Árabe

Jorge Selume fala sobre a criação de cavalo Árabe no Chile e no Brasil

O criador chileno se divide desde 2017 entre os dois países na busca pelo aperfeiçoamento e refinamento da raça 

A amor pelos cavalos sempre esteve presente na vida de Jorge Constantino Selume Zaror, do Haras Santa Marta. Natural de Santiago, no Chile, ele se viu crescendo em meio aos cavalos que o avô tinha na fazenda. Por conta disso, até chegou a ter alguns cavalos da raça Crioula.

Contudo, não demorou muito para que a história de Jorge no meio dos cavalos tomasse um novo rumo. Afinal, depois de visitar o Haras La Laguna, de Alfredo Hasbun, ele conheceu o cavalo Árabe e, segundo ele, foi amor à primeira vista.

“Seu refinamento, movimento, inteligência, docilidade e versatilidade me cativaram. Não acredito que há um cavalo mais bonito. Então, eu decidi começar a criar cavalos Árabes a partir de 2003”, conta o criador chileno em entrevista ao portal Cavalus.

Para tanto, montou o Haras Santa Marca, em Talca, cidade localizada a 250 km ao sul de Santiago. A princípio, como não sabia muito sobre a criação da raça, iniciou o seu plantel de uma forma muito básica, ou seja, amadora. Assim, comprou apenas três cavalos e duas éguas.

“Eu não sabia muito sobre a raça, mas tive uma intuição. Tanto que essas duas éguas tinham algo de sangue egípcio e foram muito interessantes, com muito tipo. Então, iniciei minha criação participando de provas de Enduro”.

Início da criação focada em Halter

No fim de 2005, a modalidade de Halter começou a despertar o interesse de Jorge Selume. Como resultado, ele comprou quatro cavalos de Alfredo Hasbun. Depois, visitou o a criação de Fernando de Santibañez, onde comprou a égua JJ Suprema e a potranca JJ La Rose, ambas filhas de Magnum Psyche.

HSM Thania é um dos exemplares do Haras Santa Maria

Desse modo, para cuidar do treinamento e apresentação dos animais, o criador chileno contratou Rinaldo Longuini. “Finalmente, em 2006, em viagem ao Brasil para acompanhar a Nacional do Cavalo Árabe, comprei a potranca My Lady HBV e a égua Michelle HPV. Na sequência, comprei mais cavalos no Brasil e foi assim que comecei”.

Evolução da criação de Jorge Selume

De lá pra cá, Jorge vê que sua criação tem evoluído bastante ao decorrer do tempo. De acordo com ele, a contribuição de Alfredo Hasbun no início foi de grande ajuda e, assim, permitiu que ele rapidamente estivesse no mesmo patamar dos demais criadores da modalidade de Halter e montasse um bom plantel de matrizes.

No entanto, o criador garante que nem tudo foi fácil. Afinal, evoluir com a criação no Chile não é tão simples, porque é muito restrita a importação de sêmen de cavalos. Assim, obriga o criador a usar apenas as poucas opções disponíveis no mercado. 

“Tenho a ajuda de outro grande amigo, o Fernando de Santibañez, quem muito generosamente me ajudou a trazer para o Chile JJ SR Magnum e depois Magnum Psyche. Ao mesmo tempo, aceitou que eu enviasse ao seu haras na Argentina algumas das minhas éguas para serem cobertas com o sêmen que importei antes da impossibilidade de traze-lo para o Chile. Todo esse processo significou um grande avanço e permitiu um salto importante na criação do Haras Santa Maria”.

Vinda ao Brasil 

Finalmente, em 2017, com apoio e guia do do Dagmar Gordiano, Jorge Selume começou a sua criação no Brasil. “Decidi começar a criar no Brasil porque é o país mais importante da América Latina na criação de cavalos Árabes, além de um dos mais importantes do mundo”.

