De humildade e simplicidade admirada a um coração que não cabe dentro do peito, o laçador conquistou prêmios e amigos para toda vida

Laçador do interior de São Paulo, senhor do campo. De humildade admirada e detentor de um coração que não cabe dentro do peito. Filho do falecido Lorival dos Santos, um querido treinador de hipismo, que lhe apresentou ao mundo dos cavalos. São 36 anos de idade e uma trajetória de vida dentro – e fora – do esporte digna de respeito e orgulho.

Casado há 18 anos com Letícia e pai de Murilo, de 16 anos, que também laça cabeça igual o pai e já conquistou 20 motos e dois trailers em provas, e de João Lucas, de oito anos, que está iniciando no Laço do Pé e já ganhou vários prêmios. Este é Marcos de Souza Santos, mais conhecido por Tu dos Santos, um dos maiores laçadores da atualidade em pista no Brasil.

Nasceu em Tietê, mas é filho do mundo. Desde muito pequeno esteve entre os cavalos, ajudando o seu pai na lida diária do campo. Seu primeiro contato com o Laço foi a partir de um amigo da família, Éneas Vieira, que foi a pessoa que o ajudou e o incentivou a começar a laçar em meio a uma época de dificuldades financeiras.

Aos 15 anos de idade, começou a laçar e, atualmente, com 36, ainda pretende se manter na ativa por muitos anos. Entres os seus títulos que carrega em seu currículo de atleta, destacam-se: Tricampeão Rodeio de Americana, Bicampeão de Jaguariúna, Campeão de Barretos, Campeão Rodeio de Limeira, Campeão do Rodeio de Jacutinga, Campeão do Rodeio de Cerquilho, Campeão Copa dos Campeões ABQM, Campeão Congresso ABQM e Campeão ETR.

Tais prêmios lhe renderam, até hoje, seis carros, 138 motos e três trailers. O segredo de tanto sucesso: ter fé acima de tudo, ser humilde e estar pronto para ajudar o próximo. Mesmo durante as competições, Tu dos Santos aplica essa ideologia de vida e prefere esquecer que tem adversários em pista.

Entre os seus sonhos, está o de incentivar ainda mais as crianças a entraram no Laço, como fez com os seus filhos. Para ele, é um meio de afastá-los das ‘coisas erradas’ que podem surgir ao decorrer da vida. Além disso, ele acredita que os mais novos possam fazer o esporte crescer e se fortalecer a cada dia mais.

A opinião é unânime: quem convive ou já conviveu com Tu dos Santos se contagia com a simplicidade e o sorriso no rosto do laçador. Entre eles está Joao Duprat, do Rancho Mombuca. Os dois se conhecem desde pequeno e, após ele se iniciar no Laço, as raízes de uma bela amizade foram ainda mais fincadas. “Ele é amigo de todo mundo, trata todo mundo igual, brinca com todo mundo, está sempre dando risada. As pessoas se sentem bem ao lado dele. Treinar e competir é a mesma coisa pra ele e ele é bem constante.Todo laçador que eu conheço tem a fase boa e a fase ruim. Mas o Tu sempre manteve o ritmo, o mesmo nível”, fala João.

Para Juninho Positel, do Rancho Positel, fica a admiração pela pessoa e pelo laçador que Tu dos Santos é. “Tenho uma ligação muito boa com ele, são mais de 20 anos de convivência e eu o considero como um irmão pra mim. O que se torna ele um laçador assim é a humildade, dedicação e um coração que não cabe dentro dele”.

Ligação forte o laçador também tem com o empresário Lucas Bazzo, que, inclusive, é padrinho de um dos seus filhos. Amigos há uns 20 anos, a admiração que ele tem por Tu é grande. “O Tu é o melhor laçador de cabeça do Brasil e uma das pessoas mais incríveis que já conheci, ninguém consegue nada na vida sem dedicação e muito trabalho, além de ter uma estrutura familiar muito boa, que está com ele a todo momento, dando apoio e incentivo. Eu o admiro pela sua simplicidade e honestidade grande companheirismo”.

João Desuo Júnior, do Rancho JD, é padrinho de casamento de Tu dos Santos. A ligação entre os dois vai além do âmbito profissional, já que uma vez por semana ele vai até São Manuel para treinar com ele. “O Tu nasceu com um dom para laçar e a vida toda trabalhou com cavalos, começando no hipismo ajudando o seu pai. Com certeza esses dois fatores foram fundamentais para que ele se tornasse o grande profissional que é hoje em dia. Com certeza a humildade e o carisma que ele tem de sobra fazem com que todos gostem muito dele”, finaliza.

Por Equipe Cavalus
Fotos: Ricardo Mariotto

Escreva um comentário