Realizou seu sonho de laçar após muitos anos no meio do cavalo

O laço é uma paixão antiga de Juliana Ruiz Balbo, que só foi se realizar após muitos anos e com uma ajudinha do destino, se assim podemos dizer. Quem conhece um pouquinho dos bastidores do rodeio já ouviu falar dela. Por muitos anos atuou na linha de frente da Festa do Peão de Barretos, cidade que mora e que é a capital brasileira do rodeio. Personagem feminina de muitos momentos marcantes do rodeio e do cavalo, em outras festas e provas.

Desde criança, Juliana Balbo esteve envolvida no meio com os cavalos. “Morei na fazenda até sete anos de idade e sempre gostei muito de lidar com os cavalos e com gado. Mas, mulher laçar naquela época, imagina (risos). E eu e minha irmã, Giovanna, quando começamos no Quarto de Milha queríamos laçar. Acabamos seguindo para o Tambor, mas essa vontade e paixão pelo laço nunca me deixou”, conta.

Mas como tudo que clamamos um dia vem, o laço apareceu novamente na historia de Juliana, em uma volta muito grande que a vida deu. “Sempre tive muita vontade de laçar e quando comecei a namorar com o Anderson [Proença], comentei com ele. Me incentivou a realizar esse sonho e hoje participo de várias provas”, fala entusiasmada a laçadora. Juliana laça Cabeça. E as principais provas que hoje participa são: Campeonato Paranaense de Laço em Dupla – CPLD, as oficiais da ABQM, entre outras.

E apesar de pouco tempo no laço, ela já vem conquistando importantes títulos, entre eles: campeã Feminina CPLD e reservada campeã Potro Futuro ABQM. Ju forma duplas tanto com homens quanto com mulheres para participar das provas. Para ela, a adrenalina do esporte se resume a laçada. que ao mesmo tempo é um grande desafio acertar. Sua atuação, como não podia deixar de ser, por toda sua expertise, vai além das pistas.

Juliana faz parte da criação da Elite Team Roping – ETR, além de ajudar na organização das etapas da CPLD. De três anos para cá, tem acompanhando bastante o esporte. E ela vê como uma crescente e se profissionalizando ano a ano. “Meus projetos no esporte são ajudar sempre na profissionalização e valorização dos competidores, em especial a Feminino, buscando novas formas de incentivo dentro das provas que organizo”.

Perguntada sobre seu sonho como competidora e quem é seu ídolo, a laçadora é direta: “Quero laçar bem e ganhar provas, já o meu ídolo é o Anderson Proença”. Ju Balbo ainda divide seu tempo entre os trabalhos artesanais que faz com cordas de laço e o trabalho como Administradora de Empresas. “Agradeço a Deus por permitir que pudesse realizar esse sonho! Ao Anderson por sempre me ensinar, incentivar e me apoiar. À minha família, minha filha Joanna, que torcem sempre por mim”, finaliza. Para ver mais conteúdo como esse clique aqui.

Por Verônica Formigoni
Foto: Miguel Oliveira

Escreva um comentário