“Títulos no laço foram poucos, acho que as amizades, o prazer de laçar, e as viagens foram os maiores prêmios…”

O advogado, Diego Camargo Bianco, de Jaboticabal, interior de São Paulo, começou no laço por influência dos amigos que já viviam a paixão do esporte e o também contaminou para este meio.

“Comecei a laçar mais ou menos no ano de 1998, por influência dos conterrâneos e amigos Edson Bellodi, Eduardo Caiado e meu primo Jerry Camargo, portanto, estou no laço há 18 anos, no entanto, somente quando adquiri junto com meu irmão Rafael nosso Rancho, em 2008, que passei a ter meus cavalos, fazer cursos e se dedicar mais ao esporte,” conta Diego Bianco.

Hoje é proprietário do Rancho DRB Nossa Senhora de Fátima junto com seu irmão, e atualmente monta em dois animais: Tordilho Asquelo Solano e no Castanho Lucro Certo Wood, competindo pela categoria Amador, na qual passou a correr há um ano.

Nesses anos de competição ele diz que não conquistou muitos títulos, porém fez grandes amigos, e conta qual foi sua prova mais marcante.

“Títulos no laço foram poucos, acho que as amizades o prazer de laçar e as viagens foram os maiores prêmios, no entanto, das conquistas que me deixaram feliz foi o 5° lugar no Congresso de 2009 laçando cronômetro na Amador Iniciante com o cavalo Rocky Boy conhecido por Abacate, 4° lugar na Prova da Liga da Justiça, em Jaguariúna/SP, no Iniciante, 4° lugar na Aberta do Rodeio de Paulo de Faria 2015 e reservado Campeão no Prorelax Calf  Roping de 2015 que foi a minha primeira prova no Amador, qual marcou muito para mim como competidor,” afirma Bianco.

Diego Camargo Bianco com o filho Giovani Antônio.

Para o laçador seu maior desafio na modalidade é a falta de tempo para treinar por conta da profissão e da correria do dia a dia.

Ele diz ser grato por tudo que conquistou no meio e que seu sonho é um dia competir com seu filho. “Meu sonho como competidor é poder um dia ir para prova de laço individual e laçar junto com meu filho Giovani Antônio, que hoje tem 5 anos de idade, e meu sobrinho e afilhado Eduardo que nascerá em agosto deste ano. Quero poder vê-los no esporte junto comigo,” fala emocionado Bianco.

Todos nós temos na vida pessoas que nos inspiram na vida e nossa profissão, e no esporte não é diferente, existem os profissionais, laçadores que servem de incentivo e de espelho para os competidores, e Diego tem os seus.

“No laço na verdade tenho mais de um ídolo. O primeiro deles em quem me espelhei para começar laçar, e um dos laçadores mais técnicos que conheci, foi Eduardo Caiado. Hoje me espelho no Nolberto Bobeda pela raça e força mantendo o alto nível apesar de ser da primeira geração de laçadores, e também no Douglas Renato Jesus da Penha pela sua raça aliada à técnica,” conta o laçador.

Mas como em tudo na vida para obtermos sucesso, ninguém está sozinha, temos sempre quem amamos ao nosso lado, torcendo, apoiando, nos dando um rumo. Pessoas que fazem um hobby ser muito mais que um descanso e fazer o que se gosta.

“Meus agradecimentos são aos meus pais que sempre me deram condições para realização de meus sonhos, meu irmão e meu primo Jerry que são meus parceiros de treino e provas, minha esposa Talita que sempre me acompanha e jamais se opôs ao meu esporte e único hobby e meu filho Giovani Antônio que é a razão de tudo desde o dia que foi concebido” finaliza Diego Bianco.

Escrito por : Verônica Formigoni

Foto por : Kaie Rochetto – westernsports.com.br

Escreva um comentário