Aos 38 anos, Valter Yoshio Hato, natural de São Bernardo do Campo/SP, não deixa o laço de lado

O primeiro contato do veterinário Valter Hato com o mundo dos cavalos foi a partir do sítio de seu avô, no interior do Paraguai. Era lá que ele costumava passar as férias e montava nos animais apenas para cavalgadas pelos arredores. Mas a família de Valter queria que esse contato fosse mais frequente e em 1991 o pai dele comprou um sítio em Suzano, no interior de São Paulo. A partir daí ele passou a montar com mais frequência nos cavalos da raça Mangalarga que tinham na propriedade.

O Laço Individual só foi entrar em sua vida em 1996, quando o seu pai o levou para ver o Rodeio de Jaguariúna. Ele lembra que da arquibancada se encantou pelo o esporte e disse para o pai: “eu quero fazer isso!”. Logo no dia seguinte ele comprou um laço e foi aí que tudo começou. Em 1998, participou de suas primeiras competições pela Associação Brasileira do Cavalo Appaloosa. Por muitos anos, ele laçou sozinho e sem muita orientação. Na época, não tinha uma condição financeira adequada para investir no esporte.

Valter ao lado do presidente da ANLI Caco Auricchio

Quando se casou e sua filha nasceu, Valter chegou a ficar um tempo afastado das pistas, mas a paixão pelo esporte acabou o chamando de volta. “Há três anos decidi voltar a laçar, porém, dessa vez, optei por investir em uma estrutura para o meu rancho, orientação de bons profissionais e bons cavalos”, frisa. Entre os cavalos que monta estão Angel Little Step, Guinnes Whiz, Casilac DoBSs (Appaloosa), Hollywood Pine e agora Guinness Whiz, sendo que os três últimos são os cavalos que ele está apostando para dar um salto em seu nível de Laço em 2018.

“O cavalo significa para mim a união da minha família e amigos. Já o laço é um vício incurável, mas saudável. Tanto que meu sonho dentro do esporte é ser campeão da ABQM. Quero laçar a vida toda e trazer cada vez mais meus amigos e família para junto desse mundo maravilhoso”. No decorrer de 2017, ele já começou a colher os primeiros frutos da dedicação ao esporte. Valter foi Campeão Prova Técnica ANLI, Reservado Campeão Derby ANLI e 3º lugar Copa dos Campeões ABQM.

“Agradeço minha esposa e filhos pela paciência e por aguentar minha ausência em dias de treino e provas. Ao meu irmão Daniel Hato, e aos amigos Gustavo Bertocco, Ronaldo Batistucci, Sergio Penha e Juninho por estarem em todos os treinos comigo. Em especial ao meu amigo Daniel Lopes por toda atenção e ensinamentos. Para encerrar agradeço ao criador Ricardo Soncine por me ceder os ótimos animais de sua criação e ao Frederico Jardim que me cedeu esse maravilhoso cavalo, o Guinness Whiz.”

Por Equipe Cavalus
Foto: Rodolfo Lesse

Escreva um comentário