“Acredito que Deus colocou os Três Tambores na minha vida…”

Se a primeira impressão é a que fica, para a competidora de Três Tambores de Taguaí/SP, Patrícia Ribeiro de Oliveira, começar no esporte foi mais que uma prova concreta dessa tal ‘primeira impressão’.

“Eu tinha uns dez anos, meus pais e eu gostamos da modalidade de cara quando acompanhamos uma prova feita durante um rodeio e já resolvemos procurar um lugar pra que eu pudesse realmente começar no Tambor”, confirma a competidora dizendo que em seguida conheceu o CT Paulo Cunha e não parou mais com os treinamentos.

Patrícia nasceu no dia 10 de agosto do ano de 1998, e hoje com 20 anos ela se mostra cada dia mais interessada no esporte equestre. Mesmo com tantas atividades da faculdade, ela faz o possível para estar sempre marcando presença em provas importantes que contribuem para o seu próprio reconhecimento como atleta.

“Participo das provas sempre que a faculdade permite e faço o impossível para não perder o Congresso, o Nacional e a Copa dos Campeões”, ressalta a competidora.

“Acredito que Deus colocou os Três Tambores na minha vida. Já tínhamos algum contato com cavalos, pois meu pai e minha irmã sempre gostaram. Mesmo assim, o Tambor era algo bem distante pra mim”.

Patrícia garante que a modalidade veio para somar com pontos positivos para sua rotina e quando perguntam sobre seu grande sonho como competidora, ela sem dúvida, diz que trabalha para ser campeã nas categorias Amador ou Feminina durante o cobiçado Nacional.

Para formar um conjunto de sucesso, o competidor além de muita dedicação nos treinos, precisa de fato, estar com animais que favoreçam um bom desempenho em pista e uma equipe que conhece e trabalha em prol do mesmo objetivo de crescimento.

Pensando nisso, a competidora destaca seus cavalos preparados para pistas reduzidas de rodeio e os animais de provas oficiais. “Nos rodeios costumo levar a Lena Girl EK e o Tres Ta Fame, e nas provas oficiais corro com o Tres Diamond Six RCH”.

Uma equipe bem estruturada também faz parte dos objetivos de desenvolvimento de Patrícia como atleta. Hoje a competidora treina com Renato e Kenny que, segundo ela, acompanham seus trabalhos em pista desde o começo.

“Eu agradeço sempre muito a Deus por me permitir fazer esse esporte, minha família e meu namorado por me apoiarem tanto. Os veterinários que cuidam com muito carinhos dos meus cavalos, Nanci e Ricardo Prianti, que me ajudam e zelam dos meus animais no rancho e no centro de treinamento. E em especial ao Renato e ao Kenny que sempre me ensinaram, passaram por altos e baixos comigo e que são meus espelhos no mundo do cavalo”, completa a atleta.

Todo grande atleta se orgulha de títulos conquistados durante uma jornada de muito esforço e dedicação. Para Patrícia Ribeiro, dentre as principais vitórias já alcançadas, ela destaca quando subiu no ponto mais alto do pódio ano passado, que foi campeã jovem C no Congresso da ABQM, vice-campeã na categoria Feminino no Nacional e campeã da Aberta Junior na Copa WV.

Por Camila Furtado/Editora Passos
Foto: Beto Negrão

Escreva um comentário