em Análise de Sistemas, formado na Unaerp em 2002, ele exerce o cargo de Caixa Executivo no Banco do Brasil desde 2004. Conversamos com ele. Confira!

Lucas Hisbek
No pódio da Copa dos Campeões ABQM

Conta um pouco da sua história com os cavalos.

Lucas: Quando ficamos com essa pequena parte da fazendo, começamos a construir até chegar naquele sonho de criança. O de de ter um cavalo bom, um lugar onde pudesse correr atrás de um boi, uma arena, as baias. Hoje temos o famoso engenho, lugar onde passamos parte das nossas horas após o trabalho, com os amigos, treinando e cuidando dos cavalos

Trabalho durante a semana e provas nos finais de semana?

Lucas: Sim, aos finais de semana viramos competidor por amor aos cavalos. E a felicidade de encontrar os amigos, que fizemos ao longo desses anos. Desde pequeno eu lembro que tínhamos cavalos na fazenda de meu avô. Ele não gostava. Enquanto eles enchiam o curral de vacas de leite eu enchia de cavalos (risos).

Mas você nunca perdeu essa vontade de tocar sua vida junto aos cavalos?

Lucas: O tempo foi passando e compramos cavalos de passeio da raça Mangalarga. Meus irmãos Arthur e Rogério gostavam muito dessa raça. Quando por fim tivemos o primeiro Quarto de Milha, aí a paixão pegou de vez. Além de montar, poder competir é muito gratificante.

E você começou a competir por qual modalidade?

Lucas: Meu início foi no Team Roping, no rancho do meu amigo Guilherme Abdalla, em Cassia dos coqueiros/SP. Treinávamos umas duas vezes na semana e finais de semana, prova. Mas nunca fui bem sucedido no laço. Até que fui estimulado a ir em uma prova de Team Penning. Logo de cara fui campeão, fechando os três bois com 53 segundos.

Foi uma prova realizada em Ribeirão Preto/SP, pelo Lié Gomes, na Terra do Cowboy. O troféu era um apenas para o trio e eu tenho ele guardado em casa até hoje. Foi por volta de 1998 e eu montava minha égua chamada Zenit Jet Mit JP.

Ao lado de Neona Cat

Tem um cavalo que você lembra com carinho?

Lucas: Sim. Fui trocando de animal depois que a Zenit foi vendida, meu primeiro animal de prova, e parei no melhor cavalo que já pude montar, Tardy Fire JA. Fiz meu nome com ela. Montei o rancho, tratei dos outros, tudo na sela dela. Todos os finais de semana, trazia para casa alguma premiação. Para muitos, o melhor cavalo de Team Penning.

Antes dela tive um Appaloosa, Manoo ESR, todo branco, um animal muito bonito. Hoje temos a Neona Cat e a Xilika Fire (filha da Tardy, detentora hoje do recorde nacional de Ranch Sorting). São meus dois cavalos de prova de dois anos para cá. Esses são os mais especiais para mim.

Curte outras modalidades?

Lucas: Tudo que envolve animais, ou seja, cavalos e bois, e o relógio, estou dentro. Já corri Team Penning, Ranch Sorting, Working Penning e Team Roping. Sempre me espelhei nos melhores para ser um dia como eles. Hoje, graças a Deus, estou no meio deles.

Como é seu dia a dia

Lucas: Levanto sempre bem cedo e vou até o rancho ver como está. Volto para cidade correndo, pois tenho que cumprir meu compromisso como funcionário do Banco do Brasil, fico até 16h. Confesso que conto os segundos para sair e já correr paro rancho novamente. Treinamos às terças, quartas e quintas. Nos finais de semana, junto a família e vamos para as provas regionais.

Principais títulos.

Lucas: Já fui campeão de quase todos campeonatos da minha região no Team Penning. Liga Leste – pentacampeão; Mega Horse – bicampeão; Cavalos e Amigos – tricampeão. São cinco carros, mais de 50 motos de premiação. Também fui campeão do rodeio de Jaguariúna em 2006. Para Barretos fui três vezes e esse ano fiquei em segundo lugar.

Comecei no Ranch Sorting há um ano e na primeira prova em Batatais ganhei uma moto na categoria Aberta. Este resolvi correr os três eventos oficiais da ABQM, trazendo para casa sete troféus de primeiro lugar e vários segundo e terceiros. Tudo isso, graças a Deus, que vai nos permitindo estar entre os amigos competindo.

Lucas com a esposa e a filha

Qual o que mais te marcou?

Lucas: Um título marcante, não foi simplesmente um, mas sim uma quinzena. Lembro quando ganhei dois carros em dois finais de semana seguidos. Primeiro em Patrocínio/MG e o segundo em Jaguariína/SP. Foi uma época boa, turma do SL Barreiro, meu grande amigo Nenel Tranquilini.

Agradecimentos?

Lucas: Agradeço a Deus, por me permitir ainda estar podendo participar, mesmo depois de uma passagem turbulenta de saúde. À minha família, pais, esposa, filha, irmãos, sobrinhos, que sempre apoiam e torcem, seja ao lado ou pela TV, computador e etc. Não esquecendo dos parceiros, pois sem eles também não teria êxito.

Por Luciana Omena
Colaboração Analucia Araujo
Fotos: Cedidas/ABQM

Escreva um comentário