Jorge foi o melhor criador da Brazillian Breeders Cup 2019

De acordo com o criador chileno, a criação em solo brasileiro tem sido muito interessante e, ao mesmo tempo, desafiadora. “Tem sido uma experiência linda, que permitiu colocar a criação do Haras Santa Marta em um nível competitivo internacionalmente”, frisa.

Assim, atualmente, Jorge se divide entre a criação nos dois países. No Brasil, onde tem sete matrizes na Fazenda do Camanducaia, em Jaguariúna/SP, de propriedade de Nelson Moreira. Do outro lado, no Chile, o criador mantém 18 matrizes na propriedade na cidade de Talca.

No entanto, ambas criações mantém a mesma base, segundo Jorge Selume. “A base da criação do cavalo Árabe é um bom corpo e uma boa paleta, além de tipo e movimento. Quando você tem o primeiro, o resto é fácil. A estrutura do cavalo é essencial e, com boas paletas, o resto vem. Também gosto de cabeças refinadas e com olhos grandes”, explica o criador.

Animais de destaque e prêmios

Do ponto de vista da criação, as principais matrizes do Haras Santa Marta no Chile são: Michailla (Michelle HVP x Matisse; JJ La Rose (Magnum Psyche x Paquita Liah); Miss Bianca (Siraljj UB x Emanuella K); HSM Simona (LL Kartoum x JJ La Rose); ZT Macja (AB Magnun x Pistacja); Sebastiana (JJ SR Magnum x LL Dancing Bey) Sienna Storm (Hariri Al Shaqab x AFA Sienna); e, por fim, La Reve, filha de QR Marc com uma irmã de Magnum Psyche.

Lady Dominica foi Campeã Nacional Brasil 2019

Já no Brasil, as matrizes que estão na Fazenda do Camanducaia são: Sahara Gallina, Mystik Angel WRR, Sirani UB, Domitila UBA e duas filhas de Marwan Al Shaqab, Palitraa e Marina Mist.

Entre os principais títulos conquistados pelo Haras Santa Marta, Jorge destaca os seguintes: Michailla como Reservada Égua Jovem Chile em 2015; HSM Thania como Campeã Potranca Maior Chile em 2019; Top 10 da Breeders Cup Brasil em 2019; HSM Perla Negra como Reservada Potranca Maior Chile em 2019; La Reve como Reservada Potranca Maior em Scottsdale 2018 e Campeã Égua Jovem Chile em 2019; Lady Dominica JSZ como Campeã Breeders Cup Brasil 2018, Campeã Nacional Junior Brasil 2019 e Premium Cup Breeders Cup Brasil 2019; e, por último, Mystika JSZ como Campeã Potranca Menor e segunda melhor pontuação na Breeders Cupa Brasil 2019.

Futuro da criação de Jorge Selume

Antes de mais nada foia paixão pelo cavalo Árabe que fez Jorge iniciar a criação. Porém, o que era um hobby foi transformado para algo que agora é gerido com muito profissionalismo. “Tentar criar um cavalo o mais perfeito possível e trabalhar nas opções disponíveis para ele é algo fascinante”.

Lady Dominic é destaque do plantel do Haras Santa Maria

Para o futuro, o criador pretende continuar a melhorar a criação, sem deixá-la retroceder. O que ele considera um grande desafio. A ideia é seguir buscando mais refinamento, sem perder a base em corpo e paleta. Assim, aposta em duas éguas de seu plantel, JJ Aphar e Dominic M.

“Criar cavalo Árabe é algo importante na minha vida. Para mim, o cavalo Árabe é de perfeição e beleza exclusivas, é reflexo da criação divina. Assim, participar da sua reprodução é um privilégio”, finaliza Jorge Selume.

Por Natália de Oliveira
Crédito das fotos: Arquivo Pessoal/Jorge Selume

Veja mais notícias sobre o cavalo Árabe no portal Cavalus

X