Quem é o maior concorrente de um Médico Veterinário? Ou de um treinador? De um prestador de serviço em geral?

Muitas pessoas vão dizer que é outro veterinário, outro treinador, outra pessoa que presta o mesmo serviço. Em parte isto é verdade. A concorrência ainda é para muitos um grande inimigo, e incomoda a muitos profissionais. Não é raro vermos veterinários reclamando que o colega faz os chamados ‘leilões’, onde baixam o preço para atender um cavalo ou mesmo uma propriedade. Vemos também treinadores tentando ganhar a concorrência pelo preço, e todo mundo reclamando destas práticas, que na verdade, não são de agora, mas sim de sempre…

Se pensarmos em concorrência, pensamos diretamente em clientes e no que podemos fazer para termos mais clientes. Conversando com algumas pessoas especialistas em outros mercados, vemos que nem sempre esta ideia ainda é atual e eficiente. Vivemos em uma época de muitas mudanças rápidas de percepção sobre o relacionamento entre profissionais e clientes, empresas e clientes. Estamos assistindo a uma nova forma de um cliente se relacionar com os profissionais, e vemos, a cada dia, que a parte técnica de um profissional não tem mais o peso na hora da decisão pela escolha deste profissional. Isto porque esta parte técnica passou a ser uma obrigação de cada um.

Um veterinário de hoje em dia, por exemplo, tem somente uma chance de errar, pois existem muitos veterinários prestando bons serviços, e o cliente está com a escolha em suas mãos. Mas, esta qualidade técnica obrigatória faz com que o bom profissional tenha que saber mais coisas como, por exemplo, conhecer seus clientes a fundo, estudar cada um deles, saber seus desejos, suas idéias, suas metas e seus ideais como participante do mercado de cavalos e principalmente que cuidem dos clientes antigos.

Desta forma, o criam-se totais condições de um relacionamento duradouro e de qualidade. Foi-se o tempo em que ganhar clientes era difícil. Mais difícil do que isto é manter o cliente com você por muito tempo. Tratar do cliente ‘velho’ é tão importante como conquistar clientes novos. Infelizmente o que estamos vendo é o inverso… Vemos profissionais deixando de lado clientes antigos em busca dos novos, alegando que como este ‘antigo’ está há muitos anos, não tem problema se for ‘esquecido’ por algum tempo. E o que vemos após isto, é o tal ‘antigo’ buscando um profissional novo…

Verdadeiramente falando, estamos vivendo uma época em que os principais clientes do cavalo trazem para o nosso mercado as mesmas experiências e expectativas que têm em uma loja no shopping, ou na compra de um carro. Querem atendimento, querem relacionamento, e querem principalmente ser atendidos no que eles mais querem, e não no que o profissional ou a empresa imagina que eles queiram.

Por isto, estudar o cliente a fundo é importante. Por isso, parar de pensar no profissional do lado, ou na empresa concorrente é importante. Pensar muito na concorrência como estamos vendo, faz com que muito tempo seja desperdiçado. Tempo este que poderia ser investido na própria qualidade do trabalho que se está prestando, ou no atendimento que se está dando a quem já é cliente. Talvez, os maiores concorrentes dos profissionais que tanto reclamam de concorrência sejam eles mesmos, que ao invés de se preocuparem com o que estão fazendo, ficam pensando em minar ou destruir um concorrente…

Por Aluísio Marins
Foto: cedida

Escreva um comentário