Modalidade do cavalo crioulo para portadores de necessidades especiais será realizada na Fazenda Boqueirão

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) irá realizar no mês de novembro uma prova oficial de Inclusão de Ouro no estado do Rio de Janeiro. As disputas da modalidade, que é direcionada para portadores de necessidades especiais, serão realizadas na Fazenda Boqueirão, de propriedade da criadora Flávia Araripe Júnior.

O primeiro ciclo da Inclusão de Ouro foi um sucesso e, com isso, surgiu o interesse de muitas pessoas em fazerem parte do time de competidores da modalidade oficial da raça Crioula. Ainda mais porque no esporte o cavalo é usado como aliado ao desenvolvimento da mente e do corpo através da equoterapia.

Três candidatos já se apresentaram

Como resultado deste sucesso, a Fazenda Boqueirão, inclusive, já até recebeu três candidatos à próxima prova da Inclusão. O evento está marcado para acontecer durante a programação da Credenciadora Mista ao Freio de Ouro, no dia 3 de novembro, em Sapucaia (RJ).

Os três candidatos – dos oito prováveis participantes – são integrantes do Centro de Equoterapia de Petrópolis. Portanto, eles já estabeleceram o primeiro contato com o cavalo Crioulo, por meio de LAA Cariucha – égua da Fazenda Boqueirão que já correu credenciadora ao Freio de Ouro e será, inclusive, disponibilizada para participação no ciclo.

Inclusão de Ouro chega ao Estado do Rio de Janeiro
Inclusão de Ouro chega ao Estado do Rio de Janeiro

“Foi emocionante receber essa turma lá em casa e é impressionante ver a conexão que se desenvolve entre essas pessoas e os cavalos. Acredito que isso seja baseado na confiança, pois é uma conexão que se dá muito rápida. É muito bonito de ver”, ressaltou Flávia, que também selecionou outros dois cavalos para serem doados à competição.

Leia mais notícias sobre o cavalo crioulo

Da mesma forma, ao longo dos próximos dias mais candidatos serão recebidos por Flávia e a programação será divulgada em breve. Mas ela já adianta: “vocês vão conhecer o Hugo, estudante de zootecnia que perdeu a visão aos três anos, mora sozinho há seis, cozinha, passa roupa e não só monta a cavalo como salta obstáculos”, finaliza.

Fonte: Assessoria de imprensa/ABCCC
Fotos: Divulgação/ABCCC

Escreva um comentário