O treinador mais premiado dos Três Tambores no Brasil chega a uma marca que ele jamais esperava

Chamar o Vagner Simionato de‘velhinho é apenas uma forma carinhosa de tratar uma das pessoas mais conhecidas, vencedoras, carismáticas do Quarto de Milha brasileiro. Ele é uma lenda viva, sem dúvida, e com 38 anos de profissão não para de se superar e surpreender seus fãs. Recentemente alcançou a marca de 7.008,3 pontos em provas oficiais e oficializadas pela ABQM. “Chegar a 7000 pontos não foi algo que eu almejei, foi algo que aconteceu na minha vida”, conta ele à nossa reportagem que esteve no Grand Prix do Haras Raphaela.

E a vida é agitada! Seu centro de treinamento, na região de Bauru/SP, é movimentado, com 100 a 140 cavalos montando. “Então, eu tive que colocar esses cavalos em pista, apresentar esses cavalos dos clientes, correr provas oficiais. São criadores e proprietários que queriam pontuar seus animais, garanhões e éguas, para que se tornassem cavalos de destaque, ou até lendas, como é o caso de alguns animais que montei a ajudei a fazer campanha”.

Ninguém chega sozinho a sete mil pontos e foram esses animais e esses clientes que o ajudaram a chegar nas provas com dois ou três caminhões, com 20 a 40 cavalos. “Automaticamente, por ter esse número alto de cavalos correndo e por eu ganhar bastante premiação também, acabei atingindo uma pontuação alta dentro da ABQM. Quando me dei conta, já eram dois mil pontos, que foram aumentando para três, quatro, cinco, seis, até chegar no que agora temos”.

Para o ‘velhinho’ Vaguinho, são ótimos os cavalos que competem hoje em dia e a luta é diária para ainda se manter entre os melhores. Perseverança e talento ele tem de sobra, e experiência também. “Estou com quase 40 anos de profissão e mesmo assim continuo recebendo presentes, como o de montar o WV Mickey Of Fling e continuar tendo boas oportunidades de ganhar e pontuar. Em todas as pistas que corri com ele, marcamos tempos na casa dos 16 segundos. Sem dúvida, os últimos resultados com ele me ajudaram a chegar tão alto”.

E quem pensa que ele está planejando aposentadoria se engana. São vários os projetos e um deles apoiar o Junior Simionato, seu filho com sua esposa Silvia. “Apoiar o Juninho sempre estará entre minhas prioridades e meus projetos. Mas esse apoio não é para sua carreira, porque ele vai ser médico, advogado, motorista, taxista, menos treinador”, comenta Vaguinho. E em tom sério, mas que não tem como não sorrir ao escutar, ele diz que viverá até mãos de 100 anos, então precisa de um novo projeto de vida. “Como vou morrer com 105 anos e estou com 53, faltam 52 anos ainda, então estou na metade, e tenho bastante coisa para pensar e fazer. Até os 100 anos ainda pretendo apresentar os cavalos na pista, depois disso, vou ficar só treinando”.

Juninho, Vaguinho e Silvia

Nas pistas desde julho de 1980 ele é o único cavaleiro na história da ABQM, contando todas as modalidades, a ultrapassar os sete mil pontos. Integrante do Hall da Fama ABQM, homenageado em 2016, em cerimônia de gala em São Paulo, Vaguinho já soma 6.677 provas corridas oficiais e oficializadas pela ABQM, 16 tempos na casa dos 16 segundos, é ganhador de quatro carros ‘zero’ km e 113 motos de premiação, tem ais de 4000 troféus e 983 fivelas de campeão, soma R$ 994.420,00 em ganhos, dados do SGP Sistema apurados somente de 2010 até 08 de março de 2018 e foi recebeu troféus nos 11 ABQM Awards, nas modalidades Três Tambores, Seis Balizas, Cinco Tambores, Maneabilidade e Velocidade.

Parabéns, Vaguinho!

Por Luciana Omena
Colaboração Verônica Formigoni
Fotos: Ricardo Marioto

Escreva um comentário