Mangalarga Marchador

ABCCMM alerta sobre o fornecimento adequado de ração

A médica veterinária Mayara Gonçalves Fonseca repassa informações importante para o maior aproveitamento dos nutrientes

A Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) busca sempre levar conteúdo de qualidade aos seus associados. Desta vez, a preocupação é com o fornecimento adequado de ração.

Para tanto, solicitou que a médica veterinária Mayara Gonçalves Fonseca repassasse informações importantes para o maior aproveitamento dos nutrientes.

Antes de mais nada ela explica que o estômago do cavalo é relativamente pequeno, representando de 8 a 15 litros em cavalos de 500 Kg de peso corporal. Dessa forma, o tamanho está adaptado ao comportamento de ingestão de pequenas quantidades de forragem e frequente movimentação.

“Como herbívoro que vive em sociedade, o cavalo naturalmente precisa pastar. Ao mesmo tempo, ele precisa estar sempre alerta e disposto a utilizar a velocidade e agilidade para sua autopreservação diante de uma ameaça”.

Portanto, longos períodos de jejum ou de ausência de atividade física são muito prejudiciais à saúde do cavalo. Como resultado, predispondo a alterações de comportamento, úlceras gástricas e outras enfermidades.

“Além disso, o fornecimento de grande quantidade de alimento em um curto período de tempo pode sobrecarregar o estômago e ocasionar dor e alteração na digestão dos alimentos. Afinal, devido às configurações anatômicas, o cavalo não consegue regurgitar ou “vomitar” o conteúdo em seu estômago”, acrescenta a veterinária.

Qual a quantidade ideal de ração?

Para o maior aproveitamento dos nutrientes e redução dos riscos de doenças, o limite máximo de fornecimento de ração (alimento concentrado, rico em grãos) por refeição não deve ultrapassar a quantidade de 0,5 Kg de concentrado (grãos) para cada 100 Kg de peso corpóreo por refeição.

“Por exemplo, para um cavalo de 500 Kg, não se deve fornecer mais de 2,5 Kg de concentrado por refeição. Se esse cavalo precisar consumir 6 Kg de ração por dia, devemos dividir em 3 fornecimentos de 2 Kg de ração em cada, divididos ao longo do dia (início da manhã, início da tarde e fim da tarde)”, explica a veterinária.

Apesar de pouco mais trabalhoso que apenas dois fornecimentos de 3 kg cada, estaremos mais seguros de que haverá aproveitamento dos nutrientes do concentrado e redução do risco de cólicas, gastrite e outros problemas de saúde.

Fonte: ABCCMM
Crédito da foto: Divulgação/ABCCMM

Veja mais notícias sobre o Mangalarga Marchador no portal Cavalus