Árabe

Após migrar para Rédeas, Ednei Caminhas se aventura em provas do cavalo Árabe

Ex-campeão mundial pela PBR, atleta participou agora, pela primeira vez, das provas Ranch Riding, Western Dressage e Sport Horse Under Saddle, nos Estados Unidos

Se não bastasse todos os títulos conquistados em rodeios – tendo sido, inclusive, campeão mundial da PBR – e depois ter migrado para a Rédeas, Ednei Caminhas resolveu agora se aventurar em novas modalidades. Para tanto, ele também passou a contar com um novo parceiro de competições, o cavalo Árabe.

Afinal, recentemente ele viveu, pela primeira vez, as emoções das provas Ranch Riding, Western Dressage e Sport Horse Under Saddle. E foi em um evento organizado pela Região 9 da Arabian Horse Association (AHA), que é uma associação dos estados de Arkansas, Louisiana, Oklahoma e Texas.

Na ocasião, Ednei apresentou – nas três modalidades – Pilar, uma égua Árabe que ele treina há pouco tempo. Apesar de ter ido para ganhar experiência, o cavaleiro se saiu bem nas disputas para um iniciante.

“O Ranch Riding eu já fazia, já havia competido antes. Mas o Western Dressage e o Under Saddle, essa modalidade na sela inglesa, nunca havia feito. Foi a primeira vez”, conta.

Ednei Caminhas e Lurena Bell – Foto: Arquivo Pessoal/Ednei Caminhas

Preparação para as provas do cavalo Árabe

A fim de se preparar para as disputas das três modalidades, Ednei teve aulas com Lurena Bell, a mais bem-sucedida cavaleira de dressage (adestramento) do Texas. Ela, aliás, já foi relacionada, por diversas vezes, para a Equipe Equestre Olímpica dos Estados Unidos.

Ademais, Lurena competiu com a equipe dos Estados Unidos no North American Dressage Championship em Montreal, Canadá. Sem falar nos três festivais olímpicos dos Estados Unidos, onde a equipe do Sul ganhou as medalhas de ouro e bronze, e ela ganhou a prata individual.

“Lurena Bell ficou surpresa com o meu desempenho nas provas. Sobretudo, por ter sido a minha primeira vez e da égua, que só havia sido montada 36 vezes, e eu só tive três aulas. Eu recebi elogios do meu assento na sela, balanço e posicionamento de mãos”, acrescenta Ednei.

Todavia, apesar de se aventurar nas novas modalidades, o atleta garante que continua mexendo com cavalos de Rédeas. Atualmente, ele e a família moram em um rancho em Houston. “Meus clientes agora mandam os cavalos aqui para mim. E um mês atrás também comprei um cavalo Quarto de Milha que está em treinamento para Ranch Riding para mim e para minha esposa Gaby”.

Ednei Caminhas se aventura em novas modalidades nos Estados Unidos – Foto: Arquivo Pessoal/Ednei Caminhas

Sobre as modalidades

Antes de mais nada vale esclarecer as diferenças entre as três modalidades que Ednei praticou. Resumidamente, no Ranch Riding o conjunto precisa desempenhar funções típicas do trabalho no dia-a-dia da fazenda, sempre com prazer e suavidade nos movimentos. Como, por exemplo, abrir porteira, e passar por cima de pontes e troncos de árvores, etc.

Já o Western Dressage é um esporte equestre que combina os princípios da adestramento e do uso dos acessórios ocidentais. E no Sport Horse Under Saddle os cavalos são apresentados em grupo e devem mostrar suas habilidades ao comando do locutor.

“Pede para andar a passo, trote, trote elevado, galope e galope estendido (mais rápido)”, explica Ednei. Assim, o conjunto é julgado pelo desempenho, boas maneiras, conformação, adequação como cavalo de trabalho e qualidade. 

Por fim, vale destacar que em todas as modalidades é imprescindível o uso de traje específico. Na Under Saddle, a roupa tradicional das modalidades de sela inglesa; Ranch Riding e Western Dressege, camisas de botão, botas de cowboy e jeans.

“Tive a oportunidade de fazer algo novo e muito diferente de tudo que fiz na minha vida! Especialmente a ‘roupas’ que eu nunca imaginei usar”, finaliza, aos risos, Ednei.

Por Natália de Oliveira e Luciana Omena
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal/Ednei Caminhas

Veja mais notícias sobre o cavalo Árabe no portal Cavalus

X